fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Fechamento da Esplanada

Parlamentares na CLDF repudiaram as ameaças feitas ao bispo da cúria metropolitana, dom Marcony Ferreira

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Hylda Cavalcanti e Catarina Lima

Os deputados distritais dedicaram um bom período da sessão de ontem da CLDF para apoiar a decisão do GDF de fechamento da Esplanada dos Ministérios. Eles repudiaram as ameaças feitas ao bispo da cúria metropolitana, dom Marcony Ferreira.

Como da família – Chico Vigilante (PT) destacou as qualidades do religioso e o trabalho desenvolvido por ele. “Dom Marcony cuida da catedral como cuida da sua família”, afirmou. Já para Arlete Sampaio (PT) “estão tentando transformar a Esplanada num pandemônio”.

Foto: CLDF

Sem noção – O líder do governo na Casa, Cláudio Abrantes (PDT) disse que está preocupado com os atos realizados no país como um todo. “É uma situação complexa essa. Parece que se perdeu a noção do que é democracia e respeito às instituições”, ressaltou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

‘Absurdo’ – O deputado Hermeto (MDB), que é policial militar e pró Bolsonaro, foi firme ao falar sobre o episódio. Disse que “apesar de simpatizar e ter votado no presidente” não pode concordar com tudo o que aconteceu durante o fim de semana na Esplanada.

Sem comando – “Nossa corporação foi ofendida e desacatada por uma desqualificada”, destacou, referindo-se à militante Sara Winter, presa pela PF segunda-feira. Segundo Hermeto, “faltou decisão de comando por parte da PMDF” no último domingo.

Investigações

Repercutiu bastante em Brasília o fato de um dos alvos da operação da PF de ontem ter sido o empresário Luís Fernando Belmonte. Marido da deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF), ele está sendo investigado por denúncias de ajuda na organização dos atos pelo fechamento do Congresso e do STF.

Contradições – Além de ser casado com uma parlamentar, o empresário é suplente do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Em tempos passados, ele chegou a fazer doações para legendas de esquerda, como o PCdoB. Seu passado foi alvo de comentários entre os parlamentares.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

‘Sem comentários’ – Em nota divulgada pelo gabinete da esposa, Luís Fernando negou que tenha estimulado ou financiado os atos. Disse que vê tudo com “perplexidade” e que tomará providências adequadas contra a medida. A deputada avisou que não se manifestará sobre o assunto.

Para advogados

A Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal, braço social da OAB/DF, está inaugurando esta semana um plano de saúde e uma clínica médica específicos para atendimento aos advogados. O espaço está associado ao plano de saúde da Ordem.

Diferenciação – Segundo informações da OAB, o objetivo é oferecer um serviço diferenciado para advogados e seus dependentes (cônjuges, filhos e netos), por um preço abaixo do de mercado e facilidades como agendamento eletrônico e ausência de filas.

Recomendações

Diante da dúvida sobre as eleições municipais, médicos e cientistas recomendaram, ontem, ao Congresso Nacional, o adiamento do pleito. Uma das principais posições foi a do físico Roberto Kraenkel, especialista em modelagem epidemiológica da Unesp.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Meses críticos – De acordo com ele, que coordena o Observatório Covid-19, o adiamento permitirá que o país ganhe tempo. “Talvez a situação da epidemia, até o fim do ano, esteja mais controlada. Os meses de junho e julho serão críticos para a situação do Brasil”, disse.

Crescimento

Acostumada a abrir seus trabalhos semanais na CLDF falando sobre as contaminações pelo novo coronavírus no Distrito Federal, a deputada Arlete Sampaio (PT) chamou a atenção dos colegas para o crescimento do número de casos nas próximas três semanas.

Apelo – A distrital disse que essa previsão decorre da liberação de feiras e pontos comerciais e da previsão de abertura dos restaurantes em pouco tempo. “Já que tem havido desobediência aos protocolos é preciso que as pessoas se cuidem”, pediu.

Emenda conjunta

Integrantes da Frente Parlamentar em Defesa da Criança e do Adolescente da CLDF, que debateram recentemente o trabalho infantil, querem apresentar uma emenda em conjunto ao Orçamento do DF para ações de combate ao tema.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vulneráveis – Eles avaliaram que com a crise sanitária e econômica é preciso preservar crianças e adolescentes. “As dificuldades que vivemos em função da pandemia afetam segmentos mais vulneráveis, como essas vitimas”, destacou o distrital Fábio Félix (Psol).

Negreiros

Embora não tenha sido comentado, outro tema que suscitou tensão nos bastidores da CLDF ontem foi a decisão do TRE-DF de acolher denúncia contra o deputado Robério Negreiros (PSD) por irregularidades em documento da campanha de 2014.

Nem apoios,  nem críticas – Negreiros nega a acusação, mas não se manifestou. Ele tem prazo para se explicar no Ministério Público. Não recebeu apoios nem críticas dos colegas, já que em solidariedade a ele e à própria CLDF, preferiram nada falar.

Idosos

O deputado distrital Valdelino Barcelos (PP) protocolou projeto para criação da Procuradoria do Idoso, na própria CLDF. “Precisamos de uma atuação mais expressiva em relação ao tema, para dar uma resposta firme à sociedade”, explicou o deputado.

Proteção – Conforme o texto, o setor tratará de assuntos previdenciários e questões como acesso aos serviços de saúde, proteção social, reinserção dos idosos do Distrito Federal ao mercado de trabalho e de proteção da integridade física deles.

Protesto

Representantes do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) em atuação no DF continuam protestando contra a indicação do deputado federal Fábio Faria (PSD-RN), genro de Sílvio Santos, para o ministério das Comunicações.

Fisiologismo – Em nota, eles destacaram que a indicação torna evidente o fisiologismo do presidente da República ao colocar na pasta responsável por controlar e fiscalizar concessões de rádio e TV e distribuir verbas publicitárias, “alguém diretamente vinculado a uma concessão”.

Superávit

Vice-presidente da CLDF, o deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos) divulgou que o resultado do plano de saúde dos servidores da Casa, o Fascal, apontou superávit de R$ 2,3 milhões em maio passado.

Relatórios – Delmasso disse que “nunca na história da CLDF o Fascal apresentou relatórios e superávit mensais”, embora tenha reconhecido a necessidade de melhorar a saúde do plano. Há pouco tempo, projeto polêmico tentou ampliar o benefício para ex-deputados.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade