Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Analice Nicolau

Conheça a campanha Maio Amarelo

Dando foco ao tema “Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”, o fisioterapeuta e doutor, Marcio Rogério Renzo, embasa a campanha que visa conscientizar motoristas para que tenham atenção

Por Analice Nicolau 06/05/2021 12h00
CONHEÇA A CAMPANHA MAIO AMARELO Fisioterapeuta e Doutor, Marcio Rogério Renzo, embasa a campanha que visa conscientizar motoristas para que tenham atenção

Com a entrada do mês de maio, a campanha “Maio Amarelo” dando ênfase ao “Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”, ganha destaque, tendo surgido da necessidade de direcionar a atenção da sociedade para os altos índices de acidentes de trânsito e a quantidade de vítimas remanescentes, que geralmente carregam sequelas para o resto de suas vidas, quando não as ceifam prematuramente.

Segunda a OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde), entre 20 e 50 milhões de pessoas sofrem lesões nos acidentes de trânsito, muitas vezes, gerando incapacidade permanente e, cerca de 1,35 milhões de pessoas, perdem suas vidas todos os anos. Essa é a terceira causa de mortes no Brasil, ocorrendo, principalmente, por origem humana, seja por falta de atenção ao trânsito, ultrapassagens proibidas, ingestão de bebidas alcoólicas, excesso de velocidade, uso de drogas ilícitas ou a desobediência à sinalização.
Os acidentes no trânsito geram despesas consideráveis tanto para os acidentados e suas famílias, quanto para o país todo, custando cerca de 3% de seu Produto Interno Bruto (PIB). Na pandemia, os motoboys respondem por cerca dos 70% dos acidentes, além de também sofrerem com os maiores índices de lesões graves.

Como a fisioterapia intervêm nesses casos?

De acordo com o fisioterapeuta e doutor, Marcio Rogério Renzo, quando, felizmente, os acidentes não são fatais, uma grande movimentação é feita, podendo haver intervenções cirúrgicas e ambulatoriais que necessitam de profissionais de diversas áreas da saúde, incluindo fisioterapeutas, que atuam já no período de internação do paciente, podendo estender sua atuação por vários meses e até anos, após a alta hospitalar. O fisioterapeuta diz que alguns pacientes demandam uma complexidade maior em seu tratamento, quando trazem sequelas neurológicas, além do tratamento ortopédico, também precisam de uma atuação sistêmica do fisioterapeuta, pois todo o organismo está afetado. Longos períodos de internação e reclusão ao leito são preocupações destes profissionais, pois além do cuidado com a lesões causadas pelo acidente, precisam estar atentos para que área não afetadas diretamente não percal suas funcionalidades.

Fisioterapeuta e Doutor, Marcio Rogério Renzo, embasa a campanha que visa conscientizar motoristas para que tenham atenção

Como é o tratamento?

Dr. Marcio diz que no tratamento fisioterápico são utilizadas várias técnicas, equipamentos e exercícios com a finalidade de diminuir os processos inflamatórios e dolorosos, e:

  • Melhorar a cicatrização das lesões;
  • Reduzir os encurtamentos e aderências musculares do membro afetado e das demais áreas do nosso corpo;
  • Aumentar a força muscular;
  • Melhorar a amplitude de movimentos das articulações e diminuir o risco de aderências;
  • Melhorar o controle postural, equilíbrio e a marcha do paciente;
  • Evitar que os pacientes tenham problemas respiratórios pela imobilidade;
  • Prevenir a formação de úlceras de pressão (escaras) e, quando formadas, tratá-las antes que mais enfermidades oportunistas ataquem o paciente.

O fisioterapeuta também frisa a importância de que para que o quadro geral do paciente tenha uma boa perspectiva de melhora, quanto antes se iniciar o tratamento fisioterápico, melhor. Estejam sempre atentos ao conduzirem veículos automotores. Evite fazer o uso do celular enquanto dirigir e, se for dirigir, não beba. Respeite a vida!






Você pode gostar