Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

Vexames no Planalto

Publicado

em

1 – Dizem que um raio não cai duas vezes o mesmo local. Isso, no entanto, não vale para o time do Gama. Exemplo: em 2004, a rapaziada foi ao Maracanã, após 4 x 4 no Bezerrão, e eliminou o Botafogo da Copa do Brasil, sapecando 3 x 2. Na fase seguinte, teve pela frente o “fracotaço” Palmas, do Tocantins. E caiu diante daquela turma, inacreditavelmente! Em 2007, quando o Vasco da Gama fazia de tudo para Romário marcar o seu milésimo gol, levou o jogo decisivo contra os gamenses, também pela Copa do Brasil, para o “Maraca”, onde a festa deveria ser grande. Só que esqueceram de combinar com o time do DF. Este mandou-lhe 2 x 1, após empate no Mané Garrincha, e tirou o “Almirante” daquela onda. Cheio de moral, o time alviverde candango pegou o Figueirense-SC, na próxima etapa, como favorito. Levou 4 x 2 no Mané e 2 x 1, de virada, em “Floripa”.

2 – Em abril de 2011, Formosa-GO, Brasiliense, Gama e Botafogo-DF disputavam vaga na final do Candangão. No dia 16, o time goiano, que liderava, com três pontos a mais do que o “Jacaré”, empatou com este, por 1 x 1, no Serejão, em Taguatinga. Normal, então. O anormal foi a atuação do árbitro Sandro Meira Ricci, que fora considerado o melhor do Campeonato Brasileiro da Série A-2010. O Formosa vencia, quando o volante Ferrugem entrou na área e simulou ter sido derrubado. Pênalti, cartão amarelo para o zagueiro Kássio e bola na rede por Iranildo. Pouco depois, novo ataque do “Jaca” e nova falta atribuída a Kássio, que voltou a ser amarelado. Mas não foi expulso de campo, como manda a regra. Explicação do melhor árbitro do país: no lance do penal, ele teria punido um outro zagueiro formosense, Luan, que já tinha dois cartões acumulados. E que ficou de fora do próximo jogo, sem ter, na verdade, recebido o terceiro.

3 – A tarde de 30 de abri de 2011 levou 5.594 pagantes ao Serejão, atraídos pelo jogo Brasiliense x Gama, que deveria colocar um deles na final do Candangão, pois todos os prognósticos apontavam para a outra vaga ser do Formosa-GO. Inacreditável! O time goiano perdeu do Botafogo-DF, que não havia somado nenhum ponto no quadrangular seletivo à decisão da temporada. O Gama, com remotas chances de classificação, porque jogaria fora de casa, surpreendeu, venceu o “Jacaré” e levou a segunda, com 2 x 1, abrindo dois gols de frente, por intermédio de Ederson, aos 36, e de Hugo, aos 38 minutos do primeiro tempo – aos 43, Teco fez o tento do rival. O treinador gamense, Heriberto Cunha, armou seu time com cinco caras no meio-de-campo e a sua rapaziada – Vizoto; Alan, Da Silva, Rafael Pedro e Dudu; Thiago Gaúcho, Thiago Matos (Roan), Tallys, Ederson e Hugo (Thyago Fernandes); Elivelto (Joabel) – deixou Gílson; Patrick, (Adrianinho), Raphael, Teco e Cicinho; Deda, Ruy, Ferrugem e Iranildo (Fabiano Gadelha);Rômulo e Bebeto (Acosta), bem como o técnico Reinaldo Gueldini, sem explicações convincentes para o vexame. “Vexamaço” do favorito, que levou o Gama para a final.

3 – Gama e Brasiliense fizeram o primeiro jogo da final do Candangão-2011 diante de 14.912 pagantes, público espetacular para o futebol da terra, e até brasileiro da época. Por ter vencido o rival, na casa dele, no domingo anterior, e por jogar diante de sua torcida, o time gamense entrou em campo favorito. O duelo, que era tido como o “clássico candango”, foi duríssimo, estudadíssimo. Só aos 41 minutos do segundo tempo saiu um gol, marcado por Hugo, para o anfitrião. E a torcida do alviverde começo a ver a sua turma com a faixa de campeão no pescoço. Só que não viu muito, não! Aos 45 minutos, com um homem a manos – o zagueiro Moacri fora expulso aos 14 minutos da etapa final – , em lance de bola parada, o zagueiro Raphael apareceu para empatar: 1 x 1. Daquele vez, o vexame foi do técnico Heriberto Cunha e dos jogadores Léo; Da Silva (Hugo), Pedrão e Rafael; Dudu, Tyago Fernandes), Everton, Thiago Gaúcho e Ederson; Elivelto (Joabel) e Tallys. Para o comandante Reinaldo Gueldini e a patota formada por Gílson; Cicinho, Moacri, Teco e Chiquinho; Deda, Ferrugem, Ruy, Iranildo (Raphael) e Adrianinho (Felipe); Rômulo (Acosta), que esperassem, pelo jogo final, em sua casa. Mas isso é assunto para uma nova coluna. Quem foi o campeão candango-2011?


Você pode gostar
Publicidade