Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Investimento em torno de R$ 50 milhões, diz Ibaneis sobre Águas Claras

“Esperamos entregar no ano que vem”, disse Ibaneis sobre a 3ª saída da cidade

Foto: Elisa Costa/Jornal de Brasília

Elisa Costa e Guilherme Gomes
[email protected]

Na manhã desta quarta-feira (1º), o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), assinou a ordem de serviço para o início da a construção da 3ª saída de Águas Claras. De acordo com o mandatário, a cidade conta com um grande investimento para a realização de outras obras. Era um pedido muito antigo a terceira saída. Esperamos entregar no ano que vem. É qualidade de vida, qualidade no trânsito. Estamos fazendo um investimento em torno de 50 milhões de reais na região”, afirmou.

A cidade de Águas Claras sofre com o alto fluxo de mais de 37 mil veículos que circulam na Região Administrativa. Os engarrafamentos são constantes principalmente nos horários de pico.

De acordo com o projeto, o novo acesso/saída de Águas Claras terá 2 km de extensão, com duas faixas em cada sentido. O trecho ligará o balão de interseção entre a Avenida Pitangueiras e a Avenida Parque Águas Claras e passará pela área doada pela Residência Oficial do GDF e levará à EPTG.

Conforme a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), Águas Claras tem mais de 100.000 pessoas que residem na cidade, espalhadas em 54.782 domicílios. 87% dessas residências têm pelo menos um veículo na garagem.

“Esperamos que seja rápida […] uma cidade nova que recebe uma boa quantidade de obras […] precisamos de parceria com as empresas privadas para trazer melhorias para a população […] Não é um governo de burocracia, é um governo que busca solução […] nesse próximo ano temos muito a entregar”, disse Ibaneis Rocha.

A obra contou com o apoio do Deputado Federal Luis Miranda (DEM-DF) que destinou 6 milhões em emendas parlamentares. “Eu via aquele engarrafamento diário para Águas Claras, e aquilo ocorre porque não tem pista de escoamento. Tanto que a EPTG fica mais leve. A região ficava com trânsito mais pesado, porque acumulava todo mundo em cima daquele balão da Euro-Americana”, disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar