Menu
Brasília

Maio Laranja encerra atividades contra violência sexual de crianças e adolescentes

Maio é o mês que dá visibilidade ao combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes

Redação Jornal de Brasília

03/06/2024 17h24

Caminhada em São Sebastião. Foto: Divulgação

O Maio Laranja, mês que dá visibilidade ao combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes foi encerrado pelo Núcleo de Enfrentamento à Violência e à Exploração Sexual contra a Criança e o Adolescente (Nevesca), através das Promotorias de Justiça de Samambaia, do Recanto das Emas e a Assessoria de Perícia e Acompanhamento de Políticas Públicas (Apapp).

No Recanto, o Instituto Ajudar Não Dói, em parceria com o Setor de Execução de Medida Alternativas (Sema) da cidade realizou oficinas temáticas nas turmas da instituição, levando às crianças e adolescentes informações de prevenção, combate, canais de denúncia, encorajamento, entre outras informações que contribuem no combate a exploração e abuso sexual desse público.  As oficinas foram realizadas do dia 13 a 17 de maio com atendimento de mais de 250 crianças e adolescentes. O encerramento foi marcado pela ação realizada no dia 18 de maio de 2024, com oficinas temáticas para as crianças e palestras temáticas aos adolescentes.

Para a promotora de Justiça Gabriela Gonzalez “a informação sobre abuso sexual contra crianças e adolescentes é uma forma de prevenção e também de permitir a responsabilização, pois é muito comum que após essas abordagens nas escolas e na comunidade as vítimas se sintam encorajadas a revelar o que sofreram.  Por isso, essa iniciativa do instituto foi tão relevante para a proteção das crianças e adolescentes”.

Programação

Na sexta-feira, 24 de maio, pela manhã, as instituições que compõem o Sistema de Garantia de Direitos (SGD) de Ceilândia, impulsionadas pelo Nevesca, realizaram o seminário “Fluxos de atendimento para a proteção integral de crianças e adolescentes em situação de violência sexual: atuando em rede e compartilhando cuidados”, no Centro Universitário Iesb- Campus Ceilândia. Participaram do evento a coordenadora do Nevesca Camila Britto, o coordenador das Promotorias de Justiça de Ceilândia Ericson Cerqueira, a promotora de justiça Carolina Moura, e as servidoras Janaína Bezerra e Pâmela Rodrigues, ambas da Apapp III.

À tarde, a caminhada de conscientização em São Sebastião terminou na Promotoria da cidade. Participaram do evento os promotores Rodrigo de Oliveira Machado; Mariana Rocha Rubini e os servidores Nailson Souza e Karolina Varjão (apapp).

No dia 26 de maio, domingo, a caminhada foi na Rua do Lazer, no Guará, e contou com a participação da servidora da Apapp Cristina Brasil.

Na segunda-feira pela manhã, 27 de maio, os adolescentes, de 14 a 17 anos, do CEF 30 de Ceilândia assistiram palestra da promotora Camila Britto. À tarde, houve uma roda de conversa na Casa de Ismael, na Asa Norte, com participação da promotora e da servidora Rosângela Ferreira.

As promotoras de Justiça Liz-Elainne Mendes, coordenadora do Nevesca, e Mariana Távora prestigiaram o lançamento do livro “Violência sexual contra crianças e adolescentes: desafios atuais na implementação de ações práticas”, das organizadoras Marlene Magnabosco Marra, Liana Fortunato Costa e Silvia Renata Lordello, no dia 28 de maio.

Por fim, o dia 29 de maio foi recheado de atividades. O Complexo Cultural de Samambaia recebeu o Seminário “Para proteger é necessário entender”. A promotora de Justiça e coordenadora do Nevesca Camila Britto; a assistente social e coordenadora do Comitê Nacional de Enfrentamento à violência sexual contra criança e adolescente Karina Figueiredo; a psicóloga e fundadora do projeto “Renascer contra a violência” Neusa Maria e a integrante do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes ministraram a palestra “O papel do professor/a na prevenção e proteção de crianças e adolescentes em contexto de violência sexual”, de manhã e à tarde.

Depois, os educadores foram conduzidos para salas, onde receberam informações sobre os equipamentos de proteção à criança e ao adolescente: a 32ª Delegacia de Polícia, o serviço Prevenção Orientado à Violência Doméstica e Familiar (Provid) – 11º Batalhão de Polícia Militar, o Centro 18 de Maio, o Centro de Especialidades para a Atenção às Pessoas em Situação de Violência Sexual, Familiar e Doméstica (Cepav) Orquídea, o Conselho Tutelar de Samambaia Sul, Cras e o Creas. Também participou do evento a servidora da Apapp Solange Félix.

A servidora Cristina Brasil conduziu roda de conversa com os professores do CEI da Candangolândia, pela manhã, o Núcleo de Prevenção e Assistência a Situações de Violência (Nupav) e o Núcleo Judiciário da Mulher – NJM/TJDFT. À tarde, foi a vez do CED 10 do Guará.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado