Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Ponto facultativo devido ao Brics pode gerar soltura de presos

Documento recebido pela coluna enfatiza que a Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal (DPOE) “não realizará as escoltas judiciais” nos respectivos dias do evento

Lindauro Gomes

Publicado

em

Foto: Reprodução de TV
PUBLICIDADE

Lucas Valença
lucas.valenca@grupojbr.com

A 11ª Reunião de Cúpula do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) que acontece na capital federal nesta quarta (13) e quinta-feira (14) fez com que os governos federal e local decretassem ponto facultativo de servidores. De acordo com o GDF, a medida foi tomada para reduzir o trânsito nos dois dias do encontro do Brics.

Acontece que a decisão não atingiu o Judiciário como um todo, chegando até mesmo a ser motivo de bate boca entre o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli e o colega de toga, Ricardo Lewandowski. Durante o julgamento da prisão em segunda instância, o presidente do STF decretou ponto facultativo só para os Tribunais Superiores.

Agora, uma nova questão foi levantadas por integrantes do Ministério Público do Distrito Federal e Território (MPDFT). Oitivas marcadas para os dias da cúpula poderão não ter escolta de presos para júris e audiências. Isso pode implicar na soltura de presos perigosos, inclusive homicidas. Pelo visto, essa discussão ainda vai render muito.

Documento recebido pela coluna enfatiza que a Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal (DPOE) “não realizará as escoltas judiciais” nos respectivos dias do evento, retornando suas atividades apenas no dia 18 de novembro.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade