fbpx
Siga o Jornal de Brasília

de Passagem

Turismo de Pesca – Pesque, Solte e leve para casa momentos incríveis!

No primeiro arremesso uma Cachara, no segundo mais uma, depois uma Corvina e de repente uma Pirarara.

André Perotto & Alfredo Moreira

Publicado

em

PUBLICIDADE

Contrariando a fama dos pescadores, não é mentira que o Turismo de Pesca vem ganhando destaque no cenário Brasileiro. Muito mais que pesca, essa atividade nos coloca em contato íntimo com a natureza, de uma forma singular e inesquecível.

Nesse “novo normal” é uma ótima opção de isolamento social com aglomeração só de cardumes. Os melhores destinos de pesca estão inseridos em locais de natureza exuberante muito pouco habitados. No Brasil somos privilegiados por ter pontos maravilhosos de Norte a Sul além de poder pescar peixes de água doce e salgada.

Esse é um mercado bem democrático. Temos pescarias que não se gasta praticamente nada e outras que podem chegar na casa dos R$50.000,00 por 6 dias de pesca. Os preços se justificam pela dificuldade logística das operações bem como a sofisticação de certos empreendimentos. Operações na Amazônia chegam a contar com Chefs de renome internacional oferecendo uma experiência gastronômica de restaurantes 5 estrelas Michelin. Piscina, massagista e itens de luxo estão se tornando cada vez mais frequente nas pescarias. Na operação da turma do Super Açu, na Amazônia, os quartos chegam a ter banheira de hidromassagem para se ter idéia. No Corumbá, temos a “Chalana” Peralta que, salvo as proporções, parece um navio de cruzeiro com direito a janela panorâmica de vidro e piscina a bordo. Convidamos para assistir o vídeo de divulgação do Captain Peacok e conhecer um pouco da embarcação Rainha do Rio Negro, na Amazônia. 

Foi noticiada nos últimos meses, uma chacina na região do Rio Abacaxis na Amazônia. O André Perotto já esteve por lá e conta que uma das raízes dessa tragédia está na Pesca Esportiva naquela região. Paraíso dos gigantes, os Tucunaré-Açu atraem pescadores do mundo todo e a cobiça e ganância contribuem para os conflitos no local.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nos últimos dias o Perotto, apaixonado por Pesca, esteve no Guaporé, uma pescaria sonhada por mais de um ano, a ansiedade foi apimentada por uma quarentena sem precedentes. Segue abaixo o relato para deixar vocês com vontade de jogar o anzol na água.

“A pescaria do Guaporé em Rondônia, foi planejada no início de 2019. Escolhemos o Porto Rolim Pesca Hotel, que fica nas margens do Rio Mequéns, berçário natural do Rio Guaporé. O bacana dessas grandes pescarias, é o fato de parcelar em suaves prestações ao longo de meses. Sempre estamos pagando alguma pescaria futura. 

O plano original era chegar em Cacoal e de lá ir para a Pousada, algo que seria bem tranquilo e perto. Com a pandemia, nosso voo foi cancelado e tivemos que optar por chegar em Porto Velho e de lá seguir com carros locados até Porto Rolim. Até então empecilho, a jornada virou expedição. Rasgamos a BR-364 e conhecemos cidades bem interessantes como Ariquemes e Ji-Paraná. Dormimos em Rolim de Moura e fica aqui o registro de uma cidade super simpática. Saímos cedo e chegamos logo depois do almoço recepcionados com churrasco por um dos proprietário. Cliver é aquele famoso Anfitrião, sempre preocupado com nossa experiência. Desde o primeiro contato em 2019 sempre atento para nos proporcionar uma estadia memorável.

Você só chega de carro até Porto Rolim, de lá todo o acesso é pelo rio. Mas antes disso, você tem 240 km de estrada de chão, ou seja, você está em lugar de difícil acesso proporcionando um isolamento bem interessante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Porto Rolim Pesca Hotel – Foto: André Perotto

Estávamos em 6 amigos pescadores, 2 por barco que é uma configuração perfeita na minha opinião. O Hotel surpreende pela qualidade das instalações, tudo muito novo e muito bem cuidado. Como em muitas pescarias, nosso pacote era com bebidas e comidas incluídas, aí já imaginaram como foi né?! Cerveja gelada e tira gosto o dia inteiro, seja no rio ou no hotel. O outro sócio, Marclay, é quem comanda a experiência gastronômica. Com uma equipe afinada tudo que sai da cozinha é maravilhoso. Um simples ovo frito vira iguaria. Pode pedir ceviche, sashimi, moqueca….tudo vai estar perfeito.

A propriedade fica no Vilarejo Rolim de Moura do Guaporé, município de Alta Floresta do Oeste. Toda a família dos proprietários está de certa forma envolvida na operação, a sensação que tive é que durante nossa estadia éramos parte dela. Os guias de pesca são os melhores da região e a sintonia como nosso time foi muito bem acertada.

No primeiro dia ficamos impressionados com a estrutura mas no segundo dia fomos surpreendidos pela quantidade e diversidade de peixes. No primeiro arremesso uma Cachara, no segundo mais uma, depois uma Corvina e de repente uma Pirarara. Na volta para o almoço as 3 duplas estavam com aquele sorriso de orelha a orelha, já havíamos pescado muito mais que em várias pescarias inteiras. No terceiro dia fomos de Tucunaré e a farra foi ótima, pescarias ficam perfeitas quando temos a oportunidade de combinar pescaria de arremesso com pescaria de espera. (no Guaporé a espera é curta)

André Perotto e uma Cachara

Perotto e uma Corvina

Tucunaré do Guaporé

Os irmãos pescadores Sebastião e Victor com dublê de Tucuna

Pescador Sandro com um Barbado

Pescador Eduardo com sua bela Pirarara

Daí pra frente até o último dia foi só tentando aumentar os tamanhos das espécies, missão gostosa né?! Fiz até pescaria noturna que rendeu ótimos exemplares de Caparari. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Esqueci de lembrar que no primeiro dia vimos um filhotão de onça. O Guaporé é um safári ecológico, temos o famoso jacaré-açu, capivaras, antas, ariranhas e centenas de espécies de pássaros. É isso que eu mais amo na pescaria, esse contato ímpar com a natureza. 

Pescador Daniel Melo e seu troféu

Filhotão de Onça – Foto: André Perotto

Após 6 dias intensos de pesca a palavra que resume é gratidão, por poder estar com os amigos durantes esses dias, com saúde e no rio. Lembro que o Hotel está adotando todas as medidas sanitárias em decorrência da Covid-19.”

Nosso cerrado é cheio de opções para ótimas pescarias, afinal estamos no berço das águas. Como exemplo, temos a barragem do Rio Preto e Corumbá IV como opções bem aqui do lado de Brasília. Se quiser esticar um pouquinho vale a pena ir pra Serra da Mesa ou para Aruanã, no Araguaia. 

Se quiser alguma dica de pesca ou nos convidar para uma pescaria, clique aqui! 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lembre sempre de soltar o peixe em condições adequadas. O lema da Pesca Esportiva é PESQUE, SOLTE e leve momentos inesquecíveis para casa. Só não esqueça de tirar foto para não ser chamado de mentiroso (a).

Temos a certeza que a pandemia vai passar!

#VaiPescar e #VemproCerrado

Para quem ama, ou quer conhecer um pouco mais desse univeso, seguem alguns perfis do Instagram:

Porto Rolim Pesca Hotel – @portorolimpescahotel

Peralta Cruise – @peraltacruise

Capt. Peacock – @captpeacock

Super Açu – @super_acu

Thiago Moraes – @capt.thiagomoraes

Biguá Guia de Pesca (Porto Rolim) – @biguaguiadepesca

Jurandir (Aruanã) – @jurandirpescador

Pescador de Jaú – @pescadordejau

Santa Rosa Pantanal – @santarosapantanalhotel




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade