fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Vasco divulga vídeo contra homofobia após polêmica

O vídeo, publicado no canal oficial do time carioca no Youtube, conta com a participação de jogadores, que proferiram diferentes mensagens para enfatizar que a agremiação é contra qualquer manifestação de cunho discriminatório sob o título de “O Vasco é a casa de todos”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Sob risco de perder pontos no Brasileirão em julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por causa do comportamento de parte dos seus torcedores durante a partida contra o São Paulo, no último domingo, em São Januário, o Vasco continua se empenhando para mostrar a sua posição contrária a atos de homofobia.

Dois dias depois de soltar uma nota oficial na qual repudiou os cantos homofóbicos de sua torcida e se desculpou pelo ocorrido, o clube divulgou um vídeo nesta quarta-feira para ressaltar a sua reprovação a atitudes desta natureza.

O vídeo, publicado no canal oficial do time carioca no Youtube, conta com a participação dos jogadores Talles Magno, Leandro Castán e Fernando Miguel, que proferiram diferentes mensagens para enfatizar que a agremiação é contra qualquer manifestação de cunho discriminatório. E, ao fim desta publicação, os três são exibidos dizendo simultaneamente a seguinte frase: “O Vasco é a casa de todos”.

O confronto do domingo passado, vencido pelos vascaínos por 2 a 0 pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, chegou a ser interrompido pelo árbitro gaúcho Anderson Daronco por causa das manifestações homofóbicas de torcedores contra os são-paulinos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O canto “time de v…” da torcida do Vasco durante o duelo pode fazer o clube carioca ser punido com a perda de três pontos no Brasileirão. E como Daronco relatou o caso na súmula da partida, a procuradoria do STJD pode fazer uma denúncia em até 60 dias.

Na última segunda-feira, o tribunal também recomendou que as atitudes preconceituosas passassem a ser relatadas nas súmulas dos jogos e alertou que estes casos deverão ser enquadrados no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala em praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência

No jogo de domingo, Daronco foi até o banco de reservas e pediu ao técnico Vanderlei Luxemburgo para que orientasse a torcida da equipe carioca a parar com as ofensas. O treinador e os jogadores fizeram gestos para que os torcedores não continuassem com os cânticos deste tipo. E na nota oficial que divulgou na segunda-feira, o Vasco ressaltou que o combate aos gritos homofóbicos não deve acontecer apenas pelo temor de uma punição esportiva, mas “por uma questão de cidadania e respeito ao próximo e cumprimento da lei”. 

Treino vascaíno

Enquanto o clube promove a sua campanha contra a homofobia, o time vascaíno segue a sua preparação para enfrentar o Cruzeiro, domingo, às 19 horas, no Mineirão, pela 17ª rodada do Brasileirão. Na tarde desta quarta-feira, a equipe treinou no CT do Almirante, onde jogadores que não atuaram por 90 minutos no último domingo participaram de uma atividade que também contou com a presença de jovens da categoria sub-20 do clube.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

E entre estes garotos estava Kaio Magno, que se destacou ao fazer um golaço com um chute do meio do campo. Ele é irmão de Talles, que aos 17 anos já faz parte do elenco profissional e marcou um dos gols da equipe na vitória por 2 a 0 sobre o São Paulo.

Os jogadores considerados titulares que deverão formar a equipe que será escalada contra os cruzeirenses realizaram um trabalho em campo reduzido em outro gramado do CT do Almirante. O time cruzmaltino ocupa o 14º lugar do Brasileirão, com 20 pontos.

Estadão Conteúdo


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade