Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Integrantes do governo explicam ausência de mulheres na CPI do Feminicídio

Publicado

em

Publicidade

Lucas Valença
lucas.valenca@grupojbr.com

 

Ausência de responsabilidade

Integrantes do governo na Câmara Legislativa explicaram à coluna que não agiram para “tirar as mulheres” da composição da CPI do Feminicídio. O secretário Bispo Renato chegou a garantir que o “governo não interferiu”. Eles alegaram que o recuo na indicação de Telma Rufino (PROS) se deu pela posição de suplente da deputada. Houve também um recuo do MDB quanto à possibilidade de ceder a cadeira à deputada Arlete Sampaio (PT/foto).

Resultado inesperado

A ação que trocou integrantes da CPI, confirmada nos bastidores por esta coluna, pode não ter tido a intenção de isolar as mulheres da CPI, mas o resultado acabou sendo esse. Por enquanto, só há homens ocupando espaço para discutir a violência contra a vida das mulheres, como ressaltou uma servidora.

Outras duas mulheres

Mesmo não fazendo parte do bloco situacionista, a deputada Jaqueline Silva (PTB) teria recebido o convite para compor a comissão, mas, segundo um integrante forte do governo, teria rejeitado a cadeira. Procurada, a parlamentar negou que tenha sido sequer abordada. É fato que Jaqueline Silva tem acendido o ‘sinal amarelo’ do Buriti, que desconfia da sua fidelidade.

Publicidade

Sem função

Todo esse clima em torno da CPI levantou um questionamento. Qual será o papel que a procuradora da mulher da CLDF terá na comissão? Até o momento, sobre Júlia Lucy (Novo), só especulação.

Mulher não é “cota”

O líder da minoria, Fábio Felix (Psol), chegou a cogitar ceder a vaga à distrital Arlete Sampaio, mas, nos bastidores, se diz que a opção foi descartada. A oposição ainda defende o diálogo com o Buriti, mas há a possibilidade de que se ausentem da primeira reunião caso fique constatado o esvaziamento do teor da CPI.

Carreata empresarial

O Sebrae local deve promover amanhã uma carreata na Ceilândia, com a presença dos representantes local e nacional da entidade empresarial, Valdir Oliveira e Carlos Melles, respectivamente, em comemoração ao Dia da Micro e Pequeno Empresa (celebrado no dia 5). Os dois e a diretora técnica do Sebrae local, Rose Rainha, já se reuniram na semana que tem sido de eventos. Dentre eles, entrevistas com pequenos empresários, para entender os temores e as expectativas com relação à economia, se destacam.

Pedido de desculpas

O prolongado julgamento da arquiteta Adriana Villela já gerou algumas confusões. A que envolveu a promotoria e a integrante da OAB. No dia seguinte ao problema, o presidente da Ordem, Délio Lins e Silva, cobrou um pedido de desculpas, mas ficou acertado que, para supostamente não contaminar o julgamento, os representantes do MPDFT fariam o pedido apenas depois de proferida a decisão do júri.

Idosos homenageados

Por questão de agenda, a homenagem aos idosos na Câmara Federal será feita hoje pelo deputado Júlio Cesar (Republicanos/foto). O dia oficializado em lei foi ontem, mas reservar uma sala de comissão não tem sido tão simples. Por enquanto, estão confirmados 300 pessoas para debater políticas públicas à população idosa.

Cadê as emendas?

Até o fim da semana, o gabinete do líder da minoria, Fábio Felix (Psol), deve protocolar um questionamento na procuradoria da Câmara Legislativa para saber quais as reais implicações da não execução das emendas parlamentares que são impositivas. O requerimento deve agradar oposicionistas e integrantes da base. Até o momento, poucas emendas liquidadas.


Você pode gostar
Publicidade