Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Ausência de caixa

Deputados acreditam que a opção para o Buriti será buscar verbas da esfera federal ou até internacional, por intermédio também da União

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Lucas Valença
lucas.valença@grupojbr.com

A intenção de integrantes do governo de tentar ampliar os recursos para investimentos por meio da Lei Orçamentária Anual não deve vingar. A avaliação no parlamento local é que LOA não permite muita mudança, por ter um modelo mais “cartesiano e rígido”. Deputados acreditam que a opção para o Buriti será buscar verbas da esfera federal ou até internacional, por intermédio também da União.

Correndo contra o tempo

A diminuição das despesas, entendem políticos experientes, precisava ter começado antes da posse. Avaliam que ainda há tempo, pois estamos no primeiro ano, mas cortar agora incomoda mais. Com a virada do ano, no entanto, caso o forte contingenciamento permaneça, futuras licitações podem afetar entregas ao fim do mandato.

Avaliação estratégica

Se for ao plenário da Câmara Federal, reconhecem integrantes da bancada do DF, o texto que concede parte do Fundo Constitucional do DF ao RJ tem o risco de passar. Portanto, há quem avalie que a articulação certa será com o integrante da bancada do Rio, mas também presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), para evitar a inclusão na pauta.

Em desvantagem

Contra os interesses do DF, já se contabilizam não só os votos dos integrantes do Rio, mas também de representantes federais do Goiás. Deputados do Estado vizinho ainda guardam uma certa mágoa não solucionada. Os cariocas já devem começar a pressionar os chamados “neutros”, mesmo sem a apreciação da Mesa Diretora, colocando a pequena bancada local na defensiva. O diálogo, parece, terá de ser certeiro.

Alerta do tribunal

O Tribunal de Contas do DF emitiu acendeu um sinal de alerta no Buriti. Segundo o tribunal, o Executivo local “descumpriu” o percentual mínimo para os investimentos em educação e saúde. Até o fim do ano, o governo terá de compensar a perda. Na educação, por exemplo, o TCDF alega que o GDF deixou de aplicar meio bilhão de reais nos primeiros seis meses do ano.

Divisão de recursos

A criação da nova região de Arniqueiras, que ainda será assinada pelo governador, deve diminuir mais ainda a estrutura da administração de Águas Claras. Até o fim do ano, a estrutura será migalhada, mas para 2020 a articulação com o parlamento para que estruturas possam constar na LOA. Conversas ainda não começaram.

Resistência corporal

Nitidamente com dores por problemas de hérnia de disco, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Legislativo local, distrital Reginaldo Sardinha (Avante/foto), manteve a rotina e comandou os debates de ontem. O atestado continua valendo, mas foi simplemente ignorado.


Leia também
Publicidade