Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Tratado básico sobre a ressaca – Parte II

Continuando nosso estudo sobre a ressaca vamos falar sobre o antes e o durante no ato de beber, o depois ficará para a próxima coluna

Por Sérgio Pires 05/01/2022 7h05
Tratado básico sobre a ressaca

Afinal de contas, o que é ressaca?

Se você está com dor de cabeça, extremo cansaço, aumento da sensibilidade à luz e ao ruído, dores musculares, boca seca, desidratação, vermelhidão dos olhos, tontura, náusea, vômitos e diarreia, meu amigo não tenha dúvida, este conjunto de sintomas de intoxicação significam que você está com ressaca.

De uma maneira simples podemos dizer que a ressaca é a resposta do seu organismo às pancadas que levou com o excesso de álcool ingerido. Vamos tentar explicar o que acontece com nosso organismo nesta luta contra o etanol.

Na primeira parte deste “Tratado Básico” explicamos mais a fundo sobre o que é a ressaca.

Hoje falaremos sobre o que podemos fazer antes e durante o ato de beber para minimizar essas sensações, sempre lembrando que beber bem, é beber com qualidade, sem excessos e sem prejuízos.

Se o mal-estar precedesse a embriaguez, nós nos guardaríamos de beber em excesso. Mas o prazer, para enganar-nos, vai na frente e nos oculta seu séqüito.

Michel de Montaigne

Antes – a preparação

1. Comer

Beber de barriga vazia é a pior ideia que se pode ter, o etanol estará sozinho sem concorrência no processo de digestão. Com a sobrecarga de trabalho do estômago proporcionada pela comida a entrada do álcool na corrente sanguínea será mais lenta, diminuindo a produção de acetaldeído.

Os alimentos saudáveis, ricos em sal e gordura que estimulam a secreção de substâncias estomacais que protegem o estômago do álcool. São compatíveis com o álcool os queijos, nozes, castanhas e amendoim. Os carboidratos como arroz, massa ou pão integral e a carne vermelha ou branca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Há uma lenda que o azeite criaria uma capa no estômago que dificultaria a absorção do álcool, a verdade é que o azeite também é gordura, além de ser muito saudável.

2. Qualidade da bebida

Quanto melhor a qualidade e certeza da origem da sua bebida, maior a chance de que ela não contenha substâncias estranhas e até algum tipo de álcool que é desprezado no processo de destilação.

3. Tipo de bebida

A ressaca de vinho a pior de todas que a de uísque? Existe bebida que provoca ressaca maior? Não. Mas tem bebida que tem o teor de álcool maior e o ataque ao organismo é mais rápido.

Outras bebidas que levam em sua composição várias ervas, ou são feitas de diferentes cereais, vai que você é alérgico a algum destes componentes. Mas a regra geral é a quantidade de álcool que é ingerida.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

4. Hidratação

Chegue bem hidratado para beber, a desidratação causa muita dor de cabeça.

5. Cansado/descansado

Esteja descansado, pois acumular estresse com falta de nutrientes só faz aumentar a ressaca

6. Saúde

Esta é fácil de entender. Se você vai sobrecarregar o fígado, que é o responsável pela eliminação do álcool, é bom que ele esteja em perfeito estado de funcionamento.

Para prepara e proteger o fígado para esta tarefa precisaremos de vitaminas e minerais essenciais, como selênio, zinco e magnésio. Proteínas e gorduras monoinsaturadas, estas auxiliam na produção das enzimas que são fundamentais na manutenção do fígado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Portanto uma dieta rica e variada com frutas e verduras, cereais integrais (pão, arroz, aveia), feijões, sementes e peixes. Além das fontes de gordura com os sempre presentes azeite de oliva e castanhas ou nozes.

7. Remédios para evitar a ressaca

Não queria citar marcas, mas como não lembrar da propaganda “um Engov antes e outro depois”.

Não adianta nada para evitar a ressaca, apenas combate os sintomas, dentre seus componentes o hidróxido de alumínio, que alivia os males digestivos; AAS, que é um analgésico e a cafeína, que contrai os vasos sanguíneos dilatados pelo álcool e, assim, diminui o mal-estar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na verdade ainda não inventaram remédio algum que evite a ressaca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante

1. Misturar bebidas

Não há prova científica que a ressaca é pior para quem mistura destilados e fermentados. Alguns especialistas dizem que essa piora da ressaca talvez possa ter alguma relação com a forma como cada bebida é digerida pelo organismo.

