Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Levanta-te e anda! Lázaro decide de novo e Brasil é tetracampeão do Mundial Sub-17

Herói da classificação à final, camisa 20 faz o gol do título no Bezerrão; esperança deixou de lado o fantasma de 2005 em festa no Bezerrão

Willian Matos

Publicado

em

PUBLICIDADE

Olavo David Neto
redacao@grupojbr.com

Não há outra palavra para resumir o tetracampeonato brasileiro no Mundial Sub-17 que não “superação”. Na noite de domingo (17), a Seleção Brasileira virou sobre o México no Bezerrão e voltou a levantar a taça do certame após 16 anos. Gonzalez marcou para os mexicanos, e Kaio Jorge (de pênalti) e Lázaro, aos 48 do segundo tempo, anotaram para manter o troféu da competição no Brasil.

Apesar do nervosismo dos minutos iniciais, os jogadores brasileiros estavam mais soltos e arriscavam jogadas individuais e passes de efeito para servir aos colegas de ataque. Destaque para Daniel Cabral, que armava o jogo desde o círculo central e repelia a maior parte das jogadas mexicanas. Com baixa capacidade de finalização e uma noite inspirada do goleiro García, porém, a Seleção Brasileira não conseguiu transformar o domínio em gols e os times desceram para os vestiários com o placar zerado.

Mais morna ainda, a etapa final se encaminhava para uma disputa por pênaltis quando, aos 21’, depois de bobeira da marcação brasileira, Pizzulo cruzou da intermediária esquerda e Gonzalez, entre dois marcadores, cabeceou forte para o chão, como manda o manual. Festa mexicana na decisão do Mundial Sub-17.

Se antes estava só no campo das ideias, o fantasma de uma freguesia – que inclui até a final do mesmo torneio em 2005, quando mexicanos bateram a Seleção Brasileira por 3 a 0 – entrou de vez no gramado do Bezerrão.

A apreensão das arquibancadas virou euforia quando o árbitro, após consultar o vídeo, assinalou pênalti em Gabriel Veron. Kaio Jorge converteu o pênalti, empatou a partida, aos 40’ do segundo tempo, e transformou o pesadelo em esperança no Walmir Campelo Bezerra: contra Chile e França, a Seleção Brasileira arrancou viradas para chegar à vitória.

Kaio Jorge, cria do Santos, também merece destaque: centroavante marcou em jogos importantes na caminhada ao título. Foto: Divulgação/CBF

Pouco depois, aos 48’, Yan Couto foi à linha de fundo e cruzou para o meio da área. Kaio Jorge se abaixou e o iluminado Lazaro, mais uma vez, fez o gol da festa brasileira. Então, em uníssono, o Brasil celebrou – 16 anos depois – um título da competição, o quarto na sala de troféus da Confederação Brasileira de Futebol.

Premiações

Autor do gol de empate, Kaio Jorge chegou aos cinco gols na competição e recebeu a chuteira de bronze do torneio. Matheus Donelli foi eleito o melhor goleiro da Copa do Mundo Sub-17, e Gabriel Veron recebeu o troféu de melhor jogador do certame. Mas a principal vitória da noite foi de uma Seleção Brasileira que sequer participaria do torneio se não fosse anfitriã, e que superou a desconfiança para sair do Bezerrão com um título mundial.

FICHA TÉCNICA
MUNDIAL SUB-17 – ESTÁDIO BEZERRÃO – GAMA/DF
MÉXICO 1×2 BRASIL

Árbitro: Andris Treimanis (LET)

Auxiliar 1: Haralds Gudermanis (LET)

Auxiliar 2: Aleksejs Spasjonnikovs (LET)

Público: 14.544 presentes

Amarelo: Ávila e Alejandro Gomez (México); Daniel Cabral (Brasil)

México

García; Lara, Guzman, Martinez; Pizzuto (C), Martinez, Gonzales, Luna (El-Mesmare), Alvarez (Avila) e Muñoz (Gomez);

Brasil

Donelli; Yan Couto, Luan Patrick, Henri, Patryck; Daniel Garcia, Diego, Pedro Lucas (Matheus Araújo); Veron, João Peglow (Lazaro) e Kaio Jorge;


Você pode gostar
Publicidade