Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Saiba mais sobre a psoríase: doença enfrentada por Kim Kardashian e Kelly Key

Doença provoca manchas escamosas e avermelhadas na pele afeta autoestima e é carregada de preconceitos, apesar de não ser contagiosa

Por Analice Nicolau 27/09/2021 1h00
Doença provoca manchas escamosas e avermelhadas na pele afeta autoestima e é carregada de preconceitos, apesar de não ser contagiosa

Quando a cantora Kelly Key revelou que foi vacinada pelo grupo prioritário com a vacina da COVID-19, muitas pessoas a questionaram a respeito da doença que a mesma sofria. Foi quando a cantora revelou que enfrenta a Psoríase, doença autoimune e não contagiosa, que causa erupções na pele e baixa autoestima devido as manchas avermelhadas.

A esposa de Mico Freitas revelou que a doença começou a se manifestar durante a primeira temporada dela em Portugal e se intensificou em dezembro do ano passado, após ter COVID-19. Após diversos exames com sua dermatologista, teve o diagnostico da doença e começou seu tratamento com imunossupressor para tratar as lesões que acometeram 50% do corpo da cantora. O remédio a salvou e cicatrizou as lesões.

Com isso, Kelly Key teve sua autoestima prejudicada devido aos olhares das pessoas e o preconceito assim como Kim Kardashian, que em 2018, recebeu diversos comentários maldosos a respeito de sua pele e também revelou sofrer da doença há mais de nove anos.

O QUE É A PSORÍASE?

A Psoríase trata-se de uma doença de pele inflamatória e crônica, que acomete cerca de 2 milhões de pessoas por ano só no Brasil. Os sintomas mais comuns são coceiras e manchas vermelhas e descamações que aparecem principalmente nos cotovelos, joelhos, couro cabeludo, costas, palmas das mãos, plantas dos pés, mas pode ocorrer em outras regiões. Por alterar a aparência, é comum que a inflamação mexa com a autoestima dos pacientes, como é o caso de Kim e Kelly.

É uma doença inflamatória, não contagiosa e com incidência genética em cerca de 30% dos casos. Além do fator genético, é causada por estresse, exposição ao frio/calor ou questões imunológicas.

Apesar de não ter cura, tem diversos tratamentos. Os mais comuns são: tópico, com pomadas e cremes diretamente na pele; terapia, inclusive a psicoterapia; sistêmicos, com comprimidos ou injeções; biológicos, medicamentos injetáveis; fototerapia, exposição na luz através de raios ultravioletas. Outros fatores que impulsionam a melhora e até o desaparecimento dos sintomas são uma alimentação balanceada e a prática de atividade física.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Caso apresente alguns sintomas, consulte um dermatologista para fazer o tratamento mais indicado para o seu caso.








Você pode gostar