As que contêm carboidrato, como a cerveja e os espumantes, estimulam o corpo a absorver maior quantidade de álcool, assim ao se passar para o uísque ou a cachaça a absorção do álcool seria mais rápida.

Mas o que acontece com certeza científica é que quem mistura bebidas acaba bebendo mais ainda.

2. Hidratação

O álcool desidrata fazendo com que o corpo retenha líquidos, a água reidrata, dilui o álcool e facilita o trabalho dos rins e do fígado na remoção de toxinas.

O álcool inibe a ação de um hormônio chamado antidiurético. Por isso, aumenta a produção de urina, facilitando a desidratação e a maior concentração de acetaldeído no corpo.

A água é o remédio anti-ressaca mais prático e barato que existe.

Vamos precisar ingerir mais líquidos sem álcool do que o habitual, o ideal é intercalar um copo d’água entre dois de bebida. Pode-se ingerir também suco ou refrigerantes, ambas bebidas são ricas em carboidratos, que viram energia e ajudam a metabolizar o álcool.

3. Carboidratos

A ingestão de carboidratos é importante porque que viram energia e ajudam a metabolizar o álcool.

4. Vomitar

Vomitar para não ter ressaca é uma roubada. Quando se vomita, há pouco álcool no estômago para pôr para fora. A maior parte já foi absorvida. O que se tem neste momento é muita secreção gástrica, que é ácida e dá o maior enjôo. Melhor apelar para os anti-ácidos.

5. Nicotina

Dobradinha do mal, quanto mais nicotina, menos oxigênio no sangue e mais rápido se dá o processo de intoxicação.

6. Comidas

Como já foi dito aqui beber de barriga vazia é a pior idéia que se pode ter, o álcool fica sem concorrência no processo de digestão.

7. Beber aos poucos – limite pessoal

Beber espaçadamente dá tempo ao organismo de metabolizar o álcool inferido. Da mesma forma a produção de acetaldeído é mais lenta, dando tempo ao organismo de eliminá-lo e evitar sua maior concentração.

Respeitar o seu limite – Peso, tolerância pessoal ao álcool e sexo são variáveis importantes para determinar o limite de cada pessoa. Conheça os sinais que seu corpo lhe dá.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera como de baixo risco beber até duas doses de álcool por ocasião se você for homem; se for mulher, uma dose. O cálculo é para uma pessoa de 70 quilos.

8. Mulheres

Não é preconceito ou machismo, mas as mulheres são mais suscetíveis aos efeitos do álcool, ficando altas mais rápido e com menor quantidade de álcool do que os homens.

Ao contrário dos homens, elas não têm um pouco da enzima álcool desidrogenase no estômago, que ajuda a metabolizar o álcool. As mulheres só possuem essa enzima no fígado.

Mesmos as mulheres magras e saradas têm proporcionalmente mais gordura e menos água do que os homens no organismo. E como o álcool se distribui pela porção de água, ele se concentra mais fortemente no organismo das mulheres.

9. Coisas que aumentam o risco de ressaca

Beber rapidamente, de estômago vazio, de maneira concentrada num curto período, é a “receita” perfeita para aumentar o risco de ressaca no dia seguinte.

10. Tipo de bebida

Quem já teve muitas ressacas, de bebidas diferentes, acredita que os tipos de ressaca também foram diferentes e já existem alguns estudos para corroborar esta sensação. Ficou constatado nestes estudos, difíceis e duros de serem realizados, mas alguém tem de se sacrificar pela ciência, que o alto consumo das bebidas escuras, como vinho, tequila, licores, uísque e conhaque, aumentam a frequência e a intensidade da ressaca. Já as bebidas claras, como rum, vodca e gim, tendem a causar menos efeitos.

A explicação não poderia estar no teor alcoólico, mas sim na presença de substâncias processadas na fabricação das bebidas.

Numa próxima coluna apresentarei a terceira e última parte do nosso Tratado Básico Sobre a Ressaca quando iremos conhecer algumas soluções para correr atrás de consertar o estrago depois que a ressaca já se instalou.








Você pode gostar