fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Troca de farpas: turma do deixa disso apazigua rusgas de distritais na CLDF

Em tom duro, Hermeto (MDB) chamou Roosevelt Vilela (PSB) de “bajulador”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Hylda Cavalcanti e Catarina Lima
[email protected]

Por pouco não teve briga na sessão da CLDF de ontem entre os distritais Hermeto (MDB) e Roosevelt Vilela (PSB). Ao se solidarizar com os PMs pelo anúncio do GDF de que não haverá redução do interstício para a categoria, Hermeto reclamou do colega.

Plano de carreira – Em tom duro, ele chamou Vilela de “bajulador” e o acusou de ter perdido a oportunidade de apresentar um plano de carreira para a categoria no governo passado. Vilela pediu à comissão de ética para tomar providências contra o colega.

Democracia – Ainda acusou Hermeto de ter demonstrado “destempero emocional” e “despreparo” para o debate. “O bonito da democracia é a divergência, não esse tipo de atitude”, rebateu. A discussão terminou sendo apaziguada com a interferência dos colegas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Prazos de concursos

O projeto de lei de autoria do Executivo que suspende os prazos de validade dos concursos públicos enquanto durar o estado de calamidade – aprovado ontem na CLDF – tem como autor o líder do governo, deputado distrital Claudio Abrantes (PDT), juntamente com o secretário de Assuntos Parlamentares, Bispo Renato.

Justiça  – O texto consistiu num pedido de Abrantes ao governador Ibaneis Rocha. Tem como objetivo, segundo o distrital, trazer economia para os cofres públicos e fazer justiça aos candidatos aprovados. O PL se aplica sobre os concursos homologados e em vigência na data de publicação do decreto, dia 26 de junho.

Solidariedade

O deputado distrital Fábio Félix (Psol) lamentou os episódios de racismo observados nos últimos dias, tanto no país como um todo como no Distrito Federal, incluindo o caso do delegado da PCDF Ricardo Viana, no último fim de semana.

Estrutural – “A secretaria de Igualdade Racial não pode ser apenas uma secretaria simbólica, assim como outros espaços. Precisamos de medidas efetivas de combate. Temos de deixar de ser hipócritas e parar de negar a existência de racismo estrutural nesse país”, destacou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Banco de dados

Apesar do nepotismo ser vedado pela Lei Orgânica do DF, tramita na Câmara Legislativa um projeto que prevê a criação de um banco de dados para facilitar o combate à prática no DF. Isto porque têm sido comuns nomeações para cargos públicos de cônjuges, companheiros e parentes consanguíneos ou afins em cargos diversos.

Qualidade – Para o autor da proposta, deputado distrital José Gomes (PSB), “o nepotismo deixa de lado a competência técnica para favorecer um parente e pode afetar a qualidade dos serviços prestados”. “Além disso, abre margem para casos de corrupção e desconsidera princípios da administração pública como o de moralidade e impessoalidade”.

Reforma tributária

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), presidente da Frente Parlamentar Mista da Reforma Tributária vai realizar amanhã live sobre a PEC que trata do tema, em tramitação no Congresso. Será às 19h.

Anfip e CNI – Têm presença confirmada o vice-presidente de Estudos e Assuntos Tributários da Anfip, Cesar Machado; o presidente da CNI, Robson Andrade, e o presidente da subcomissão da reforma tributária da seccional da OAB no DF, Wesley Rocha.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Economia – O foco será a reforma no contexto da retomada da economia, com itens como manutenção da carga tributária e aumento da competitividade, alíquota única, tributação da renda corporativa, desenvolvimento regional e fundo de compensação dos estados.

Escolas

O deputado Jorge Vianna (Podemos) realiza hoje, às 10h, uma reunião com setores diversos para discutir a questão da polêmica que envolve a reabertura das escolas no Distrito Federal. Participarão representantes de sindicatos, escolas, pais e professores.

“Perdidos” – “Estamos numa situação em que ninguém sabe mais o que fazer. A Justiça vai e volta nas decisões sobre o tema e todos nós ficamos perdidos. Nosso papel, enquanto parlamentares, é tentar dirimir esse conflito entre as partes”, frisou.

Silêncio

A covid-19 norteou a pauta da CLDF ontem (11). Os deputados distritais fizeram um minuto de silêncio, por conta das mais de 100 mortes de brasileiros – sendo destas, perto de 800 moradores do DF. Atenderam a sugestão feita por Leandro Grass (Rede).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vacina – O deputado Delmasso (Republicanos) aproveitou para falar na vacina anunciada pela Rússia, que traz um início de esperança. E Chico Vigilante (PT) pediu mais atenção por parte das pessoas e dos gestores públicos para com a importância do isolamento social.

Infraestrutura

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) participou de audiência com o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, na última segunda-feira (10) para conversar sobre o andamento de projetos voltados para o Distrito Federal.

“Eleitor” – Ao divulgar o encontro nas redes sociais, Bia confidenciou que o ministro votou nela. “É uma honra para mim ter mais esse ilustre eleitor dentre meus queridos representados, aos quais dedico todo meu trabalho diário”, disse. Discreto, ele nada respondeu.

Alcoolizados

A deputada federal Flávia Arruda (PL) apresentou projeto de lei que altera o código civil e concede pensão vitalícia a vítimas ou famílias de vítimas de acidentes provocados por motoristas alcoolizados.

Garis – Ela citou, além do registro, em 2019, de 111 mortes por dia em acidentes de trânsito no país, o caso observado no último dia 6, que chocou a população do DF, no qual um motorista embriagado atropelou e matou dois garis que tinham saído do trabalho.

Sustento – “A ideia não é aumentar as penalidades já estabelecidas na legislação vigente. É dar as famílias das vítimas um sustento e mexer no bolso do autor do crime. Uma pena que dói na parte mais sensível dos que não tem consciência”, afirmou Flávia.

Ataque digital

Dentre as propostas destacadas pelo Senado por conta dos 14 anos da Lei Maria da Penha, destaca-se uma de autoria da senadora Leila Barros (PSB-DF). A matéria, em tramitação, caracteriza a forma de violência eletrônica contra a mulher.

Novos modelos – “As tecnologias digitais trouxeram consigo muitos avanços mas, também, novas formas de violência. E as mulheres são vítimas frequentes de perseguição, ameaças, exposição indevida executadas por meios eletrônicos”, disse a parlamentar.

Planaltina

A deputada distrital Arlete Sampaio (PT) pediu ao GDF que instale leitos de UTI no Hospital Regional de Planaltina. Destacou que mesmo com a ampliação de leitos durante a pandemia da covid-19,a população não conta com nenhuma UTI pública naquela Região Administrativa.

Gravidade – “Apesar de estar situado onde há a maior população da região, o Hospital Regional de Planaltina continua sem nenhum leito de UTI”, afirmou Arlete. De acordo com ela, a falta de leitos de terapia intensiva pode resultar em possíveis óbitos em casos graves que necessitam de internação imediata do paciente.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade