fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Laboratório que desenvolve a Coronavac afirma estar confiante na segurança da vacina

Sinovac Biotech e Instituto Butantan viram com estranheza a ordem da Anvisa de interromper os testes. A causa teria sido um óbito, mas o instituto afirma que não tem a ver com a vacina

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciar a suspensão temporária dos testes da Coronavac, a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, responsável pelo desenvolvimento da vacina, veio a público nesta terça-feira (10) afirmar que confia na segurança do imunizante.

A Anvisa suspendeu os testes da fase 3 do imunizante porque, segundo a agência, houve um “evento adverso grave”. A Sinovac respondeu: “Ficamos sabendo que o chefe do Instituto Butantan acreditava que esse evento adverso grave não tem relação com a vacina”, disse. “Estamos confiantes na segurança da vacina.”

No Brasil, os testes são realizados pelo Instituto Butantan, de São Paulo. O diretor do instituto, Dimas Covas, disse à TV Cultura na segunda (9) que estranhou a suspensão temporária dos testes. Covas afirma que o caso ao qual a Anvisa se refere é de “um óbito não relacionado à vacina”. “Não existe nenhum momento [ou motivo] para interrupção do estudo clínico.”

“Como são mais de 10 mil voluntários nesse momento, pode acontecer óbitos. Nesse momento, [o voluntário] pode ter um acidente de trânsito e morrer. Ou seja, é um óbito não relacionado à vacina”, disse Covas.

Agora, o Instituto Butantan espera esclarecimentos da Anvisa sobre a interrupção ainda nesta terça (10).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade