Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Periquito escorregão

Gama conquistou vitória que não serviu para nada

Por Gustavo Mariani 24/11/2021 11h50
Foto: Fernando Torres/Divulgação/Paysandu

A vitória na noite de 10 de maio de 2016, no Bezerrão, por 2 x 1, de nada serviu para o Gama. Como havia perdido o jogo de ida, em Belém do Pará, por 0 x 2, o “Papão” ficou com a Copa Verde, por gols acumulados: 3 x 2. Em 2015, o Brasília Futebol Clube havia conquistado o caneco, vencendo o mesmo Paysandu, nos pênaltis. Na Copa Sul-Americana, eliminou o Goiás e foi eliminado pelo Athletico-PR.

O primeiro gol de Gama 2 x 1 Paysandu saiu aos dois minutos, com Raí pegando forte, de fora da área. Foi o único da etapa em que o “Papão” esperava pressão gamense total. Gol sofrido, o Gama tentou usar a velocidade do garoto Héricles e a agilidade do artilheiro Rafael Grampola, mas esbarrou na tática paraense de segurar o jogo à base de faltas duras. Mas quem teve jogador expulso de campo foi o Gama. Aos 27 minutos, Raone dividiu bolada com Roniery, tentou acertar-lhe um chute e recebeu o cartão vermelho.

Com um a mais, o visitante passou a administrar a vantagem. Com isso, abriu espaços para o anfitrião dominá-lo, embora sem oferecer perigos iminentes. Aos 32 minutos, na melhor oportunidade da etapa inicial, Fabio Gama lançou Héricles e este, de dentro da área, concluiu e viu uma grande defesa do goleiro Emerson. A bela defesa, no entanto, foi à toa, pois o árbitro viu impedimento no lance. Aos 40, Rafael Grampola bateu falta, da intermediária, mas a bola saiu muito alta e para fora.

No segundo tempo, o Gama foi para o tudo ou nada, mas errava muitos passes. Aos 23 minutos, Grampola perdeu uma ótima chance de empatar. Lançado por Fabio Gama, dentro da área, em vez de chutar, ele tentou driblar Roniery e perdeu a bola para Fernando Lombardi, que sumiu com a pelota dali.

Aos 25, Rodrigo Andrade investiu, pela esquerda, livrou-se de marcação alviverde lançou Leandro Cearense. Este botou bola na frente, foi mais veloz, entrou na área, mas concluiu errando o alvo. O Gama respondeu logo em seguida. Ítalo, de 18 anos, atacou, por um dos flancos, cruzou a bola para a área. Rafael Grampola subiu, cabeceou e empatou o jogo, aos 29 minutos.

Animado, o Gama engatou um contra-ataque. Gualberto e Fernando Lombardi não conseguiram parar Grampola, que dominou a bola dentro da área. Ele tentou o drible, caiu e o árbitro Elmo Resende viu pênalti, aso 34 minutos. Grampola cobrou, marcou, virou, mas não serviu para nada. Vice-campeão e último colocado, no Brasil, é a mesma coisa.

FICHA TÉCNICA

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

10.05.2016 – (terça-feira). Estádio Bezerrão, no Gama-DF.

Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha-GO, auxiliado por Cristhian Passos Sorence-GO e Leone Carvalho Rocha-GO

Público pagante: 9.090 torcedores. Renda: R$ 120.830,00

Gols: Raí, aos 2 min do 1º tempo; Rafael Grampola, aos 29 min e aos 34 min do 2 tempo (pênalti)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cartões amarelos: Ítalo e Eduardo (Gama); Emerson, Roniery, Gualberto, Ricardo Capanema, Augusto Recife, Raí e Raphael Luz (Paysandu)
Cartões vermelhos: Raone (Gama); Ricardo Capanema (Paysandu)

GAMA

Pereira; Pedrão, João Paulo e Eduardo (Formiga); Dudu Gago (Adriano), Lucas Judivan (Ítalo), Michel Pires, Fabio Gama e Héricles; Rafael Grampola e Raone. Técnico: Reinaldo Gueldini

PAYSANDU

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Emerson; Roniery, Fernando Lombardi, Gualberto e Lucas; Ricardo Capanema, Augusto Recife, Celsinho e Raí (Rodrigo Andrade); Fabinho Alves (Raphael Luz e depois Paulinho) e Leandro Cearense. Técnico: Dado Cavalcanti








Você pode gostar