Menu
Brasília

Riscos nas ruas: elevação do número de motos em circulação no DF causa preocupações ao trânsito

ntre os anos de 2021 a 2023, ocorreu um aumento de 25 mil motos na capital

Redação Jornal de Brasília

18/06/2024 10h04

Foto: Agência Brasília

Por Pedro Vianna e Mateus Péres
Agência de Notícias CEUB

Em 2024, há uma previsão do crescimento de 10 mil motos em circulação nas vias do Distrito Federal e esse número chegar a 268 mil veículos desse tipo.

De acordo com dados estatísticos do Detran, entre os anos de 2021 a 2023, ocorreu um aumento de 25 mil motos na capital. A quantidade acende a luz amarela também para a possibilidade de acidentes de trânsito.

Foto: Divulgação/Detran-DF


Pandemia agravante


Durante a pandemia, o Distrito Federal viu um aumento notável no número de motos circulando por suas vias.

Restrições de transporte público e a necessidade de distanciamento social, por exemplo, incentivaram a população a optar pela compra de motocicletas como uma alternativa viável de locomoção e fonte de renda, se tornando cada vez mais atrativas para os habitantes do DF.

No entanto, esse aumento na circulação de motos trouxe desafios em termos de segurança viária. O rápido crescimento da frota de motocicletas no Distrito Federal aumentou a densidade do tráfego e expôs os motociclistas a um maior risco de acidentes. De acordo com estatísticas divulgadas pelo Detran, no ano de 2020 ocorreram 110 acidentes de motos com vítimas fatais, representando um aumento de 30 vítimas em relação aos anos anteriores a pandemia (2017-2019)

Impacto no trânsito


Congestionamentos, preocupações sérias com a segurança viária, acidentes e vítimas são algumas das consequências trazidas pelo aumento do número de motocicletas na capital do país. Além disso, muitos condutores de motos desrespeitam normas de trânsito, como o excesso de velocidade, ultrapassagens perigosas e falta de equipamentos de proteção, o que contribui para um trânsito não seguro.

Leia mais sobre cidades


O editor de imagens Denner Leon, que é motociclista, eu posso ser um exemplo de um motociclista que procura sempre andar ali correto, andar no limite de velocidade, mas isso não te impede de você sofrer um acidente. Você pode ser aquele ciclista que anda certinho, de boa, que sempre vai ter um motorista desatento que vai te fechar, que vai te derrubar. E também você pode ser um motociclista louco que anda tentando se matar aí no trânsito e você mesmo causar um seu próprio acidente”

Cuidado constante


Perda de controle do veículo, excesso de velocidade, utilizar o celular enquanto dirige, desrespeitar as sinalizações e não utilizar setas são as principais causas de acidentes de acordo com o Departamento de Trânsito do Distrito Federal – Detran. O mesmo reforça o uso devido de proteções básicas como capacete, jaqueta e roupas longas para prevenir ferimentos eventuais.

Com a alta vulnerabilidade a todo momento durante os percursos de moto, o cuidado deve ser redobrado e a todo custo preservado, já que com qualquer mínima distração um acidente pode ocorrer.

“Esse acidente eu tive uma fratura no rádio, precisei fazer uma cirurgia chata aqui, uma placa, uns 11 parafusos aqui para consertar na cabeça do rádio. Nesse meu caso aqui eu tive que ficar três meses parado” disse Denner Leon ao ser questionado sobre como se acidentou de moto.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado