fbpx
Siga o Jornal de Brasília

de Passagem

11 de Setembro – Dia Nacional do Cerrado. 

Um texto com dicas para você VIVER bem de pertinho (mas com segurança) esse Bioma!

André Perotto & Alfredo Moreira

Publicado

em

PUBLICIDADE

Durante a pandemia alguns propósitos se encaixaram perfeitamente com o famoso “novo normal”. Acampar e estar em contato com a natureza é uma das maneira de estar seguro e tentar amenizar a pressão dessa nova rotina de quarentena, criada sobretudo pelo medo do vírus.

Sempre fomos apaixonados por acampamento, o André por ser escoteiro e o Alfredo por estar desde criança passando várias temporadas no Araguaia. Somos daquelas pessoas que não têm maturidade para ir numa loja de camping, pois  sempre queremos comprar tudo.

Na última semana foi aniversário do André e fomos conhecer a Cachoeira da Lydia. A verdade é que antes dessa fantástica descoberta foi difícil achar informações e campings com estrutura completa na nossa região, e que claro nos garantisse segurança.

Partimos em direção a Padre Bernardo. a cachoeira da Lydia fica bem ali na divisa do DF com Goiás, mas já em terras goianas. São 85 km do Plano Piloto o que dá uma sensação bem legal de uma mini viagem. O acesso é quase todo por asfalto e o trecho de terra é bom, além de dar aquela sensação de imersão na natureza. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Chegando no local é impossível não abrir um sorriso. A estrutura toda dentro da mata faz os olhos brilharem. Tudo muito bem cuidado e pensado. Um galpão charmoso é o quartel general das operações. Além de recepção ele é a cozinha coletiva do camping, e nela você tem tudo que precisa: geladeira, fogão industrial, pia e utensílios. 

Recepção e cozinha coletiva – Foto: André Perotto

Nos arredores do galpão, temos algumas churrasqueiras com pias e mesas, itens perfeitos para um super churrasco, bem separadas o que impede aglomeração. As churrasqueiras podem ser utilizadas também por quem vai somente passar o dia. 

Área de fogueira – Foto: André Perotto

Você pode montar sua barraca perto da estrutura central ou em uma área um pouquinho mais afastada, fica ao seu critério. Os banheiros são organizados, sendo 4 baias, 2 com vasos sanitários e 2 de chuveiros, sendo metade masculino e metade  feminino. Do lado de fora pias bem autênticas dão o suporte necessário. O destaque fica pro sistema de aquecimento da água, tudo a lenha, totalmente raiz. Outro ponto bem bacana foi a instalação de um filtro de água potável para os campistas.

Foto: André Perotto

Da área de camping para o primeiro ponto de banho são apenas alguns passos bem sinalizados e bem plano. A primeira queda é uma barragem de abastecimento de água, local perfeito para ir com crianças e pessoas com mobilidade reduzida. Andando mais um pouquinho pela trilha chegamos no Poço do Benjamin, já fazemos o spoiler que dá vontade de ficar nele e nem continuar, de tão lindo que é. Mais alguns minutinhos de caminhada você chega na Cachoeira da Lydia, em meio a um Canyon o visual é de tirar o fôlego. Com um poço para banho generoso a lavada na alma é garantida. A nome da queda é uma homenagem à mãe do proprietário, ela que descobriu a cachoeira. Muito obrigado, Dona Lydia!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Primeira queda – Barragem – Foto: André Perotto

Cachoeira da Lydia – Foto: André Perotto

Passamos um fim de semana perfeito por lá, churrasco, vinho, fogueira, marshmallow, violão e tudo que um acampamento merece. Fica aqui nosso convite para você explorar o cerrado nesse paraíso. 

Clique aqui para mais informações e reserva!!!

Ainda na busca por opções de lazer seguras e que respeitem o isolamento, estivemos no último feriado no Pico dos Pireneus. Entrando por Cocalzinho de Goiás, a proposta inicial era era subir no pico e ver pôr do sol, que é de tirar o fôlego, sem contar na vista lá de cima, afinal é um dos pontos mais altos da nossa região. Depois o nosso plano era fazer um lanche estilo piquenique, pedido da filhinha dos nossos amigos que estava bastante empolgada com a experiência. Para a segunda parte buscamos algum espaço próximo do pico, que nos acomodasse bem e assim chegamos na pousada e camping Riacho das Pedras.

Infelizmente, ao contrário das informações divulgadas o parque estadual estava fechado então partimos direto para pousada Riacho das Pedras, um local simples e acolhedor, muito bem estruturado com uma piscina ampla, lagos para pesca, playground com mini arvorismo, um pequeno lago e uma área de camping muito organizada. Se você não gosta de camping eles ainda oferecem 6 chalés, que acomodam até 3 adultos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foi incrível a recepção da  proprietária Odete e do seu time, todos simpáticos e muito atenciosos. Um diferencial para quem quiser curtir acampamento é que eles já oferecem camping com barracas montadas e colchão além do tarifário de preços bem justo. A propriedade ainda dispõe de um restaurante bem arejado onde é oferecido o café da manhã e de noite refeições e caldos e um carta com os vinhos premiados da região, produzidos na vinícola Pireneus Vinhos e Vinhedos. 

Odete compartilhou os planos futuros que envolvem um deck para contemplar o pôr do sol com uma linda vista para a Serra dos Pirineus e uma trilha para a prática de mountain bike. Uma curiosidade é que a filha da Odete é campeã na modalidade e tem dezenas de prêmios.

Pôr do Sol no Cerrado – Foto: Alfredo Moreira

Com certeza existem na nossa região muitas pequenas propriedades, simples e acolhedoras, que cumprem a sua promessa de conexão com a natureza e de descanso. Sempre que possível vamos compartilhando aqui na coluna. 

A pandemia é uma dura realidade e o vírus uma grande ameaça. Sem dúvidas temos que manter o isolamento, mas depois de tantos meses precisamos de alternativas de lazer seguras e que respeitem os protocolos, sem grandes aglomerações e preferencialmente com o núcleo familiar. Nós seguimos na busca e vamos compartilhando por aqui! site: http://riachodaspedraspousada.com.br/

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

#VEMPROCERRADO




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade