Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

MPDFT realiza mais uma fase da operação Falso Negativo

Desta vez, o alvo é uma licitação supostamente superfaturada na compra de 48 mil testes rápidos, realizada pela Secretaria de Saúde

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público (Gaeco/MPDFT) deflagrou nesta quarta-feira (3) a quarta fase da operação Falso Negativo, que investiga fraudes na saúde no âmbito do combate à covid-19 no Distrito Federal. Agentes cumprem 15 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e no estado a Bahia.

Desta vez, o alvo é uma licitação supostamente superfaturada na compra de 48 mil testes rápidos. A compra foi realizada pela Secretaria de Saúde, com dispensa de licitação, e os exames seriam de qualidade duvidosa. Ao invés de uma, foram quatro empresas contratadas, o que chamou a atenção dos investigadores.

Um dos beneficiados com a fraude seria Fábio Gonçalves Campos, amigo pessoal do ex-secretário Francisco Araújo e assessor do deputado João Carlos Bacelar (PL-BA). Fábio teria atuado de forma oculta em uma das empresas contratadas. Francisco foi padrinho de casamento do deputado.

Na casa de Fábio e da esposa, Renata Mesquita D’Aguiar, agentes encontraram R$ 200 mil em espécie. Renata, segundo as investigações, sabia do esquema criminoso e chegou a se envolver no caso.

Esta fase da operação conta com o apoio da Policia Civil (PCDF).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entenda o caso

A operação Falso Negativo foi realizada em agosto do ano passado. Naquela fase, diversos servidores foram presos, inclusive o então secretário de Saúde, Francisco Araújo.

As investigações apontaram que diversos testes contra a covid-19 foram comprados de forma fraudulenta. Segundo o MP, há fortes evidências de que as marcas dos produtos adquiridos seriam imprestáveis ou de baixa qualidade para a detecção eficiente da doença.

Foram presos na operação:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Francisco Araújo: ex-secretário de Saúde do DF;
  • Eduardo Seara Machado Pojo do Rego: ex-secretário adjunto de Gestão em Saúde do DF;
  • Iohan Andrade Struck: ex-subsecretário de Administração Geral da SES-DF;
  • Jorge Antônio Chamon Júnior: ex-diretor do Laboratório Central do DF;
  • Ramon Santana Lopes Azevedo: ex-assessor especial da SES-DF;
  • Emmanuel de Oliveira Carneiro: ex-diretor de Aquisições Especiais da SES-DF;
  • Ricardo Tavares, ex-secretário-adjunto de Assistência à Saúde;
  • Eduardo Hage, ex-subsecretário de Vigilância à Saúde.

Aguarde mais informações






Você pode gostar