Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Ganso diz entender críticas, mas apoia Diniz no Flu: ‘Trabalho está sendo feito’

Nesta terça-feira, o Fluminense recebe o Peñarol no jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana

Publicado

em

O Fluminense vive uma gangorra de emoções e resultados nas últimas semanas. Desde a retomada de jogos após a parada para a Copa América, o time tricolor passa por um péssimo momento no Campeonato Brasileiro, mas está bem na Copa Sul-Americana. A boa campanha na competição continental – está em vantagem no duelo das oitavas de final contra o Peñarol, do Uruguai – contrasta com os desempenhos ruins no torneio nacional, que o levaram à zona de rebaixamento.

Um dos líderes do elenco, o meia Paulo Henrique Ganso concorda que as críticas do torcedores são válidas, mas só por causa dos resultados; não pelo trabalho feito pelo técnico Fernando Diniz. “O torcedor tem razão em criticar a falta de resultados, mas o trabalho do time do Fluminense está sendo apresentado. Contra o São Paulo, tivemos o controle da partida, mas tomamos gols em bolas paradas. A gente tem feito um bom trabalho”, disse o jogador em entrevista coletiva nesta segunda-feira.

“O Fernando Diniz é uma pessoa espetacular, não só como treinador. Pode conversar sobre qualquer coisa. Ele tenta ajudar o jogador para além do campo, além de treinar e ensaiar jogadas. O trabalho está sendo bem feito, com um futebol que todo mundo gosta de assistir. Ele vai nos ajudar a vencer e ter grandes resultados”, comentou Paulo Henrique Ganso em apoio ao treinador

Nesta terça-feira, o Fluminense recebe o Peñarol no jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Na ida, em Montevidéu, na semana passada, o time carioca venceu por 2 a 1 e joga pelo empate e até por uma derrota por 1 a 0 para avançar. O meia quer que todos na equipe sejam mais efetivos na conclusão das jogadas de ataque.

“Eles vêm com uma atenção maior. Na primeira partida, talvez não conhecessem tão bem a nossa forma de jogar. Acho que dessa vez será diferente. Temos que matar a partida. Temos criado muitas oportunidades de gol, mas pecamos no último passe. Assim como foi no primeiro jogo contra o Peñarol. Não tivemos muitas chances, mas matamos a partida”, analisou.

Paulo Henrique Ganso comentou também sobre sua parceria com Nenê, recém contratado junto ao São Paulo, no Fluminense. “É uma parceria que tem tudo para dar certo. Nenê é um cara que tem qualidade muito grande. É uma pena que não pôde jogar contra o São Paulo. Vai nos ajudar bastante. No nosso time, ninguém é marcador nato, mas todo mundo se ajuda. Quando ele estiver, não vai ser diferente. Vai nos ajudar na marcação e ali na frente”, completou.

 

Estadão Conteúdo


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade