Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Após perder olho e rim, Amália Barros fala sobre como tornou os problemas em troféu

A jornalista vai lançar um livro contando a história de vida

Por Analice Nicolau 24/11/2021 1h00
A jornalista vai lançar um livro contando a história de vida

Enquanto muitas pessoas deixam os problemas virarem motivo para que elas não cresçam, Amália Barros fez o contrário. Após perder um rim e um olho, a jornalista abriu um instituto social, ajudou milhares de pessoas, deu o nome a uma lei e agora está lançando o livro “Se Enxerga”, onde ela conta a emocionante trajetória de vida.


Apesar de um problema não ter nada a ver o outro, Amália passou por dois procedimentos difíceis de saúde. Um deles foi a retirada de um rim, pois ela afirma que o órgão não se desenvolveu e era do tamanho de uma azeitona. Para evitar qualquer tipo de infecção, ela passou por uma cirurgia de retirada de um dos rins.


O segundo procedimento foi a retirada de um globo ocular esquerdo. “Foi da noite para o dia, eu dormi enxergando e acordei cega, literalmente. Foi por conta de uma infecção chamada Toxoplasmose”, explica Amália. Ela chegou a fazer 12 cirurgias no intuito de recuperar a visão, mas não teve sucesso. Em 2016, a jornalista precisou retirar o globo ocular e colocou uma prótese.


Mesmo diante dos problemas, Amália confessa que sempre teve muito otimismo para lidar com as situações. Talvez por isso que ela tenha conseguido transformar problemas sérios em grandes soluções, e é exatamente isso que ela vai contar no livro ‘Se Enxerga’. “Eu conto como tornei o maior problema da minha vida no meu maior troféu e como, através disso, consegui impactar a vida de tantas pessoas”.


Falando sempre sobre a visão monocular, Amália conheceu diversas pessoas que passam pelo mesmo que ela e começou a falar sobre isso nas redes sociais. Ela já arrecadou fundos para ajudar milhares de pessoas a conseguirem a tão sonhada prótese e obteve ajuda até da dupla Henrique & Juliano.


Atualmente, a jornalista lançou o Instituto Amália Barros, que é a Associação Nacional da Pessoa com Visão Monocular no Brasil. Ela também conseguiu que políticos ouvissem o problema dela e reconhecessem a visão monocular como deficiência visual para todos os efeitos legais. A Lei 14.126 foi sancionada em março de 2021 e batizada com o nome dela. O livro será lançado no dia 1º de dezembro, no Salão Negro do Senado Federal, das 18h30 às 21h. Siga @AmaliaBarros para saber mais ou acesse o site.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar