Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Firmino decide no fim, Liverpool vence Monterrey e encara Fla na final do Mundial

A decisão está marcada para as 14h30 de sábado, na terça, o Flamengo vencera o Al Hilal por 3 a 1, assim, as duas equipes vão reeditar a final de 1981

Avatar

Publicado

em

Foto: Kai Pfaffenbach/ Reuters
PUBLICIDADE

A aguardada final entre Flamengo e Liverpool, 38 anos depois, foi confirmada nesta quarta-feira. O time inglês garantiu sua vaga na decisão do Mundial de Clubes ao derrotar, com certa dose de sofrimento, o Monterrey por 2 a 1, em Doha, no Catar. O brasileiro Roberto Firmino decidiu o duelo ao marcar aos 45 minutos do segundo tempo.

O resultado confirmou a esperada final entre os favoritos da competição organizada pela Fifa. A decisão está marcada para as 14h30 de sábado. Na terça, o Flamengo vencera o Al Hilal por 3 a 1. Assim, as duas equipes vão reeditar a final de 1981, quando o time carioca, então liderado por Zico, surpreendeu o mundo ao aplicar 3 a 0 no favorito inglês e faturar o troféu.

Entre os dois favoritos, o Liverpool acabou sendo o time que mais sofreu em sua estreia. O técnico Jürgen Klopp surpreendeu ao escalar sua equipe com apenas quatro titulares. O motivo é o desgaste recente do Liverpool, que tem oito jogos no calendário somente em dezembro, por quatro competições diferentes, entre jogos decisivos, como aconteceu na Liga dos Campeões.

Não bastasse as baixas, o Liverpool teve dificuldade com a forte e eficiente marcação do Monterrey, que aguentou o quanto pôde até os instantes finais. Mas não resistiu quando o time inglês passou a contar com o seu trio ofensivo, formado por Salah, Firmino e Mané. Os dois últimos entraram somente no segundo tempo. O brasileiro fora colocado em campo apenas seis minutos antes de decidir o duelo.

O JOGO – Preocupado com o desgaste do seu elenco, Klopp escalou uma equipe mista nesta quarta. Deixou de fora, por precaução, o zagueiro Van Dijk e o volante Wijnaldum – o clube garante que a dupla não preocupa -, e poupou Mané, Firmino e Alexander-Arnold. Assim, Henderson atuou improvisado na zaga, enquanto Milner jogou na lateral direita. Shaqiri e Lallana reforçaram o meio-campo.

Com esta formação, o Liverpool até começou no ataque, com uma finalização perigosa de Shaqiri aos 4 minutos, mas não escondia as limitações em comparação ao time titular, principalmente na defesa. Aos 11, Salah recebeu na intermediária, girou rápido e deu precisa enfiada para Keita entrar na área e bater na saída do goleiro Barovero: 1 a 0.

O gol, contudo, não mascarou as dificuldades do time inglês. Apenas dois minutos depois, o Monterrey buscou o empate. Após bate-rebate na área, o goleiro Alisson deu rebote e Funes Mori, sem qualquer marcação na pequena área, só completou para as redes.

Na metade do primeiro tempo, o Liverpool registrava posse de bola de até 73%. Porém, criava pouco. Salah era a única fonte de inspiração da equipe, que parava com facilidade na marcação mexicana e levava sustos constantes na defesa. Aos 26, Alisson precisou fazer bela defesa para evitar o gol de Pabón, em forte finalização da direita. As investidas do Monterrey eram sempre pela direita do ataque, nas costas do volante Henderson, improvisado na zaga.

No segundo tempo, o Monterrey criou a primeira boa oportunidade. Aos 4, o mesmo Pabón cobrou falta com perigo e Alisson saltou para fazer linda defesa. Do outro lado, o Liverpool respondeu com Keita, que perdeu grande chance na marca do pênalti ao bater em cima do goleiro, aos 12.

Diante das dificuldades em campo, Klopp passou a recorrer aos titulares que deixara no banco. Mané e Alexander-Arnold entraram nas vagas de Shaqiri e Milner, na tentativa do treinador de furar a retranca mexicana. Na sequência, Firmino substituiu Origi, deixando o Liverpool com o seu tradicional trio de ataque completo somente aos 39.

As trocas valeram a pena. Numa típica jogada do ataque inglês, Salah investiu pela linha de fundo, pela direita, e acionou o lateral Alex Arnold (outro que entrou somente no segundo tempo), que deu passe preciso para Firmino. Na pequena área, o brasileiro só completou para as redes, aos 45 minutos do segundo tempo, e sacramentou a vaga do Liverpool na final do Mundial.

FICHA TÉCNICA:

MONTERREY 1 x 2 LIVERPOOL

MONTERREY – Marcelo Barovero; César Montes (Layun), Nicolás Sánchez, Leonel Vangioni e John Stefan Medina; Celso Ortiz, Carlos Rodríguez, Jesús Gallardo, Rodolfo Pizarro (González); Dorlan Pabón (Meza) e Funes Mori. Técnico: Antonio Mohamed.

LIVERPOOL – Alisson; Milner (Alexander-Arnold), Joe Gomez, Henderson, Robertson; Oxlade-Chamberlain, Shaqiri (Mané), Lallana; Keita, Origi (Roberto Firmino) e Salah. Técnico: Jürgen Klopp.

GOLS – Keita, aos 11, e Funes Mori, aos 13 minutos do primeiro tempo. Firmino, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Vangioni, Joe Gomez, Gallardo.

ÁRBITRO – Roberto Tobar (Chile).

RENDA – Não disponível.

PÚBLICO – 45.416 torcedores.

LOCAL – Estádio Internacional Khalifa, em Doha (Catar).


Estadão Conteúdo


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade