fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Deivid Lopes é acusado de alugar carros em locadoras e não os devolver

Uma das empresas que teria sido vítima do suposto golpe é a mega locadora de veículos, Localiza Rent a Car

Lucas Valença

Publicado

em

PUBLICIDADE

Lucas Valença
lucas.valenca@grupojbr.com

Integrantes da Polícia Civil estão surpresos com as supostas irregularidades cometidas por Deivid Lopes, homem chave nas investigações que circundam deputados distritais. Um dos inquéritos verifica os possíveis “trambiques”, como ressaltou uma fonte na PCDF, relacionados a carros. A acusação é de que Lopes alugava carros em locadoras e não os devolvia, configurando roubo.

Fanfarra dos carros

Uma das empresas que teria sido vítima do suposto golpe é a mega locadora de veículos, Localiza Rent a Car. O inquérito que trata deste suposto roubo foi aberto recentemente, no dia 28 de novembro, e está sob segredo de Justiça. Os investigadores analisam se os veículos também foram “emprestados” a distritais.

Cartões sob suspeita

A coluna lembra que, quando foi preso, Deivid Lopes foi apreendido com uma série de cartões nominais, e alguns sem nome, que elevam a suspeita de rachadinha na CLDF. Mais tarde, outras descobertas bancárias foram feitas pela PCDF e, ao menos, cinco cartões black foram encontrados. Mesmo com o processo avançado, informações internas mostram que os agentes ainda analisam alguns cartões.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Indicação parlamentar

Antes de ser preso e afastado, Lopes era lotado como chefe de gabinete da suplente Telma Rufino (Pros), mas a indicação chegou a ser feita pelo dono da cadeira, Fernando Fernandes (Pros), como ressalta um documento obtido por esta coluna. Um ato da presidência da Câmara Legislativa mostra que Deivid Lopes chegou a ser nomeado no gabinete de Fernandes antes de ser “redistribuído” à equipe de Telma Rufino, que não é investigada.

 

Três perguntas para Robson Cândido, Diretor da Polícia Civil

O que a polícia Civil tem feito para melhorar o atendimento do brasiliense?

Mesmo com um número reduzido de policiais e servidores como um todo, a PCDF tem procurado melhorar o atendimento ao cidadão. Hoje, todas as delegacias do DF estão com escala de plantões para melhor atender ao público. Também iniciamos a delegacia móvel para as ocorrências na Fercal, na Estrutural e no Sol Nascente, que acontecerá em rodízio. Outras ações também têm sido implementadas para melhorar a segurança no DF.

O DF tem passado por um surto de feminicídios. O que tem sido feito para combater esse tipo de crime?

A Polícia Civil hoje já resolve 100% dos casos de feminicídios no DF. Mas o que vamos fazer agora? Vamos entrar na política psicossocial de atendimento. Ou seja, vamos tentar buscar e acolher a mulher que tenha sido vítima, mas que ainda não teve coragem de reportar as informações à delegacia. Nós teremos um atendimento diferenciado nas delegacias com psicólogos, assistentes sociais, entre outros profissionais. Nós queremos ser mais um colaborador nesse processo de combate ao feminicídio e ao crime no DF.

O comando do GDF tem dado liberdade à atuação da Polícia Civil?

O nosso governador Ibaneis Rocha (MDB) tem dado autonomia total à Polícia Civil. Não interfere em nada. Seja na gestão administrativa, seja na gestão propriamente investigativa. A ingerência é zero.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Rede congestionada

Reta final dos trabalhos legislativos, e o clima entre o governo e a Câmara voltou a esquentar ontem. Irritados com os acordos não cumpridos, o bloco governista na Casa voltou a retirar o quórum do plenário. Há quem diga que a rede telefônica da Casa ficou congestionada e a sessão passou a ser via Embratel. Ao retornarem à votação, chamou a atenção o fato de todas as autoridades descontentes estarem no celular.

Obstrução governista

Além dos novos cargos não entregues pelo Executivo, que chegaram a ser prometidos, a retirada de algumas indicações não alegrou aos aliados. No bloco governista, a perda de espaço para outros blocos, em especial o Centrão, parece ter irritado os apoiadores do GDF. Vale ressaltar que o interessante é que quem entra de obstrução na CLDF é a própria base aliada.

Legalidade prejudicada

Um dos projetos do Executivo aprovados ontem pelo parlamento local ainda deve incomodar alguns dos deputados por um bom tempo. A permissão dada ao IGES para a construção de UPAs não prevê um modelo rigoroso de controle do gasto público. Em resumo, as obras não necessariamente terão de passar pelo processo de licitação.

Recordações problemáticas

Lembra esta coluna que o PL só chegou ao Legislativo, no dia 24 de outubro, depois que o Ministério Público questionou a intenção do GDF de retirar da Secretaria de Saúde a prerrogativa de construir as unidades de saúde. Vale ressaltar que é mais uma perda à pasta palaciana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Previsão de novas UPAs nas regiões:

  • Brazlândia;
  • Ceilândia;
  • Gama;
  • Riacho Fundo II;
  • Planaltina;
  • Paranoa;
  • Vicente Pires;

Troca de comando

O Diário Oficial de hoje deve trazer a troca de comando do DF Legal (antiga Agefis). Georgeano Trigueiro chegou a pedir seu afastamento na semana passada e alega “motivos pessoais”.

Nova economia

Para ajudar no fechamento das contas do Executivo local, o Legislativo deve devolver mais R$ 21 milhões ao GDF. A economia, no entanto, que totaliza R$ 46 milhões neste ano, não chegou a afetar os projetos de modernização e estruturação da Casa legislativa. A implantação do painel eletrônico, que deve começar a ser instalado a partir da próxima semana, é o maior exemplo. A entrega será no dia 4 de fevereiro, na primeira sessão plenária de 2020.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade