Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Ibaneis avalia gestão da pandemia como positiva no DF

“Fomos o primeiro estado da federação a fechar”, afirmou o governador

Foto: Renato Alves / Agência Brasília

Elisa Costa

Em uma entrevista cedida à imprensa no último dia de 2021, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) deu nota oito de dez para a atuação da sua gestão durante a pandemia da covid-19. “Fomos o primeiro estado da federação a fechar. Seguramos as medidas e fomos abrindo ao longo do tempo. Conseguimos dar segurança e chegamos em uma condição em que as pessoas estão vivendo com cada vez mais tranquilidade”, frisou.

O chefe do Buriti contou que a pandemia trouxe um saldo negativo para a saúde, e deu o exemplo das cirurgias eletivas, que não estavam sendo realizadas: “Deixamos de atender aquelas cirurgias mais simples para poder atender os pacientes de covid que estavam necessitando de UTI”. Contudo, na sua visão geral, considera que a gestão conseguiu lidar bem com a situação e tranquiliza a população ao pontuar que tudo está dentro da normalidade.

Ibaneis destacou que a inauguração de novas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Unidades Básicas de Saúde (UBSs) teve o objetivo de diminuir o impacto da pandemia dentro dos hospitais. Por isso, não deixou de citar as ampliações do Hospital Regional de Planaltina e do Hospital Regional de Brazlândia, para incrementar o atendimento ao público.

Em certo momento da entrevista, também avaliou seu governo: “Nosso retorno tem sido muito positivo. Estamos arrecadando mais do que antes. […] Então, aquilo que for necessário, nos espaços onde a gente tiver condições de fazer, nós vamos fazer”, e lamentou: “Era para ter avançado mais se não fosse a pandemia”. Ibaneis comemorou que as contas do governo e dos servidores estão pagas, além dos benefícios sociais, e para 2022, prometeu manter o foco para trabalhar por mais avanços em prol da população do Distrito Federal.

Carnaval e ômicron

E, falando em 2022, é provável que o próximo Carnaval seja cancelado, devido ao avanço da variante ômicron na capital. O governador já deixou claro em outra entrevista, que não acha seguro a realização das festas, sejam elas públicas ou privadas.

Isso porque, atualmente, o DF possui 26 casos de contaminação pela nova cepa, onde 3 deles colocaram a cidade no patamar de contaminação comunitária, quando a origem da infecção não consegue mais ser rastreada. Para o chefe do Executivo, que acompanha a situação junto à Secretaria de Saúde, a vacinação permite que o DF não sofra um agravamento da doença.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Contratações e obras: destaques da gestão

Ibaneis Rocha destacou na entrevista cedida à imprensa, as obras rodoviárias e a contratações de novos servidores públicos feitas pela sua gestão. Segundo o chefe do Executivo local, a principal entrega do GDF em 2022 deve ser a do túnel de Taguatinga, no mês de junho.

“O modelo de transporte que é feito é ponta-a-ponta. A pessoa entra no ônibus na Samambaia e vem descer no Plano Piloto e isso dificulta o sistema público, porque você não tem o reabastecimento ao longo das linhas. Então, utiliza-se muito o transporte veicular, as pessoas fazem isso com muita constância no Distrito Federal, mas o foco dessas obras todas é exatamente facilitar o transporte via ônibus”, explicou Ibaneis.

Também foi citada a construção do corredor de ônibus na Avenida Hélio Prates, que começará no final da Ceilândia e terminará na via Estrutural, além da ampliação da Estrada Parque Taguatinga, que irá abranger do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) até o Setor Policial e o Eixo Monumental. “Todo o pensamento é voltado para que a gente tenha um transporte mais ágil”, reforçou. Mesmo com tantas novidades, Ibaneis Rocha afirmou que o preço da tarifa de ônibus deve se manter estável em 2022.

Com relação à nomeação de servidores, o governador lembrou que a fila de professores que faltavam tomar posse foi zerada. “Ninguém pode querer uma educação de qualidade se você não tiver professores”, comentou. Só nos últimos meses de 2021, 539 professores foram adicionados à rede pública.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na saúde não foi diferente. No segundo semestre de 2021, o GDF empossou 396 profissionais para atuar nos centros e unidades públicas da cidade: entre eles, médicos, enfermeiros e assistentes, e prometeu a chamada de mais 400 com o mesmo objetivo de “zerar” a fila e abrir novos processos seletivos. Para várias áreas diferentes, o novo secretário de Economia do DF, José Itamar Feitosa anunciou a abertura de 28 editais para o ano de 2022.

Também estão sendo feitas obras voltadas para o esporte na capital, com o intuito de incentivar e promover a prática. Segundo o mandatário, os campos de grama sintética estão em processo de reformulação e reconstrução.








Você pode gostar