Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Fla é favorito; Grêmio é copeiro

Certeza só uma: quarta-feira, às 21h30, quem gosta de futebol (independentemente do time que torça) não pode perder esse que será- no mínimo – um jogaço

Publicado

em

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo
Publicidade

Por Olavo David Neto e Petronilo Oliveira

A partir desta segunda-feira (21), nós, os jornalistas Olavo David Neto e Petronilo Oliveira, conversaremos com você sobre esporte. A gente não foge de assunto, então falaremos de qualquer modalidade, seja local, nacional ou internacional. Sua participação, crítica, elogio e sugestão são fundamentais para nós dois. Cola na gente: toda segundas-feira estaremos por aqui!

Dois pesos e duas medidas

Gaúchos e cariocas vivem a expectativa de uma decisão de Libertadores. Para os gremistas, uma vitória coloca o clube na segunda final em três temporadas no torneio; os flamenguistas, porém, não chegam ao jogo derradeiro do torneio desde 1981, quando conquistou o único título da principal competição da América do Sul, ainda sob a batuta de Zico, o Galinho de Quintino.

Libertação

O Flamengo tem jogadores mais renomados, mais dinheiro, terá a torcida a seu favor e vive uma fase parecida com a dos anos 80, desta vez sob o comando do excelente treinador português Jorge Jesus. Por outro lado, mesmo tendo a maior torcida do Brasil e uma camisa pesada nacionalmente, a tradição do Grêmio em Libertadores pode pesar a favor dos gaúchos. Certeza só uma: quarta-feira, às 21h30, quem gosta de futebol (independentemente do time que torça) não pode perder esse que será – no mínimo – um jogaço.

Lei do ex…

Léo Moura, David Braz e Rômulo são figuras que volta e meia estão no time titular de Renato Portaluppi e já defenderam o rubro-negro. O lateral chegou a conquistar a Copa do Brasil de 2006 e o Brasileirão de 2009 pelo Urubu. Outro campeão brasileiro na Gávea foi o matador Diego Tardelli.

Léo Moura. Foto: Reprodução/Instagram

…Também vale para o gol

Como a regra também vale para goleiros, Paulo Victor (revelado pelo Rubro-Negro) pode fechar o gol contra o Urubu no Maracanã. O arqueiro defendeu o Flamengo entre 2004 (ainda no Sub-17) e só saiu do RJ em 2016.

Desde guri!

Rafael Galhardo e Felipe Vizeu também defendem as três cores no Sul do país, mas foram formados nas categorias de base flamenguistas. Ambos vestiram as listras vermelhas e pretas desde o Sub-17.

Preconceito?!

Muito se comentou a atitude de time e torcida do Fortaleza, que tiraram onda dos torcedores mistos na última quarta (16), em confronto frente ao Flamengo (o rei da dupla militância), no Castelão. Quem não é cabra da peste não sabe, mas é complicado ter partidas locais esvaziadas e jogos “do eixo” lotados no Nordeste. Falar de xenofobia por parte de nordestinos, como diriam lá na minha terra, é de lascar mesmo, viu?

Dá licença

Até porque os mistos são zoados tanto dentro quanto fora dos locais de nascimento. Cada um escolhe o que bem entender, mas criticar a exaltação aos tricolores “puro-sangue” é cruzar limites. Times grandes como a dupla Ba-Vi, por exemplo, não têm mais para onde crescer suas imensas torcidas. Se não estimulam que os locais torçam para times da região, perdem para os que dominam a mídia nacional. Ou acham que a Globo passará jogos do Leão do Pici ou do Vozão, e não de Flamengo, Vasco, Corinthians e Palmeiras? Pelo visto, ainda existe bobo no futebol.

Vai, Leão!

Engraçado é que todos falam admirados do bairrismo gaúcho, onde o Gre-Nal é a única opção. E têm de falar mesmo, mas por que só exaltam o que vem de baixo do país? Resposta: porque lá não há hegemonia de cariocas e paulistas. Nunca teve e nunca terá. Todo apoio à bela festa da torcida do Fortaleza. Mais uma, na verdade, na linda galeria do Castelão. Foi de pura emoção o momento em que o Cristo Redentor de chapéu de couro deixava as listras rubro-negras e se assumia tricolor. Arrepiante mesmo.

Torcida do Fortaleza. Foto: Reprodução/Instagram

É preconceito também!

Eu, Petronilo Oliveira, nasci em Brasília, cidade que o futebol, infelizmente e por incompetência de quem comanda, está em baixa. Já teve seus bons tempos com Gama e Brasiliense na Série A do Brasileiro. Mas em 1984, ano em que nasci, praticamente só tinha futebol amador pelas bandas de cá. E ainda ouço críticas do tipo “nasceu em Brasília e não torce para nenhum time daqui”. Já estamos passando por dias turbulentos devido à postura do Governo Federal, e um jogo de futebol para nós, amantes e torcedores, é a hora de extravasar. Mas as pessoas preferem fazer o quê? Inventar regras!

Cada vez mais perto da taça

Flamengo venceu com propriedade o Fluminense, aproveitou que o Palmeiras empatou com o Athletico-PR e abriu dez pontos de vantagem para o Alviverde paulista. Será que alguém tira o hepta do time carioca?

Vergonha alviverde!

Perder pontos para o Athletico-PR é mais do que normal. O time paranaense é um dos times mais bem treinados do país. Vergonha é ler no dia seguinte que alguns “torcedores do Palmeiras” agrediram a família do volante Bruno Henrique. O cara levou a família para assistir o jogo em Curitiba e a esposa… isso mesmo a esposa do Bruno Henrique foi agredida verbal e fisicamente. Sinceramente, se eu sou o Bruno Henrique pego minhas coisas e vou embora. Ele tem muito mercado e certamente desempregado por mais de um mês não fica.

Fechamento

Parabéns ao Vasco pela vitória contra o Inter no Beira-Rio. O professor Luxemburgo vem fazendo um belo trabalho, mesmo sem muita opção em suas mãos. Hoje à noite tem Bahia e Ceará e os jogadores do tricolor vão entrar em campo com a camisa com uma mancha de óleo para protestar contra o que estão fazendo com nossas belas praias


Você pode gostar
Publicidade