Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Analice Nicolau

“Não tem sinal de internet no Cristo Redentor”, dispara Cristiano Beraldo, ex-secretário de Turismo do Rio de Janeiro

Beraldo afirma que recebia do Rio R$ 147 mil para o turismo e após sua saída, secretária foi extinta

Por Analice Nicolau 22/07/2021 2h00
Beraldo afirma que recebia do Rio R$ 147 mil para o turismo e após sua saída, secretária foi extinta

Jeanine Pires, ex-presidente da Embratur, Cristiano Beraldo, ex-secretário de Turismo do Rio de Janeiro e Gustavo Arrais, ex-secretário de Turismo de Minas Gerais participaram de um bate papo com o psicólogo e PNL Francesco Pellegata pelo Instagram. Juntos, discutiram sobre a situação do turismo no Brasil durante e pós pandemia. Na live, Beraldo disparou: “Não tem sinal de internet no Cristo Redentor. Não dá pra você tirar uma foto e postar”.

Beraldo ainda completou: “É sempre a mulata sambando, a menina de biquíni. temos que parar de passar vergonha e começar a ter um fluxo turístico no brasil a altura que temos a oferecer, uma história riquíssima dos africanos, portugueses, alemães, italianos e japoneses… Quilômetros e quilômetros de praia, pantanal e Amazônia. Isso tudo que a gente tem é tão rico que é inigualável e a gente não consegue trazer um volume de turista a altura que o Brasil tem a oferecer.”

O Ex-secretário de Turismo do Rio de Janeiro também se mostrou indignado com o fim da secretaria. “Quando eu pedi pra sair, o orçamento da Secretaria do Estado do Rio de Janeiro era de R$ 147 mil e quando eu sai a secretaria foi extinta, vê se isso é levar turismo a sério? Não é!”, disse indignado.

“Para que você possa fortalecer o turismo e o Brasil estar no patamar que ele merece e precisa, é necessário investimentos recorrentes. No Rio eu estava pleiteando R$ 150 milhões, ano, para poder fazer a transformação da cidade como um efetivo polo turístico e redobrar o número de visitantes em 4 anos.” comenta Cristiano. “Esses bilhões que a gente gasta de forma tão inútil, como fundo eleitoral e outros tantos exemplos, são números que sem dúvida transformariam o Brasil em polo turístico e transformariam a vida de milhões de pessoas. ” finaliza.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar