Menu
Brasília

Mulher nas Cidades chega a Brazlândia com capacitação e serviços gratuitos

O projeto, da Secretaria da Mulher (SMDF), percorre várias regiões do Distrito Federal oferecendo serviços de saúde

Redação Jornal de Brasília

05/06/2024 15h43

Nesta quarta (5), a vice-governadora Celina Leão visitou o projeto, que já promoveu o atendimento a cerca de 5 mil mulheres em cada região administrativa por onde passou | Foto: Vinicius de Melo/SMDF

Nesta quarta-feira (5), dia em que Brazlândia completa 91 anos, a iniciativa Mulher nas Cidades chegou à 11ª região administrativa,, trazendo uma série de serviços gratuitos para o público feminino da comunidade. O projeto, da Secretaria da Mulher (SMDF), percorre várias regiões do Distrito Federal oferecendo serviços de saúde, capacitação profissional, assistência jurídica e qualidade de vida.

A vice-governadora Celina Leão visitou o projeto e destacou a importância da cidade. “É lindo ver as mulheres que estão aqui dando os primeiros passos. Elas têm o direito de trabalhar, de estudar e têm o direito de sonhar. O Mulher nas Cidades é uma fábrica dos sonhos. Nós temos aqui desde os cursos até os atendimentos que são realizados na nossas subsecretarias para ajudar a mulher a montar o seu pequeno negócio. A gente precisa de uma oportunidade na vida, e o Mulher nas Cidades é uma delas”, disse a vice-governadora.

A ação está descentralizando os atendimentos, e a secretária da Mulher, Giselle Ferreira, ressaltou a importância de levar a iniciativa para a “porta de casa” das mulheres: “O Mulher nas Cidades é uma oportunidade de aproximar os serviços essenciais das mulheres, promovendo a autonomia e a cidadania. Queremos garantir que todas as mulheres tenham acesso a esses serviços, independentemente de onde vivem”.

Emile Vitória Xavier é uma das alunas do curso de manicure oferecido pelo projeto. Para ela, essa é uma oportunidade de mudar seu futuro. “Penso nesse curso como uma forma de dar um futuro melhor para a minha filha. Além disso, é uma profissão que posso construir sozinha e com baixo investimento. Agora quero colocar em prática o que aprendi aqui e logo poder abrir um espaço de atendimento meu”, disse Emile.

A iniciativa também abre portas para que mulheres apoiem outras mulheres. É o caso de Valdenia Carvalho, que procurou o curso de corte e costura como uma forma de aprender para transmitir esse conhecimento. “Tenho algumas máquinas de costura que estão paradas, e conheço um grupo de donas de casa, muitas delas carentes, que precisam aprender um ofício para se sustentarem. Hoje estou aqui aprendendo para poder ensinar outras”, concluiu Valdenia.

Em cada região administrativa por onde passou, o projeto atendeu cerca de 5 mil mulheres. A expectativa é de que, ao todo, 60 mil mulheres sejam alcançadas. O projeto ainda passará por São Sebastião, onde as atividades estão previstas para os dias 25 e 29 deste mês. As inscrições já estão abertas no site do projeto e também podem ser feitas na Administração Regional de São Sebastião a partir da próxima semana.

*Com informações da Agência Brasília

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado