Siga o Jornal de Brasília

Blogs e Colunas

Emendas: distritais de mãos dadas com Buriti

No ranking das emendas, o distrital Reginaldo Veras (PDT/foto), levou R$ 3,3 milhões, logo depois, está Rodrigo Delmasso (PRB), com R$ 3,2 mi

Publicado

em

Advertisements

Lucas Valença
lucas.valenca@grupojbr.com

Emendas…

As emendas parlamentares que já foram liquidadas neste ano pelo governo local podem demonstrar a estratégia política adotada pelo palácio. Parlamentares considerados independentes, mas que se alinham mais à oposição, tiveram posição de destaque. As emendas são impositivas, mas há brechas na legislação atual que permitem certas escolhas.

…políticas

Dos atuais parlamentares, o que mais teve suas emendas executadas foi o distrital Reginaldo Veras (PDT/foto), com R$ 3,3 milhões. Logo depois, está o vice-presidente do Legislativo local, Rodrigo Delmasso (PRB), com R$ 3,2 mi. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Reginaldo Sardinha (Avante), obteve R$ 2,9 mi. Ele antecede o líder do governo, Cláudio Abrantes (PDT), com um valor semelhante, R$ 2,9 mi. Logo depois, outro independente inclinado com a oposição. Leandro Grass teve liquidado R$ 2,4 mi.

Estratégia parlamentar

A representação governamental que mais recebeu recursos parlamentares nesta legislatura foi a Secretaria de Educação (R$ 102 milhões). A liderança demonstra uma mudança política dos integrantes do parlamento, por conta do sistema do Pdaf. Por muito tempo, a Novacap liderava o recebimento dos recursos, mas desta vez ficou em segundo, com R$ 92.7 milhões. Deste total, apenas 1.3 milhão foi liquidado, cerca de 1.4% (à Novacap).

Troca custosa

Depois de trocar os cargos vinculados à Junta Comercial, uma previsão de gastos foi pedida pelo Executivo ao poder vizinho. O compromisso firmado em lei era de que a união arcaria com o ônus dos salários dos funcionários até dezembro deste ano, mas como servidores foram trocados pelo Buriti a conta chegará ao GDF.

Valor estimado

Para ajudar a pagar as mudanças, um pedido de suplemento orçamentário no valor de R$ 6,5 milhões será apreciado pelo parlamento local. Não necessariamente a quantia total deve ser gasta pelo governo e com os salários. A proposição, no entanto, deve ser aprovada, mas com críticas no plenário.

Solenemente ignorados

As secretarias da Educação e da Segurança Pública têm se ausentado de responder ofícios e requerimentos de informação expedidos pela Câmara Legislativa com relação às escolas militarizadas. Do gabinete do distrital Fábio Felix (Psol), líder da oposição, foram quatro pedidos. Via Comissão de Direitos Humanos, seis. Deste total, apenas dois foram respondidos.

Prazos vencidos

Um dos que foram respondidos dizia respeito a informações sobre as assembleias que seriam realizadas nas primeiras quatro escolas que receberam o modelo. Os pedidos mais antigos, feitos em fevereiro deste ano, já estão com prazo vencido. A oposição se queixa que a negativa não é a ela, é a Câmara Legislativa como instituição.

Resumo de líderes

Reunião de líderes ontem, na Câmara Legislativa, foi taxativa. O resumo é o seguinte: Buriti enviou o secretário de Habitação, Mateus de Oliveira, para defender o projeto que modifica a destinação do SIG. E a Casa Legislativa decidiu manter o trâmite normal de discussões em torno da mudança. Por enquanto, sem previsão para ser votado.

Águas Claras desafogada I

Com o intuito de desafogar o trânsito da região, um acordo feito entre a administração de Águas Claras, o DER, o Detran e a instituição privada Unieuro,  deve alterar o local da entrada e saída de carros da instituição
de ensino que hoje congestiona uma das saídas da cidade, conhecido como “balão do Wallmart”.

Águas Claras desafogada II

A nova entrada,  que ficará na marginal da EPTG, também contará com uma faixa de pedestres nova quando as obras das calçadas estiverem terminadas. A empresa chegou a ceder um pedaço do terreno para a marcação da faixa. O cumprimento da solicitação dos órgãos públicos deve ocorrer ainda neste mês.


Você pode gostar
Publicidade