Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Sede do Mundial sub-17, Bezerrão não tem laudos para funcionamento

Estádio receberá pelo menos dois jogos da Seleção Brasileira. No entanto, Polícia, Bombeiros e outros órgãos precisam autorizar

Bezerrao
Foto: Camila Bairros/DF Sports+

Willian Matos
[email protected]

O estádio Bezerrão, localizado no Gama, é o segundo maior do Distrito Federal. Fundamental para o esporte local, o espaço recebe, anualmente, diversos jogos de campeonatos profissionais e amadores de futebol. Em 2019, desbancou o Mané Garrincha e foi anunciado como palco para o Mundial masculino sub-17. A Seleção Brasileira, inclusive, fará duas partidas aqui, nos dias 26 e 28 de outubro — podendo fazer mais duas, a depender do desempenho nos primeiros duelos. No entanto, se o torneio começasse hoje, o Bezerrão não estaria liberado pelas autoridades para receber as partidas.

Isso porque o estádio ainda não tem todos os laudos necessários junto a Defesa Civil, Polícia Militar (PMDF) e Corpo de Bombeiros (CBMDF) para que os jogos possam acontecer no local. A reportagem do Jornal de Brasília entrou em contato com o administrador do Bezerrão, Arthur Oliveira, que explicou a falta dos documentos. 

“Assumimos a direção do estádio há 37 dias. Nesse período, identificamos vários problemas acumulados ao longo das gestões anteriores. Alguns já foram resolvidos, e outros estão sendo providenciados com a Secretaria de Esportes para que sejam emitidos todos os laudos necessários em questão de poucos dias”, explica o administrador. “São pequenos detalhes que [as gestões passadas] não tiveram os  devidos cuidados”, conclui.

Arthur prefere não especificar os problemas que o Bezerrão apresentou para ainda não ter os laudos, mas afirmou que são apenas “alguns reparos a serem feitos.” O administrador afirma, ainda, que na próxima segunda-feira (15/7) vai dar início aos ajustes. 

Vale lembrar que o estádio Bezerrão não pertence à Sociedade Esportiva do Gama. O local é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer do DF e tem administração específica. No entanto, o Gama usa e sempre usou o Bezerrão como casa, tendo média de público de mais de mil torcedores durante os jogos —  a maior do futebol de Brasília.

Problema antigo

“Laudo” é uma palavra que assombra dirigentes, administradores, autoridades e seguidores do futebol do Distrito Federal. No início de cada temporada, tem sido comum ver os responsáveis pelos estádios locais correndo contra o tempo para viabilizar ajustes nas arenas sempre às vésperas do Campeonato Candango (Candangão), evento de futebol regional mais importante do ano.

O Candangão 2019 começou em janeiro e, há 25 dias do início do campeonato, nenhum estádio do DF tinha laudo (inclusive o Bezerrão). Apenas o Frei Norberto, em Paracatu-MG, e o Serra do Lago, em Luziânia-GO, estavam preparados desde sempre. O problema das arenas brasilienses era com coisas relacionadas a cuidados com vestiários, arquibancadas, equipamentos de segurança, limpeza e cuidados gerais.

Apesar da correria, deu tudo certo. A maioria dos estádios locais — com exceção do Rorizão, em Samambaia, ficaram à disposição do futebol local. Até mesmo o Serejão, que foi utilizado por Brasiliense e Taguatinga. O estádio, que já recebeu vários clubes gigantes do futebol brasileiro, como Flamengo, São Paulo e Corinthians, estava fechado desde 2016. O Jacaré ainda joga lá nesta temporada, no próximo dia 31, contra o Vitória-ES pela Copa Verde.

Segundinha

Antes do Mundial sub-17, o Bezerrão deverá receber jogos da segunda divisão do Candangão, apelidada carinhosamente de Segundinha. O campeonato começa no dia 24 de agosto e termina em outubro. Os estádios que o torneio irá utilizar serão definidos futuramente.

Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *