Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Zoológico retoma passeios escolares

Chamado de Zoo Escolar, o passeio para turmas de colégios permite até 2,5 mil visitantes diários. Atividades noturnas também foram retomadas

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

O Zoológico de Brasília autorizou a retomada dos passeios escolares em suas dependências. A atividade estava suspensa devido à pandemia do novo coronavírus. As visitações noturnas também foram retomadas.

Chamado de Zoo Escolar, o passeio para turmas de colégios permite até 2,5 mil visitantes diários. Já no caso do Zoo Noturno, a atividade ocorre apenas depois das 19h, às terças e quintas-feiras.

O ingresso ao Zoológico varia de R$ 5 a R$ 30. Alunos da rede pública não pagam para entrar.

Os interessados em agendar as visitas devem entrar em contato pelo e-mail: [email protected].

Animais em extinção

A Fundação Jardim Zoológico de Brasília, abriga cerca de 40 animais que estão sendo ameaçados de extinção. Entre eles, estão os famosos: Lobo Guará, Arara Azul, Girafa, Cervo do Pantanal, Hipopótamo, Mico Leão, Onça Pintada/Parda, Ariranha, Anta e muitos outros.

Conforme cita Igor Morais, biólogo e gerente de projetos educacionais do Zoológico de Brasília, quando uma espécie desaparece por completo, é provável ter uma extinção em massa de 50% de todas as espécies, porque elas estão ligadas e dependentes uma das outras. E o impacto desses animais chega a atingir a vida do ser humano, que também faz parte dessa teia de vida.

Os animais que chegam no Zoo de Brasília, geralmente são resgatados e trazidos por Órgãos Ambientais do DF e do entorno, ou por algum Programa de Conservação. Os que estiverem em situação maior de extinção participam desses programas em cativeiro, tanto nacionais como internacionais. Após avaliação veterinária, se forem considerados independentes e saudáveis, eles devem ser reintroduzidos na natureza.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo Luísa Helena Rocha, superintendente de conservação e pesquisa do Zoológico de Brasília, esses programas visam “reproduzir populações genéticas e demograficamente viáveis em cativeiro para que seja possível subsidiar com indivíduos dentro dos programas de reintrodução na natureza”.

Além disso, a Fundação de Brasília busca atuar na recuperação de animais, para que os órgãos responsáveis façam a reintrodução. E caso seja oportuno, ou até mesmo, quando solicitado, a instituição pode acompanhar as solturas dos animais por estes órgãos.








Você pode gostar