Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Empate deixa Cruzeiro desesperado e derruba o Avaí para a Série B

O resultado tirou o time mineiro da zona de rebaixamento

Publicado

em

PUBLICIDADE
Cruzeiro e Avaí empataram, sem gols, nesta segunda-feira à noite, no Mineirão, em duelo pela 33.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado tirou o time mineiro da zona de rebaixamento e derrubou o lanterna Avaí para a Série B.

Porém, a 15.ª igualdade na competição nacional pode prejudicar o Cruzeiro nas próximas rodadas, pois a equipe terá pela frente Santos (fora), CSA (casa), Vasco (fora), Grêmio (fora) e Palmeiras (casa). Os mineiros, com 36 pontos, brigam com Fluminense (35), Ceará (36), Botafogo (36) e CSA (29) para fugir das últimas posições. O Avaí, com 18, está rebaixado, caminho que deve ser seguido pela Chapecoense, com 25 pontos.

Os primeiros vinte minutos foram todos do Cruzeiro. O time mineiro teve 73% de posse de bola e concentrou seus jogadores no campo do adversário. O problema foi a falta de qualidade técnica deles para furar o bloqueio do Avaí, equipe com a defesa mais vazada do campeonato (51 gols) ao lado do Goiás. Os comandados de Abel Braga abusaram dos cruzamentos e facilitaram o trabalho dos grandalhões zagueiros Marquinhos Silva e Kunde.

O Avaí só foi incomodar Fábio aos 21 minutos, com um chute de longa distância do Lourenço. Aos 24, o lance mais bonito do primeiro tempo. Lourenço cruzou da direita e Vinícius Araújo acertou uma bela bicicleta, mas a finalização foi em cima do goleiro cruzeirense. Sem criatividade, o Cruzeiro seguiu levantando bolas na área do Avaí. Sem sucesso o jeito foi arriscar com chute de longa distância, mas faltou competência.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou com o mesmo domínio de bola, mas, mais ansioso, aumentou o número de passes errados. Além disso, nenhum jogador demonstrou capacidade para fazer uma jogada individual para quebrar o bloqueio adversário.

Ao perceber isso, Abel, que colocara Pedro Rocha no intervalo, não demorou para trocar David por Fred, que era cotado para ser titular, mas teve de cuidar do filho doente na tarde desta segunda-feira e começou o jogo no banco.

O goleiro Vladimir só teve de fazer uma defesa aos 18 minutos, com um chute despretensioso de Pedro Rocha. O Avaí, por sua vez, encontrou espaço para arriscar duas vezes de longe e fez Fábio fazer duas boas defesas.

Aos 33, desesperada, a torcida do Cruzeiro exigiu “raça”, chamou o time de “pipoqueiro” e ameaçou: “Se o Cruzeiro não ganhar, olê, olê, olá, o pau vai quebrar”. Em campo, aos 35, após o 17.º escanteio, Cacá obrigou Vladimir a fazer mais uma defesa.

Os minutos finais foram muito nervosos. Os jogadores reclamaram demais do árbitro. O Avaí até se aventurou mais no ataque e o Cruzeiro perdeu a maior chance do jogo, aos 46 minutos, quando Thiago Neves recebeu cruzamento de Dodô e cabeceou para fora. Aos 50, de longe, Dodô arriscou e Vladimir pegou firme.

Na 34ª rodada, o Cruzeiro vai visitar o Santos, sábado, às 21 horas, na Vila Belmiro. No dia seguinte, o Avaí jogará na Ressacada, às 19h, contra a Chapecoense.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 0 AVAÍ

CRUZEIRO – Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Dodô; Henrique, Éderson (Robinho), Marquinhos Gabriel (Pedro Rocha) e Thiago Neves; David (Fred) e Sassá. Técnico: Abel Braga.

AVAÍ – Vladimir; Lourenço, Marquinhos Silva, Kunde e Igor Fernandes; Luanderson (Wesley), Pedro Castro, Richard Franco e Luan Pereira (Matheus Barbosa); Caio Paulista (Matheus Lucas) e Vinícius Araújo. Técnico: Evando Camillato.

ÁRBITRO – Diego Pombo Lopez (BA).

CARTÕES AMARELOS – Thiago Neves, Igor Fernandes, Pedro Rocha, Vinícius Araújo e Fred.

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade