Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Consumidores que perderam dinheiro em criptomoedas culpam CR7 e cobram R$ 5 bilhões

Nos EUA, o jogador português foi o principal garoto propaganda numa promoção da Binance, a maior bolsa de criptomoedas do mundo

Por Marcondes Brito 29/11/2023 2h42
Reprodução

O astro português Cristiano Ronaldo está enfrentando uma ação coletiva nos EUA por causa da promoção da Binance, a maior bolsa de criptomoedas do mundo.

Os demandantes afirmam que seu endosso os levou a fazer investimentos deficitários. Eles estão pedindo indenização de “uma quantia superior a” US$ 1 bilhão (quase R$ 5 bilhões), segundo informa a BBC News.

Em novembro de 2022, a Binance anunciou sua primeira coleção “CR7” de tokens não fungíveis (NFTs), em parceria com Ronaldo. No anúncio, Ronaldo disse que recompensaria os fãs “por todos os anos de apoio”.

Os NFTs são ativos virtuais que podem ser comprados e vendidos, mas que não possuem forma própria no mundo real – em outras palavras, eles só existem digitalmente. Geralmente, eles são usados ​​para marcar a propriedade de algo, como uma foto ou vídeo online.

“CR7” refere-se às iniciais e ao número da camisa de Ronaldo, e é usado como marca em uma variedade de produtos, de calçados a fragrâncias, que ajudaram a torná-lo um dos atletas mais ricos do planeta.

Num vídeo nas redes sociais anunciando a parceria, Ronaldo disse aos possíveis investidores “vamos mudar o jogo NFT e levar o futebol para o próximo nível”.

O NFT mais barato da coleção custava US$ 77 quando foi colocado à venda em novembro de 2022 – mas um ano depois, custava cerca de US$ 1.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os reclamantes alegam que a promoção da Binance por Ronaldo levou a um “aumento de 500% nas pesquisas” pela exchange de criptomoedas, que está registrada nas Ilhas Cayman.

Eles também dizem que isso levou as pessoas a usar a empresa para investir no que chamam de “títulos não registrados” – como a criptomoeda BNB da Binance.

De acordo com a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), esses ativos podem ser considerados valores mobiliários – e por isso as celebridades que os endossam devem seguir a lei dos EUA.

O presidente da SEC, Gary Gensler, disse anteriormente que as celebridades devem “divulgar ao público de quem e quanto você está recebendo para promover o investimento em títulos”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Quando as celebridades endossam oportunidades de investimento, incluindo títulos de criptoativos, os investidores devem ter o cuidado de pesquisar se os investimentos são adequados para eles, e devem saber por que as celebridades estão fazendo esses endossos”, disse ele.

Quanto ele ganhou?

Os reclamantes alegam que Ronaldo deveria ter divulgado quanto estava recebendo, mas não o fez. Nigel Green, chefe da empresa de consultoria DeVere Group, disse que os problemas no cerne do caso vão além de apenas um jogador de futebol.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“É crucial reconhecer que culpar apenas Ronaldo simplifica demais uma questão complexa”, disse ele.

“Em vez disso, a atenção também deve ser dirigida aos reguladores globais que têm sido lentos em estabelecer diretrizes claras para este cenário financeiro em evolução.”

Acompanhe as atualizações da coluna “Futebol Etc” nas redes sociais, no Twitter e também no Instagram.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar