fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Ex-chefe de gabinete de Telma Rufino (Pros) depõe na PCDF

Deivid Lopes, que trabalhou também na campanha do distrital Fernando Fernandes (Pros/foto), virou colaborador da Justiça

Lucas Valença

Publicado

em

PUBLICIDADE

Um personagem para lá de polêmico ainda promete dar muita dor de cabeça aos integrantes da política local. Deivid Lopes, ex-chefe de gabinete da então suplente Telma Rufino (Pros), que trabalhou também na campanha do distrital Fernando Fernandes (Pros/foto), virou colaborador da Justiça e abriu o bico na última quinta (5).

Documentação vasta

Segundo fontes, o depoimento de Lopes, que inicialmente estava agendado para a terça passada, teria durado de quatro a cinco horas e transitou entre as diferentes vertentes das investigações encabeçada pela Polícia Civil. Também estão de posse dos investigadores uma vasta quantidade de áudios e vídeos, além de uma leva considerável de documentos ainda não totalmente apreciados.

Avanço investigatório

Uma delação premiada tem sido evitada pelo colaborador, mas ainda é entendida como possível pelos agentes. Até o momento, a Polícia Civil e o Ministério Público do DF já adiantaram três dos inquéritos existentes contra Fernando Fernandes. A coluna apurou, no entanto, que novas investigações contra o ex-delegado podem surgir.

MEC fora do ar

As metas do Plano Nacional de Educação estão em risco de não serem concluídas até o prazo final, em 2024. Dados oficiais mostram que a inatividade do Ministério este ano comprometeu os investimentos no ensino nas diferentes esferas escolares. As maiores críticas vieram do deputado federal Prof. Israel (PV/Foto) que preside a Subcomissão Especial de Acompanhamento do PNE.

Lamento oficial

O órgão está em fase de conclusão do diagnóstico de cada uma das metas e na análise dos status de sua implantação até o momento. Uma coisa é certa: os números não agradam. “O MEC mostra-se anencéfalo e inerte, o que prejudica sobretudo as políticas de Educação de estados e municípios”, lamentou Israel.

Luta contra o Feminicídio

Em meio ao surto de feminicídios que assola a capital, a Secretaria de Segurança Pública capacitou, em parceria com o TJDFT, 333 funcionários da linha de frente do atendimento à comunidade, para melhorar o atendimento às mulheres em situação de violência. Outros 720 policiais militares participaram de palestras com foco na política pública de enfrentamento à violência doméstica, com base na Lei Maria da Penha.

Defesa da pauta

Defensora da causa, a federal Paula Belmonte (Cidadania) propôs que 25% das indenizações oriundas de problemas na extração de minérios sejam destinados a projetos da primeira infância. A Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais já é uma contrapartida paga à União. No entanto, a parlamentar tem procurado vincular esses recursos.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade