Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

A filha do Rei

Publicado

em

Reuters

No 7 de abril de 1969, a Seleção Brasileira foi a Porto Alegre participar dos festejos de inauguração do estádio do Internacional, o Beira-Rio, e vencer o Peru, por 2 x 1. À noite, o lateral-esquerdo Everaldo, gaúcho que faria parte do time tri, no México-70, armou uma festinha para a rapaziada em sua casa. Entre os convidados, estava uma bela morena, de 20 de idade, Lenita Kurtz.

Gremista fanática, de até assistir treinos, e amigona de alguns jogadores, Lenita deixou Pelé encantado. E rolou paquera.  Resultado: no 6 de janeiro de 1970, Dia de Reis, nascia mais uma filha do “Rei do Futebol”, a paulistana Flávia Christina Kurtz Vieira de Carvalho.

Pelé já era casado, com Rosermary Cholby, e pai de Kelly Cristina – gerou mais duas mulheres, Jennifer e Celeste, além de Edinho. Um outro filho seu homem, Joshua, foi do casamento com Assíria Lemos.

Por carta anônima, Rose ficou sabendo do caso fez questão de conhecer mãe e filha. Da mesma forma, Dondinho e Celeste, os pais, Zoca e Maria Lúcia, os irmãos, também tiveram conhecimento, mas nenhum deles contou nada ao “Camisa 10”.

Em 1989, no entanto, uma amiga de Lenita, a artista plástica Elisabeth Machado Kael, única pessoa a também saber de quem Flávia era filha, resolveu escrever duas cartas a Pelé  – sabia que uma seria aberta pelos seus assessores da Pelé Sports, em Santos-SP, e poderia não chegar ao destinatário, e a outra para a sua residência, em Guarujá-SP. Esta chegou ao “Rei” e este telefonou para a remetente. Foram 45 minutos de papo e, em 1990, o advogado Samir Abdul Hack  – foi presidente do Santos FC – informou a  Beth que o Pelé queria reconhecer a paternidade de Flávia.

Aos 20 de idade, a moça foi para São Paulo, sozinha, encontrou-se com Pelé e este até a levou para um campo de futebol onde gravaria cenas de um documentário esportivo. Também, posaram par uma foto juntos. Durante 12 temporadas, Pelé sempre conversava, por telefone, com Beth, nunca com Lenita, que só voltou a vê-lo mais uma vez, durante no embarque do escrete nacional no aeroporto Salgado Filho, da capital gaúcha.

Quando Flavia estava com dois de idade, Lenita casou-se, em São Paulo, com  Juarez Machado Vieira, com quem teve, ainda, Viviane Priscilla. Ele registrou Flávia como sua filha e a garota cresceu chamando-o por “pai”.  Após o encontro com Pelé, este passou a custear os seus estudos de fisioterapia, em Porto Alegre, pois se deram muito bem. Ao contrário de Sandra Regina, filha de Pelé com Anísia Machado, quando ele iniciava a carreira – a acusava de ter procurado a imprensa e não ele para falar do fato.   

Gaúcha, de Santa Cruz do Sul, Lenita guardou para o país segredo de 32 temporadas. A Flávia, o contou quando ela chegou aos 18. Ainda bem que tudo terminou bem e segue muito bem. Principalmente, porque o “Rei do Futebol” dispensou exame de DNA, para sentir-se seguro como pai de Flávia. Disse para Celeste: “A cara dela não nega” – realmente. Veja se a foto é capaz de desmentir.


Você pode gostar
Publicidade