Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Em 2019, “Novo Lázaro” tentou matar uma mulher e debochou do caso. Veja vídeo

O caso teria ocorrido após Wanderson chegar em casa e obrigar a irmã de sua madrasta a entrar com ele em um quarto

Foto: Reprodução

O caseiro Wanderson Mota Protácio, 21 anos, tido como “Novo Lázaro” após matar a esposa, a enteada e um fazendeiro no último domingo (28), já havia tentado matar outra mulher em 2019. À época, no depoimento sobre o caso, Wanderson debochou da situação.

O caso teria ocorrido após Wanderson chegar em casa e obrigar a irmã de sua madrasta a entrar com ele em um quarto. A jovem se negou, e o suspeito teria começado a esfaqueá-la e só parou após a faca quebrar. Em seguida, ele fugiu e se escondeu em uma casa vizinha. A vítima foi socorrida e levada ao Hospital Municipal de Goianópolis.

No vídeo abaixo, revelado pelo jornal Correio Braziliense, Wanderson é perguntado sobre a tentativa de feminicídio e diz, rindo, que não se lembra do que aconteceu. Depois, no entanto, ele muda a versão, diz que, antes do crime, estava na casa de um amigo usando drogas e confessa que esfaqueou a jovem. Assista:

O caso levou Wanderson a ser preso. Em depoimento posterior, ele admitiu o crime e justificou-se dizendo que estava embriagado e sob efeito de maconha e cocaína. O caseiro foi solto em março de 2020 sob medidas cautelares.

Terceiro dia de buscas

As buscas por Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, chegaram ao terceiro dia nesta quarta-feira (1º). Suspeito de matar a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro Abadiânia-GO, Wanderson está foragido desde o último domingo, o que amedronta moradores da região.

Wanderson assassinou e degolou a facadas a companheira Raniere Aranha, 19 anos, e a enteada Geysa Aranha, 2 anos e 9 meses, na noite do último domingo (28), em Corumbá de Goiás, localizada a cerca de 124 km de Brasília. O criminoso também invadiu a fazenda vizinha, roubou a arma do fazendeiro Roberto Clemente de Matos, 73 anos, e atirou contra ele. O homem também disparou contra a esposa de Roberto, Cristina Nascimento da Silva, 45 anos, que sobreviveu.

Outro fator que preocupa moradores é a semelhança com o “Caso Lázaro”: em junho deste ano, Lázaro Barbosa de Sousa cometeu uma chacina contra uma família que vivia em uma chácara no Incra 9, em Ceilândia, e conseguiu fugir de mais de 200 policiais durante 20 dias entre as regiões de mata de Ceilândia, Águas Lindas de Goiás e Cocalzinho de Goiás. Durante os dias de fuga, Lázaro invadiu e roubou fazendas, trocou tiros, sequestrou moradores e mobilizou polícia e imprensa antes de ser morto em confronto com policiais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar