Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Gastronomia

Bodega Zorzal, vinhos de paisagem

Participei da degustação de alguns vinhos desta vinícola, a convite do seu representante em Brasília, Wanderson Costa, da empresa WM Vinhos

Por Cynthia Malacarne 18/08/2023 11h47
Foto: Cynthia Malacarne

Localizada aos pés da Cordilheira dos Andes, em Gatallary, Valle de Uco, Mendoza, Argentina, a Vinícola Zorzal tem como filosofia o respeito à terra e à enologia de mínima intervenção.

Gatallary é um terroir único, com solos calcários, clima frio e altitude de 1.350 metros sobre o nível do mar, onde nascem vinhos diferentes, fluidos, com nervo e muita vida, exemplares que expressam seu lugar de origem.

Foto: Divulgação

Participei da degustação de alguns vinhos desta vinícola, a convite do seu representante em Brasília, Wanderson Costa, da empresa WM Vinhos. Pude conversar com o enólogo Juan Pablo Michelin, que me contou um pouco da história, conceito e vinificação de seus vinhos.

No início do nosso bate-papo, Michelin explicou o significado do nome — Zorzal é um pássaro de montanha e, além disso, o cantor de tango mais famoso da história, Carlos Gardel, era chamado de Zorzal Criollo, pela maneira como cantava. Assim, quiseram expressar no nome uma mescla de tango, paixão argentina, com o terroir.

Foto: Divulgação

A vinícola foi criada em 2008, construída pelo pai do enólogo, que junto com seus irmãos, iniciou a elaboração dos vinhos. Gostaria apenas de adicionar uma informação que talvez poucos brasileiros saibam: os irmãos Michelini ficaram muito famosos no mundo pela maneira como elaboram seus vinhos, especialmente os da variedade Malbec, foram pioneiros no uso dos Ovos de Concreto, na vinificação com menos extração, ao deixar os vinhos dessa variedade mais elegantes e frescos.

Foto: Divulgação

Segundo Michelini, seu objetivo é elaborar vinhos que captam a expressão do lugar, mostrando de alguma maneira a montanha, a altura e a mineralidade do solo. Em segundo plano, mas não menos importante, a interpretação da montanha em vinho, que se traduz na elegância e em texturas, assim não buscam vinhos encorpados, extrativos e com madeira marcante.

Foto: Cynthia Malacarne

Zorzal é uma vinícola boutique, considerada de pequeno/médio porte quando se fala de Argentina, com uma produção média entre 200 mil e 250 mil garrafas. Atualmente cultivam malbec, pinot noir, sauvignon blanc, semillion, chardonnay, cabernet franc e cabernet sauvignon.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Divulgação

O trabalho que Juan Pablo executa com a uva Malbec é impressionante. Confesso que não sou fã dos vinhos argentinos elaborados com essa variedade (por favor não me julguem, rs), mas os vinhos da Zorzal me impressionaram. Desfrutei de cada gole do malbec que provei. São vinhos onde o frescor, a fruta fresca e o terroir se expressam. Tudo muito equilibrado, com bastante elegância, sem excessos. Uma obra de arte!

Michelini disse várias vezes uma frase que, no fim da degustação, fez todo sentido para mim: “Meus vinhos são vinhos de paisagem”. É isso! São vinhos singulares de um lugar único, onde a natureza dita as regras.

Juan Pablo comentou que, no início, o malbec que ele e os irmãos produziam era impossível de vender porque era muito diferente, o consumidor tinha outro paladar e a gastronomia também era muito distinta. Há 15 anos, o mundo da viticultura e enologia era de apenas um malbec, extrativo, encorpado e marcado com muita madeira. Os Michelini começaram com um conceito totalmente diferente, dando protagonismo para o terroir, o meio onde a uva é cultivada, ressaltando a matéria-prima em primeiro lugar.

Em relação aos vinhos que provei, gostaria de ressaltar que gostei de todos os vinhos malbec. Sim, gostei de verdade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O primeiro vinho, Terroir Único, é elaborado com uvas colhidas de distintos lugares do vinhedo, que, apesar de estarem no mesmo lugar, possuem diferentes solos, como arenoso, quartzo, pedra e calcário. A ideia é poder ter toda essa diversidade em uma só garrafa, para mostrar ao consumidor como é um malbec com sua pureza de Gualtallary.

Foto: Cynthia Malacarne

O segundo vinho, Gran Terroir Malbec, é vinificado com uvas que estão nas parcelas de vinhedos em solo calcário. Segundo Michelini, esse solo dá textura à boca, como se fosse uma areia que vai passando pelo paladar, secando-o. É um vinho gastronômico. A maturação desse vinho ocorre em barricas de carvalho francês usadas, de quinto ou sexto uso. O carvalho ajuda, neste caso, pela micro oxigenação, para deixar o vinho mais elegante, polir taninos, fazê-lo mais suave e vertical.

Foto: Cynthia Malacarne

O terceiro vinho, Eggo, marca uma ruptura entre a Argentina dos vinhos encorpados, opulentos, exuberantes, e a Argentina de fineza e elegância. Segundo Juan Pablo, quando ele e seus irmãos começaram a elaborar vinhos seguindo uma enologia menos invasiva, de mínima intervenção, começaram a descobrir métodos mais orgânicos e chegaram no biodinâmico. Em uma viagem à França, pararam em um vinícola que tinha ovos de concretos e, ao regressar à casa, começaram a trabalhar com esse material. Foram os primeiros a vinificar utilizando ovos de concretos na América do Sul. O vinho Eggo é o mais premiado da Zorzal.

Foto: Cynthia Malacarne

O último vinho, El Barba, já começa a impressionar pela aparência, o desenho criado por um artista espanhol, expressa no rótulo as paisagens da vinícola Zorzal. O nome também é bastante curioso, na Argentina algumas pessoas costumam se referir a Deus como “El Barba”, e o nome El Barba vem daí, segundo Michelini. Quando plantaram esse vinhedo, depois de três anos fizeram o vinho. E era tão incrível e distinto dos outros, com uma identidade própria, que começaram a falar entre os irmãos: “Isso é El Barba!” E assim ficou o nome. Este é o vinho ícone da vinícola e representa o equilíbrio perfeito entre a elegância e a mineralidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Foto: Cynthia Malacarne

Posso ficar horas explicando a complexidade desses vinhos, mas a melhor forma de entendê-los será provando-os. Em Brasília, é possível comprar pelo site www.wmvinhos.com.br. Contato pelo telefone (61) 99204-1243 ou pelo Instagram @wmvinho.com.br.

Vem aí o Wine & Farm 2

Vinhos variados, boa música e gastronomia. O festival que reúne tudo isso em um só lugar está de volta! O Wine & Farm acaba de ganhar uma nova edição. O evento fez tanto sucesso que terá um dia a mais para atender todo o público interessado. Nos dias 15 e 16 de setembro, o jardim da Small Farm Costelaria Gaúcha recebe o Wine & Farm 2, para movimentar ainda mais o cenário enogastronômico da cidade.

Foto: Divulgação

Criado para quem ama vinho, lugar bonito e música boa, o festival terá duração de seis horas, das 17h às 23h. O Wine & Farm 2 chega em um formato totalmente diferente das tradicionais degustações de vinhos: as bebidas serão servidas em duas dosagens, de 75 ml e 100 ml, e os preços serão divididos em quatro categorias: R$ 8, R$ 12, R$ 15 e R$ 20.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para acompanhar, a casa oferece um menu de petiscos que harmonizam com os diferentes vinhos. Tem carpaccio, burrata, croquetes de costela, tábua de queijos variados, tábua de frios, pastéis de costela e polenta frita.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Foto: Divulgação

Os valores são de R$ 25 (1º lote até 05/09) e R$ 35 (2º lote a partir de 06/09). O ingresso dará direito a uma taça personalizada e também a uma dose de vinho de 75 ml. Todos os produtos restantes, desde vinho, água, comida e brinquedoteca serão vendidos separadamente.

Garanta seu ingresso com preço especial e chegue cedo para curtir o evento e garantir uma mesa.

15/09: https://www.sympla.com.br/evento/wine-farm-15-09/2116481
16/09: https://www.sympla.com.br/evento/wine-farm-16-09/2116500

“Vinhedo no Jardim” chega ao Conjunto Nacional

Até este domingo (19), é realizado, no Jardim Urbano do Conjunto Nacional, o evento Vinhedo no Jardim. Em sua primeira edição, a feira celebra a tradição da família Borges, que atua no ramo de vinhos há mais de 40 anos.

Idealizado e produzido por Carlos Borges, sommelier da Associação Brasileira de Sommeliers do Distrito Federal (ABS-DF), o evento conta com feira de vinhos, com exposição e degustação das marcas Terranostra, Cs Vinhos, Due Eventos, Pharofa Premium, Nilwines, La Priori e Doc Vinhos, além de cursos e palestras sobre vinhos com profissionais renomados como Felipe Matos Somm e Rachel Nariyoshi, da Confraria Amigas do Vinho. Na ocasião, também será possível apreciar a programação musical, com apresentações de Pedro Castro (17/08); Gizelly Di Sousa (18/08) e Duo Carvalho Braga (19/08).

O evento é gratuito.






Você pode gostar