Siga o Jornal de Brasília

Cidades

ONG festeja o amor ao próximo

Fraternidade Sem Fronteiras completa dez anos e promove almoço com crianças na Estrutural

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Camilla Germano
redacao@grupojbr.com

São dez anos de vivência, incentivo e amparo em prol do bem ao próximo. A ONG Fraternidade Sem Fronteiras (FSF) foi fundada em 2009 e, desde então, tem organizado várias ações sociais no Brasil e na África. Em celebração aos dez anos de história, a ONG vai promover 74 iniciativas, no país inteiro, para divulgar o seu trabalho e celebrar o aniversário de sua fundação.

Os eventos têm como objetivo promover a irmandade sem restrições étnicas, geográficas ou religiosas. Nesses dez anos, o grupo desenvolveu vários projetos de inclusão e amparo para problemas atuais, como um centro de atendimento integral para crianças com microcefalia em Campina Grande (PB) e acolhimento de venezuelanos na fronteira com o Brasil em Boa Vista (RR).

Nos eventos, os voluntários explicam as iniciativas da organização por meio de estandes e também incentivam a adesão ao projeto de apadrinhamento. Apadrinhar a organização significa ajudar, mensalmente, os projetos da ONG. Esse compromisso pode ser feito presencialmente amanhã no estande ou online.

“No dia 15, os voluntários realizarão ações diversas em prol da causa, em todo país. Além de explicar para as pessoas como funciona o trabalho da instituição, vamos comercializar camisetas e itens que levam a marca do projeto, destinando esses recursos para as causas abraçadas pela ONG”, explica Luciana Gomes Viana, uma das coordenadoras da ação em Brasília.

África

A ONG foi criada pelo voluntário brasileiro Wagner Moura em 2009, com a motivação de promover a fraternidade. Ele escolheu primeiramente iniciar projetos em Moçambique — país que tem o português como língua nativa — e também porque é um dos países mais pobres da África Subsaariana. Além disso, a organização também tem projetos no Senegal, no Malawi e em Madagascar.

A instituição possui 45 polos de trabalho, mantém centros de acolhimento, oferece alimentação, saúde, formação profissionalizante, educação, cultivo sustentável, construção de casas e ainda, abraça projetos de crianças com microcefalia e doença rara. A sede brasileira da ONG é em Campo Grande (MS) e todos os trabalhos são mantidos por meio de doações e principalmente pelo apadrinhamento.

Celebração

Dois eventos acontecem em Brasília amanhã. O primeiro, no Parque da Cidade, próximo aos estacionamento 13, das 8h às 12h. Além dos estandes contando a história e explicando os projetos da ONG, serão vendidos produtos (camisetas, bonés, entre outros) com a marca da ONG e alguns voluntários estarão aplicando a terapia reiki, gratuitamente, para os frequentadores do parque.

O segundo acontece na Estrutural, na Creche Esperança, Rua 24, Quadra 21, Lote 79, Chácara Santa Luzia/Estrutural. No evento será oferecido um almoço para as crianças e seus responsáveis. A proposta é oferecer um dia diferente para as crianças, que receberão, ainda, cestas básicas, fraldas, itens de limpeza e higiene pessoal, bem como frutas e legumes frescos.

Para outras informações acesse o site www.fraternidadesemfronteiras.org.br/a-fsf/

Economia criativa ganha estímulo no DF

Produtores culturais, designers, artesãos, publicitários, cineastas e empresários do ramo da moda e de eventos, entre outras áreas, se reuniram na terça-feira (12) para o lançamento da Câmara de Economia Criativa da Fecomércio-DF. O intuito é unir os diferentes segmentos e fomentar o desenvolvimento de Brasília por meio da economia criativa. No Brasil, o setor gera renda para 852 mil pessoas, sendo que a capital federal é responsável por ocupar 4% da população com empregos formais, sendo a terceira unidade da Federação que mais gera empregos formais no segmento.

A Secretaria de Turismo do DF faz parte do conselho da Câmara visando estimular a união entre a indústria criativa com a turística e, assim, fomentar a economia da capital e projetar a cidade e suas potencialidades para o mundo. “Brasília é uma cidade jovem e já somos Patrimônio Cultural da Humanidade e uma das oito cidades brasileiras que compõem a Rede de Cidades Criativas da Unesco. Esse é o momento de olharmos para a cidade com otimismo e a Secretaria de Turismo, por meio da nossa coordenação de economia criativa, está pronta para atuar e fortalecer o cenário”, disse Vanessa Mendonça, secretária de Turismo.

Para Francisco Maia, presidente da Fecomércio-DF, o objetivo é criar um ambiente favorável para os empreendedores. “Essa Câmara será uma das mais importantes, pois o setor envolve todo o segmento e queremos fazer com que Brasília tenha empreendimentos da área cultural como um grande cartão de visitas”, pontuou.

Pedro Affonso Franco, presidente da Câmara de Economia Criativa, reforçou que deseja conhecer todos os segmentos para desenvolver a cena de forma sustentável. “Brasília deixou de ser uma cidade administrativa, aqui pulsa criatividade. Contamos com todos para mostrar uma capital diferente, mas que já conhecemos.”

 


Leia também
Publicidade