Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

GDF Saúde terá redução de valores e atendimento nacional

As novidades foram anunciadas pelo governador Ibaneis Rocha nesta quarta, véspera do Dia do Servidor, em cerimônia no Palácio do Buriti

Foto: Agência Brasília

O plano de saúde dos funcionários públicos do Distrito Federal, GDF Saúde, terá uma rede de atendimento nacional, sem custo adicional para aqueles que já fazem parte do plano. Além disso, uma nova linha para servidores que recebem até cinco salários mínimos também será criada.

As novidades foram anunciadas pelo governador Ibaneis Rocha nesta quarta-feira (27), véspera do Dia do Servidor, em cerimônia no Palácio do Buriti. Com a mudança, o GDF Saúde passa a ter duas linhas, uma nacional e outra distrital.

O plano nacional é para aqueles servidores que já fizeram sua adesão e, a partir de agora, terão direito a atendimento em rede nacional. Já o plano distrital será para servidores com remuneração de até cinco salários mínimos que se interessarem em aderir ao GDF Saúde. Este, porém, não dá direito a atendimento em rede nacional.

As mudanças foram sugeridas pelo governador Ibaneis Rocha e elaboradas pelo Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal (Inas), que administra o plano. “Amanhã (quinta, 28), nós vamos lançar mais uma linha do plano para aqueles que ganham menos. Mas nós já temos um plano de saúde que foi prometido por diversos governadores e agora ele é realidade. E sabe por quê? Porque nós nos preocupamos com as vidas e as famílias dos servidores”, disse o governador Ibaneis Rocha durante o anúncio.

Na prática, o GDF Saúde distrital vai representar uma redução de 50% nos valores pagos atualmente. Quem paga hoje R$ 400 na condição de titular, vai desembolsar R$ 200. A redução vale para dependentes e também para aposentados e pensionistas e seus dependentes.

“Nós temos um leque de 48 mil servidores que recebem até cinco salários mínimos e que não aderiram ao plano por uma série de questões. Sabemos que o custo de vida subiu, a gasolina está mais cara, o gás também, então criamos essa linha para atender esses servidores”, explica Ney Ferraz, presidente do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal (Inas). As mudanças vão ser feitas por meio de portaria a ser publicada no Diário Oficial do Distrito Federal.

1 ano salvando vidas

Lançado pelo GDF em 28 de outubro de 2020, o GDF Saúde já atende cerca de 50 mil vidas. Neste período, foram realizadas 52 mil consultas, mais de 800 cirurgias e quase duas mil internações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O plano conta hoje com 26 hospitais credenciados e mais de 2,2 mil prestadores de serviço credenciados, entre clínicas, laboratórios, associações e também uma cooperativa. Em relação ao tratamento de covid-19, foram 323 internações pela doença, sendo que 74 resultaram em internação em UTI. Também de um ano para cá, os beneficiários fizeram quase seis mil exames RT-PCR pelo plano de saúde.

“O GDF Saúde hoje é uma realidade e salva vidas. São quase 50 mil vidas que se beneficiam do GDF Saúde. A nossa rede credenciada está entre as melhores do Distrito Federal”, acrescenta Ney Ferraz.

Aprovação

Uma pesquisa recente feita pelo Inas apontou que 92% dos beneficiários do GDF Saúde estão satisfeitos com o plano. Foram entrevistadas 2.788 pessoas por telefone ou plataforma digital.

A consulta aos beneficiários abrangeu temas como: o grau de satisfação, a rede credenciada, a cobertura de procedimentos, o atendimento, os prazos de autorizações, a qualidade do atendimento nos hospitais credenciados, entre outros. “A nossa principal conquista é a satisfação dos beneficiários, que colocaram o GDF Saúde na ‘Zona de Qualidade’ , com índices de 92% de aprovação na última pesquisa feita por nós”, comemora Ney Ferraz.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A servidora pública Beatriz Machado Carneiro de Abreu, de 52 anos, é beneficiária do plano desde junho de 2021. Ela conta que a experiência tem sido positiva. “Comecei a usar o plano fazendo meus check ups e fui bem atendida em todos os lugares que fui, tanto as clínicas quanto os laboratórios. As autorizações para exames foram rápidas”, afirma. Ainda segundo Beatriz, foi uma grande surpresa quando o governador Ibaneis Rocha anunciou a criação do plano em 2020. “Foi uma grande alegria. Os planos de saúde estão muito caros e o custo do GDF Saúde é muito bom. Muitas vezes não usamos o plano, e esse sendo coparticipação você paga pelo o que usou”, disse.

A professora Élbia Pires de Almeida, de 48 anos, aderiu ao plano em maio de 2021. Ela comemora o fato de o plano ter saído do papel após anos de luta dos servidores. “Já utilizei os serviços e até o momento não tive dificuldades para usar o plano de saúde. Fui bem atendida. Há avanços a serem feitos no nosso plano, mas para este primeiro ano ele tem respondido às minhas expectativas. Estou muito satisfeita com o GDF Saúde”, conta.

As informações são da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar