Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília em duas rodas

KM 05 – Checagem da bike antes de um treino

Por Fabrício Lino 13/11/2020 3h23
KM 05 - Checagem da bike antes de um treino KM 05 – Checagem da bike antes de um treino

Pessoal o pneu da minha bicicleta está um pouco vazio, alguém pode me emprestar uma bomba aí? Alguém tem um óleo pra passar aqui na minha corrente, está seca demais!!! Estas são “verdades” ditas por ciclistas e mountain bikers em quase todos os dias de pedal em grupo. Então vamos lá? Como evitar esta gafe e chegar pronto para o “combate”?

Uma bicicleta sem manutenção, sem cuidados e sem revisão na maioria das vezes traz consigo alguns pequenos problemas como os citados acima. Estes por sua vez são bem simples de resolver e em grandes grupos é muito comum um ou mais terem bombas de pé no porta-malas e um pequeno tubo de óleo para corrente. Mas como seria maravilhoso chegar para o treino pronto e com tudo em ordem né!?

Depende! Esta é a resposta que sempre dou para quando me perguntam sobre quanto tempo é necessário entre uma revisão e outra na magrela. A forma de utilização, os locais de treino, as condições climáticas e do terreno, são fatores importantes para responder a este questionamento. Veja bem, uma bicicleta de ciclismo de estrada que roda no asfalto o tempo todo em condições de sol, ou seja, sem chuvas e que não apresente barulhos ou ruídos, pode levar um bom tempo sem entrar em uma oficina de bikes. Se este mesmo ciclista costuma limpar a relação e as engrenagens após alguns dias ou quilômetros de uso, aí sim que o tempo de oficina passa a demorar ainda mais.

Vamos para um outro cenário! Saímos do asfalto liso e seco e vamos para uma trilha com terra, lama, riachos, poeira e muito sobe e desce, além dos cascalhos, quedas, galhos e outras intempéries que o mountain bike proporciona. Ora, é nítido que esta bicicleta sofreu bastante ao longo desta utilização. Um quadro repleto de lama dura, uma relação de marchas (câmbios, corrente e cassete) cheios de barro endurecido e certamente esta bicicleta não estará pronta para uma outra pedalada no dia seguinte.

Este segundo cenário precisa de, no mínimo, uma limpeza rápida e eficiente para garantir uma próxima pedalada com todo o sistema funcionando. Mas não desanime! É muito comum sair destas trilhas e passar em algum local para dar aquele trato rápido na bicicleta.

Já vimos que a limpeza é um ponto importante para o bom funcionamento do equipamento, mas existem outros pontos importantes a serem verificados com frequência, um deles é a lubrificação. A corrente, coroa(s) e catracas precisam estar sempre lubrificadas e sem excessos de sujeiras externas. É simples, rápido e sem muita sujeira fazer este tipo de limpeza em casa mesmo.

As engrenagens (marchas) também precisam de atenção especial, são as marchas da bicicleta que garantem, ou pelo menos ajudam, nas descidas e subidas do nosso caminho. Não existe uma causa específica que faz desregular um sistema de marchas, mas alguns cuidados podem ser observados: esteja atento para não apertar ou forçar o câmbio traseiro da sua bike durante o transporte, isso pode empenar a gancheira e levar sua bike ao mecânico antes do esperado. Não force trocadas de marcha de forma brusca e também não fique apertando ou girando os controles com a bike parada. Uma outra observação é tentar prever e antecipar as trocas de marchas para que não “detone” todo o sistema. Uma corrente que cai a todo instante é algo incomum e que deve ser visto e resolvido com brevidade também.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Algo que é consenso entre vendedores e mecânicos de bicicletas é que os grupos mais tops, ou grupos de peças melhores e mais sofisticados precisam menos de manutenção do que os grupos simples e “de entrada” como chamamos. Este último é um grupo mais frágil e que acaba cedendo mais com o tempo de utilização, solicitando assim mais visitas ao mecânico.

Falando um pouco da atualidade, é muito comum encontrarmos bicicletas com grupos eletrônicos e até mesmo com sistemas wireless, estes por sua vez tem todo um controle de fácil regulagem e que muitas vezes podem ser feitos até mesmo pedalando, claro que requer um prévio conhecimento de como isso pode ser feito. Estes grupos apesar de mais caros são os mais procurados pelos amantes das bikes e em geral costumam dar menos problemas, mas lembre-se sempre de carregar as baterias. rs

Se você está começando no pedal ou mesmo se já anda há um tempo, os cuidados são e serão os mesmos, então anote aí e faça a sua checagem na noite anterior ao pedal: os pneus estão calibrados? A engrenagem está limpa e lubrificada? As marchas estão funcionando perfeitamente? As baterias estão carregadas? Se todas as respostas acima forem positivas, você pode acordar tranquilo e partir para seu treino solo ou com os amigos com tranquilidade e não passar vergonha! 😉

Ah! Falando em passar vergonha, lembre-se sempre de ter “em mãos” o seu kit de reparos! Uma câmera de ar, uma mini-bomba e um par de espátulas, é o básico que você precisa para sair tranquilo e não ficar na mão pelas ruas da cidade!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar