Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Coluna Marcelo Chaves

Caso Lázaro: família suíça quer ajudar filhos do assassino

Consternados com a situação dos órfãos, família está a disposição para arcar com os custos dos estudos, plano de saúde e demais gastos

Por Marcelo Chaves 03/08/2021 6h18

Uma família da Suíça procurou os representantes legais dos filhos do criminoso Lázaro Barbosa, morto em confronto com a polícia de Goiás após uma sequência de crimes e semanas foragido. Consternados com a situação dos órfãos, os suíços se colocaram à disposição para arcar com os custos dos estudos das crianças, bem como do plano de saúde e demais auxílios.

Uma fonte da coluna destacou que a família da Suíça não pretende enviar dinheiro para os responsáveis pelas crianças, e sim efetuar os pagamentos das faturas de escolas, planos de saúde e outros auxílios. Tudo a ser combinado de maneira clara e legal. Ao que tudo indica, os familiares das crianças, que vivem em precária situação financeira, aceitarão a ajuda.

O criminoso

Foragido desde o último dia 9 de junho, após uma chacina no Incra 9 (Ceilândia), Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, foi morto após troca de tiros com policiais em uma segunda-feira 28 de junho. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), anunciou nas redes sociais a prisão. Minutos depois, a Polícia Civil de Goiás (PCGO) confirmou a morte.

O vídeo abaixo mostra o momento em que Lázaro, baleado, é transportado de uma viatura para uma ambulância. Em seguida, ele foi levado ao Hospital Municipal Bom Jesus, mas não resistiu aos ferimentos.

Com entusiasmo, Caiado anunciou a prisão e disse que “Goiás não é Disneylândia de bandido”. Foram 20 dias de buscas. Após a publicação do governador, integrantes da força-tarefa confirmaram a informação.

Depois de mais de duas semanas na região de Cocalzinho de Goiás-GO, a força-tarefa de mais de 270 policiais se deslocou para Águas Lindas de Goiás-GO, onde houve movimentação intensa durante a madrugada. A ex-companheira de Lázaro ajudou nas buscas. O fugitivo teria sido preso no momento em que procurava ajuda pela ex-sogra. Neste momento, houve a troca de tiros.

A polícia ficou mais próxima de prender Lázaro desde a quinta (24/06), quando o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, 74 anos, que estaria dando cobertura ao criminoso, foi preso. O caseiro Elmi, Alain Santana, que trabalhava para Elmi. também foi preso, mas solto em seguida. Ele colaborou com as investigações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Chacina

Lázaro passou 20 dias foragido desde a última quarta-feira (9), quando invadiu a chácara de Cláudio Vidal de Oliveira, 48, e Cleonice Marques Andrade, 43. Eles moravam com os filhos Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. A suspeita é que o homem tenha adentrado a residência da família para roubá-los. Cleonice teria percebido a invasão e tentado ligar para um familiar relatando o caso. Lázaro reagiu matando o marido e os filhos de Cleonice e fugiu com ela em cerca de 10 minutos.

Três dias depois, o corpo de Cleonice foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros (CBMDF) no Córrego da Coruja, localizado entre a BR-070 e a DF-180. Lázaro raptou Cleonice após invadir a casa dela e matar o marido e os dois filhos da mulher. Cleonice estava nua e com ferimentos na nádega esquerda quando foi encontrada. O irmão dela reconheceu o corpo. A 24ª Delegacia de Polícia (Setor O) registrou a ocorrência da localização do cadáver.

Com Willian Mattos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar