Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

Segundo amistoso do Gama

O segundo amistoso da equipe com do DF com mais títulos na história foi diante do Flamengo, em 1978. Relembre!

Publicado

em

Bezerrao
Foto: Camila Bairros/DF Sports+
Publicidade

No dia 5 de março de 1978, com dois anos e quatro meses de vida, o Gama disputou o seu segundo amistoso contra um grande clube brasileiro. Foi numa ensolarada manhã de domingo, no Bezerrão, com 0 x 2 Flamengo – antes, havia perdido, por 0 x 3, do Botafogo, na inauguração daquele estádio.

O jogo teve público pequeno e renda de cerca de Cr$ 80 mil cruzeiros, a moeda da época. No primeiro tempo, o Gama segurou o 0 x 0. Na fase final, com melhor rendimento do lateral-esquerdo Júnior e a entrada de Luis Paulo, o Fla cresceu e abriu o placar. Osni entrou pelo meio e serviu Tita, que bateu, quase da pequena área, sem chances para o goleiro Wilmar.

No segundo gol, Júnior iniciou a jogada, pela sua lateral, foi até a entrada da área, serviu Adílio, que foi quase à linha de fundo, cruzar para o meio da área. Osni viu Júnior penetrando, fez a “deixada de bola”, e o “Capacete” pegou de primeira, fechando o placar: 2 x 0

Júnior foi decisivo no amistoso. Foto: Reprodução

O Gama, treinado por Eurípedes Bueno, foi: Wilmar ‘Gato’; Carlão (Kel), Marinhp, Júnior e Odair (Quidão): Santana, Gaúcho (Paulinho) e Júlio; Chiquinho (Lelé), Roldão e Aluísio. O Flamengo teve: Cantareli: Ramirez, Rondineli (Dequinha), Nelson e Vanderlei Luxemburgo (Júnior): Merica, Adílio e Valdo (Luis Paulo); Júnior Brasília, Osni (Lino) e Tita. Árbitro: José Mário Vinhas, auxiliado por Edson Resende e José Raimundo Vidal.

Doze dias depois, o Gama fez o seu terceiro amistoso contra um grande clube. De volta ao Bezerrão, o Botafogo venceu por apenas 1 x 0. Tudo porque o técnico gamense, que já era Airton Nogueira, que assumira o comando duas semanas antes, mandou Manoel Ferreira colar em Mário Sérgio, tirando 50% da força do time carioca, pois seu lançador não pode produzir.

O Botafogo só criou dois lances perigosos no primeiro tempo, quando Manoel Ferreira não marcava Mário Sérgio e este lançou. O gol botafoguense, por sinal, só saiu quando Ferreira já estava esgotado pelo trabalho de marcação. Após desarmar e driblar Mário Sérgio, ele tentou passar a bola a Santana. Mendonça a interceptou, tocou a Mário Sérgio, que lançou, na medida, para Nilson Dias marcar: 1 x 0.

O Gama jogou com: Wilmar; Carlão, Quidão, Marinho (Kel) e Manoel Silva; Santana, Júlio e Manoel Ferreira; Roldão, Niltinho (Vicente) e Tico (Gaúcho). O Botafogo teve: Zé Carlos; Perivaldo, Osmar (Geraldo) e  Renê e Beto (Ricardo); Luisinho, Mendonça e Mário Sérgio: Nílson Dias (João Paulo), Dé e  Clóvis (Ademir. Técnico: Zagallo. Árbitro: José Mário Vinhas,  auxiliado por Carcírio Marinho e Luís Vilhena. Renda: Cr$ 133.839,00.


Você pode gostar
Publicidade