Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Documentário “Pele” mostra a história do país contada pelos muros das cidades

Em entrevista à coluna Hashtag Cinema, o cineasta Marcos Pimentel conta detalhes da produção

Por Tamires Rodrigues 26/10/2023 10h00
Foto: Divulgação/Embaúba Filmes

Estreia nesta quinta-feira (26), o documentário “Pele” do cineasta Marcos Pimentel, com um toque minimalista o diretor aborda na produção quase sem diálogos, os últimos acontecimentos do Brasil  registrados em paredes de várias metrópoles como Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. 

Jogos Olímpicos, Copa, Protestos de 2014, o golpe do ex-presidente Temer, a Lava Jato, a prisão e o Lula Livre, o Fora Bozo, o assassinato de Marielle, tudo é visualmente contado em forma de grafites e pichações. 

Sinopse: Documentário sobre a interação entre os habitantes das cidades e o que está expresso em seus muros e paredes. Grafites, pichações, símbolos indecifráveis, palavras de ordem, pensamentos políticos, hieróglifos, declarações de amor… Fragmentos de memória e gritos silenciosos que revelam os desejos, medos, fantasias e devaneios de quem habita os centros urbanos. As letras e desenhos interagem com os diferentes corpos que transitam pelo espaço público. As narrativas urgentes das ruas que expressam as subjetividades dos mais variados discursos visuais que “vestem” as cidades brasileiras.

Foto: Divulgação/Embaúba Filmes

“O tempo todo cidadãos de carne e osso estão interagindo com os habitantes do muros e paredes e isso cria relações interessantes que dizem muito, do nosso momento atual e me dediquei a mostrar tudo isso em um longa completo, por que eu já tinha retratado esses aspectos em outras produções em formas de curtas. E foi uma grande felicidade retratar uma série de obras que falam sobre o Brasil contemporâneo sobre a sociedade”, explica Pimentel.

Todo o longa foi rodado sem captação de som, tudo que o espectador vai escutar foi inserido na pós-produção, e todo o retrato representado em cena é de fácil entendimento. O silêncio presente no documentário diz de forma intensa o que os habitantes e artistas dessas cidades pensam sobre os acontecimentos da última década.  

“Se a gente acompanhar no documentário, vai ver os últimos acontecimentos políticos do Brasil, por que a gente tem pessoas que trabalham com arte urbana, um monte de gente que quer gritar as opressões que sentem e querem comentar como eles recebem esses processos. Então a gente conseguiu fazer uma obra bastante atual”, destaca. 

Foto: Divulgação/Embaúba Filmes

O principal destaque do documentário é justamente focar em acontecimentos que são reais para o povo brasileiros. Os Jogos Olímpicos do Rio, a Copa do Mundo de 2014, o Passe Livre e os protestos de junho de 2013, o golpe dado pelo Temer, a Lava Jato, a prisão do Lula, a Vaza Jato, o Lula Livre, o #elenão, os escândalos do governo Bolsonaro, o Fora Bozo, o assassinato na Marielle, racismo, fascismo, misoginia, intolerância religiosa e muitos protestos. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Então como esses pontos foram muitos esmiuçados nos últimos anos, seja pela imprensa ou comentários nas redes, o aspecto tangente do minimalismo presente no longa é completamente visual e fortemente presente, por que estamos falando do desgosto, da falta de justiça do descontentamento de artistas e de como eles podem expressar isso. 

“Uma preocupação que a gente tinha era de narrar, a gente não queria fazer só uma atmosfera, uma narrativa de longa metragem. Então a gente conta uma história, você vê algumas coisas que aconteceram, que estão acontecendo e o avanço político. E esse foi um grande desafio na hora da montagem, o grafite a pichação tem muito disso ser muito efêmero, por que o tempo e as pessoas estão agindo”, pontua. 

O documentário chega em um período de extrema mudança do país, em relação à cultura também, pois a sétima arte sofreu em vários aspectos nos últimos dois governos, uma mostra significativa da arte, do cinema, da verdade e de como manifestar tudo isso. 

Confira o trailer:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

​​Ficha técnica:

Direção: Marcos Pimentel;

Roteiro: Marcos Pimentel, Ivan Morales Jr;

Fotografia: Giovanna Pezzo;

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Som Direto: Giordano Lima;

Montagem: Ivan Morales Jr;

Gênero: Documentário;

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Distribuição: Embaúba Filmes;

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Duração: 115 minutos;

Classificação Indicativa: 12 anos;

Assistiu à cabine de imprensa a convite da Sinny Assessoria






Você pode gostar