fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Firmino decide no fim, Liverpool vence Monterrey e encara Fla na final do Mundial

A decisão está marcada para as 14h30 de sábado, na terça, o Flamengo vencera o Al Hilal por 3 a 1, assim, as duas equipes vão reeditar a final de 1981

Avatar

Publicado

em

Foto: Kai Pfaffenbach/ Reuters
PUBLICIDADE

A aguardada final entre Flamengo e Liverpool, 38 anos depois, foi confirmada nesta quarta-feira. O time inglês garantiu sua vaga na decisão do Mundial de Clubes ao derrotar, com certa dose de sofrimento, o Monterrey por 2 a 1, em Doha, no Catar. O brasileiro Roberto Firmino decidiu o duelo ao marcar aos 45 minutos do segundo tempo.

O resultado confirmou a esperada final entre os favoritos da competição organizada pela Fifa. A decisão está marcada para as 14h30 de sábado. Na terça, o Flamengo vencera o Al Hilal por 3 a 1. Assim, as duas equipes vão reeditar a final de 1981, quando o time carioca, então liderado por Zico, surpreendeu o mundo ao aplicar 3 a 0 no favorito inglês e faturar o troféu.

Entre os dois favoritos, o Liverpool acabou sendo o time que mais sofreu em sua estreia. O técnico Jürgen Klopp surpreendeu ao escalar sua equipe com apenas quatro titulares. O motivo é o desgaste recente do Liverpool, que tem oito jogos no calendário somente em dezembro, por quatro competições diferentes, entre jogos decisivos, como aconteceu na Liga dos Campeões.

Não bastasse as baixas, o Liverpool teve dificuldade com a forte e eficiente marcação do Monterrey, que aguentou o quanto pôde até os instantes finais. Mas não resistiu quando o time inglês passou a contar com o seu trio ofensivo, formado por Salah, Firmino e Mané. Os dois últimos entraram somente no segundo tempo. O brasileiro fora colocado em campo apenas seis minutos antes de decidir o duelo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O JOGO – Preocupado com o desgaste do seu elenco, Klopp escalou uma equipe mista nesta quarta. Deixou de fora, por precaução, o zagueiro Van Dijk e o volante Wijnaldum – o clube garante que a dupla não preocupa -, e poupou Mané, Firmino e Alexander-Arnold. Assim, Henderson atuou improvisado na zaga, enquanto Milner jogou na lateral direita. Shaqiri e Lallana reforçaram o meio-campo.

Com esta formação, o Liverpool até começou no ataque, com uma finalização perigosa de Shaqiri aos 4 minutos, mas não escondia as limitações em comparação ao time titular, principalmente na defesa. Aos 11, Salah recebeu na intermediária, girou rápido e deu precisa enfiada para Keita entrar na área e bater na saída do goleiro Barovero: 1 a 0.

O gol, contudo, não mascarou as dificuldades do time inglês. Apenas dois minutos depois, o Monterrey buscou o empate. Após bate-rebate na área, o goleiro Alisson deu rebote e Funes Mori, sem qualquer marcação na pequena área, só completou para as redes.

Na metade do primeiro tempo, o Liverpool registrava posse de bola de até 73%. Porém, criava pouco. Salah era a única fonte de inspiração da equipe, que parava com facilidade na marcação mexicana e levava sustos constantes na defesa. Aos 26, Alisson precisou fazer bela defesa para evitar o gol de Pabón, em forte finalização da direita. As investidas do Monterrey eram sempre pela direita do ataque, nas costas do volante Henderson, improvisado na zaga.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No segundo tempo, o Monterrey criou a primeira boa oportunidade. Aos 4, o mesmo Pabón cobrou falta com perigo e Alisson saltou para fazer linda defesa. Do outro lado, o Liverpool respondeu com Keita, que perdeu grande chance na marca do pênalti ao bater em cima do goleiro, aos 12.

Diante das dificuldades em campo, Klopp passou a recorrer aos titulares que deixara no banco. Mané e Alexander-Arnold entraram nas vagas de Shaqiri e Milner, na tentativa do treinador de furar a retranca mexicana. Na sequência, Firmino substituiu Origi, deixando o Liverpool com o seu tradicional trio de ataque completo somente aos 39.

As trocas valeram a pena. Numa típica jogada do ataque inglês, Salah investiu pela linha de fundo, pela direita, e acionou o lateral Alex Arnold (outro que entrou somente no segundo tempo), que deu passe preciso para Firmino. Na pequena área, o brasileiro só completou para as redes, aos 45 minutos do segundo tempo, e sacramentou a vaga do Liverpool na final do Mundial.

FICHA TÉCNICA:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

MONTERREY 1 x 2 LIVERPOOL

MONTERREY – Marcelo Barovero; César Montes (Layun), Nicolás Sánchez, Leonel Vangioni e John Stefan Medina; Celso Ortiz, Carlos Rodríguez, Jesús Gallardo, Rodolfo Pizarro (González); Dorlan Pabón (Meza) e Funes Mori. Técnico: Antonio Mohamed.

LIVERPOOL – Alisson; Milner (Alexander-Arnold), Joe Gomez, Henderson, Robertson; Oxlade-Chamberlain, Shaqiri (Mané), Lallana; Keita, Origi (Roberto Firmino) e Salah. Técnico: Jürgen Klopp.

GOLS – Keita, aos 11, e Funes Mori, aos 13 minutos do primeiro tempo. Firmino, aos 45 minutos do segundo tempo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CARTÕES AMARELOS – Vangioni, Joe Gomez, Gallardo.

ÁRBITRO – Roberto Tobar (Chile).

RENDA – Não disponível.

PÚBLICO – 45.416 torcedores.

LOCAL – Estádio Internacional Khalifa, em Doha (Catar).


Estadão Conteúdo


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade