fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Disputa da Série B local começa neste sábado (11)

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Matheus Garzon
redacao@grupojbr.com

Clubes tradicionais, jogadores veteranos, técnico campeão e até mesmo jovens estrangeiros. Tudo isso entrará em campo a partir deste sábado (11), no início da Segunda Divisão do Campeonato Candango. Até o fim de setembro, 11 times disputarão duas vagas na elite do futebol do Distrito Federal.

A forma de disputa é simples: dois grupos, um com cinco e outro com seis equipes. Eles jogam entre si, em turno único, e os dois primeiros avançam para as semifinais. O que tem complicado, no entanto, são os locais das partidas. De acordo com o diretor técnico da Federação de Futebol do Distrito Federal (FFDF), Márcio Coutinho, nenhum estádio da capital federal possui laudo de segurança. “São 15 estádios, todos públicos. Mesmo o Mané Garrincha, que recebe alguns jogos do Campeonato Brasileiro, não tem laudo. Quando vai ter o jogo lá, eles arrumam um provisório”, conta Coutinho.

O problema é grave. O jogo entre Cruzeiro e Botafogo-DF, por exemplo, será no estádio Luiz Alfredo, o Luizinho, no Novo Gama. São cerca de 40 quilômetros de distância entre a região que o time da casa defende e o local da partida. A situação, no entanto, parece que deve ser resolvida. Em reunião realizada na última quarta-feira, entre Federação e Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer, definiu que quatro estádios terão laudo: Bezerrão, Augustinho Lima, Abadião e Mané Garrincha.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao ser perguntada sobre as medidas adotadas para que o problema da liberação dos estádios fosse resolvido, a Secretaria de Esporte, respondeu, por meio de nota, que “assim como na ocasião da primeira divisão do campeonato, o mesmo esforço será empregado pela pasta para a realização do torneio.”

Novo de novo

Apesar desse imbróglio, os clubes trabalham forte para a disputa em campo. Um desses times é o Taguatinga Esporte Clube, de volta às atividades depois de quase duas décadas parado. Esse ressurgimento da equipe, tricampeã candanga entre 1991 e 1993, só foi possível graças à junção com o outro clube da cidade, o Atlético Taguatinga.

Para a Série B local, o clube quer honrar suas tradições e para isso trouxe um técnico já renomado em solo brasiliense: o campeão estadual com o Luziânia, em 2014 e 2016, Ricardo Antônio. O treinador se diz animado com o novo desafio. “Eu acredito muito no futebol de Brasília. Recebi o convite e vim para o Taguatinga mesmo sendo na segunda divisão. O que me motivou foi o trabalho.”, relata.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Muitos veteranos foram contratados. Maninho e Pedro Ayub, ambos com mais de 40 anos, encabeçam a lista de experientes, que ainda conta com o volante Radamés e o zagueiro Preto Costa, vindos do Brasiliense.
Ricardo Antônio conta que a maioria dos jogadores foram contratados pelo próprio presidente, mas que a aparente “velhice” do time não significa muito. “Tem muito cara mais velho que tem mais vontade que muito garoto”, defende o treinador.

Reforço que vem de fora

Outro clube que se preocupou em buscar reforços foi o Botafogo-DF. O time caiu nas semifinais da segundona do ano passado. A continuidade do trabalho foi garantida: o técnico Davi Lima foi mantido no cargo. Ele conta que o time vem ainda mais forte neste ano. “Ano passado jogamos com um grupo que não sabia o que era jogar uma primeira divisão, tinha atleta que ninguém conhecia. Agora armamos uma equipe com jogadores tarimbados.”

Davi aponta, no entanto, como ponto negativo a curta pré-temporada que o clube teve. As três semanas não foram suficientes para deixar o time do jeito que ele quer. “Temos ainda muito o que melhorar. Infelizmente pulamos etapas e os jogadores ainda estão se conhecendo.”, lamenta o treinador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um desses jogadores que está se entrosando é o zagueiro Juan Mina, de apenas 19 anos. Ele é um dos sete colombianos que foram contratados pelo alvinegro e conta que está gostando do futebol brasileiro. “É um futebol muito rápido, muito forte. Tenho trabalhado bastante”, relata.

O treinador conta que trouxe os colombianos por meio de um representante de jogadores. “Treinei na Colômbia e conheci um empresário lá. Ele me apresentou esses atletas e quando eu fui para a Série B do Rio de Janeiro levei todos comigo. Agora, estou trazendo de novo.”, explica Davi Lima.

1º Rodada

Sábado
15h30 – CFZ X Taguatinga – Serra do Lago
Ceilandense X Capital – Abadião
Cruzeiro X Botafogo-DF – Luiz Alfredo
Legião X Samambaense – Augustinho Lima
Planaltina X Brasília – Diogão
*O Brazlândia folga na rodada

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade