Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Perfil psiquiátrico indica que Lázaro pode se entregar

Ainda assim, o especialista acredita que, mesmo se entregando, isso poderia ser apenas mais uma forma de manipulação por parte de Lázaro

Por Geovanna Bispo 22/06/2021 7h20

Analisado pelo psiquiatra forense Ulysses Castro, o suspeito de cometer uma chacina no Incra 9, no último dia 9, Lázaro Barbosa, de 32 anos, pode se entregar a qualquer momento. “Eu tenho uma leve intuição que ele vai fazer isso aqui [se entregar após 15 dias, como ele fez na Bahia].”

Ainda assim, o especialista acredita que, mesmo se entregando, isso poderia ser apenas mais uma forma de manipulação por parte de Lázaro. “Se ele não for pego pela polícia e se entregar, será justamente o que ele quer, o encanto. Ele vai virar um líder dentro do presídio por não ter sido preso por essa quantidade de policiais.”

Segundo Castro, com base no pouco conhecimento e nos primeiros exames psicológicos, o homem pode ter um Transtorno de Personalidade Antissocial Grave, ou seja, psicopatia. Dentre as principais características desse transtorno são manipulação, sadismo e ápatia. “Se formos perceber, a história dele [Lázaro] é de estupro e assassinatos cruéis… É muita crueldade e tentativa de infringir sofrimento ao outro para obtenção de um prazer, muitas vezes, sexual.”

Outra característica forte da psicopatia é o narcisismo, em que todas as ações são pensadas no “eu”, além da constante busca por atenção. “Ele se acha uma pessoa especial, acha que as pessoas do meio que devem se adaptar a ele.”

Sobre um possível tratamento para casos como o de Lázaro, Ulysses explica que não existem tratamentos específicos para o transtorno. “Além de uma psicoterapia intensiva, não há o que fazer. Uma das coisas do psicopata é que ele não é um doente mental, ele tem uma perturbação da saúde mental. Ele não está, ele é daquele jeito.”

“Na psicofarmacologia, nós não temos drogas que vão tratar. No caso da psicopatia, de um transtorno de personalidade, já faz parte desde a infância e adolescência com perversões e maus-tratos com animais e pessoas”, finaliza o psiquiatra.

Lázaro está sendo procurado há catorze dias por mais de 200 policiais militares, civis, federais e rodoviário federais do Distrito Federal e Goiás. Há três dias não há sinais do suspeito, que estava sendo constantemente visto nas cidades de Girassol e Edilândia, pertencentes a Cocalzinho de Goiás-GO.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bahia

O sargento da polícia militar da Bahia, Valter Lourenço dos Santos, que comandou a caçada a Lázaro em 2008, após ele assassinar dois homens, afirma que talvez ele se canse. “Quando se sentir cansado e gastar todos os recursos que tem, talvez ele procure alguém para ajudá-lo a se entregar, sem correr o risco de ser morto” Na época, o suspeito foi procurado por 15 dias na caatinga e apenas foi preso porque ele se entregou. Dias depois ele voltou a fugir.

Durante as buscas naquela época, Valter conta que foi preciso que a polícia contratasse dois vaqueiros que conheciam a região para ajudar a rastreá-lo. Durante esse período, foram empregados apenas 15 polícias de diferentes regiões do estado para procurá-lo.






Você pode gostar