Siga o Jornal de Brasília

Torcida

CPB celebra Dia do Atleta Paralímpico em Brasília

Matheus Garzon
[email protected]

Cerca de 150 crianças são esperadas neste sábado (22), para o Festival Paralímpico no Centro Integrado de Educação Física (CIEF), na Asa Sul. O evento é organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e tem como objetivo comemorar o Dia Nacional do Atleta Paralímpico. A programação oferecerá experiências com atletismo, basquete em cadeira de rodas e bocha e terá duração de 3h – das 8h30 às 11h30.

Esta é a primeira edição do festival que acontecerá, ainda, em outras 47 cidades, em todos os Estados do país e promoverá a experimentação do esporte adaptado a jovens com faixa etária de 10 a 17 anos. Foi mobilizada uma força de trabalho de aproximadamente 2.500 pessoas, entre profissionais de Educação Física e voluntários, que conduzirão a programação no Brasil inteiro.

Kelly Borges, coordenadora de logística do evento em Brasília conta que foi feita uma parceria com a Secretaria de Esporte, que levará crianças deficientes de vários locais do DF para participar do evento. “Virão jovens de vários Centros Olímpicos e do Centro de Iniciação ao Esporte. Além disso, é aberto a qualquer criança que esteja interessada em vivenciar os esportes.”, explica. As atividades serão coordenadas por professores e técnicos especializados nos esportes.

Essa experiência, segundo Kelly, é importante tanto para as crianças com alguma necessidade especial, que podem ver um esporte para praticar, quanto para as que não possuem alguma deficiência. “É uma forma de inclusão e experimentação. Uma criança que pratica o basquete na cadeira de rodas, por exemplo, vai se colocar no lugar de um cadeirante de uma forma muito mais natural.”, comenta.

Importância da data

Jady Malavazzi é uma das jovens atletas paralímpicas que vem se destacando no cenário nacional. Ela é pentacampeã brasileira da prova de estrada do paraciclismo, classe handbike, e veio para Brasília no intuito de criar um equipe de treinos na modalidade que disputa.

Ela conta que é muito importante ter um Dia Nacional do Atleta Paralímpico para reforçar o prestígio desses brasileiros. “Ajuda principalmente na valorização do atleta paralímpico.”, afirma. Com relação às atividades que serão oferecidas, ela comemora. “É fundamental trabalhar com crianças para que ela veja desde cedo como funciona esse trabalho.”

Programação:

8h30 – Concentração
9h – Início da 1ª sessão (cada sessão é um esporte diferente que será experimentado)
9h30 – Final da 1ª sessão
9h45 – Início da 2ª sessão
10h15 – Final da 2ª sessão
10h30 – Início da 3ª sessão
11h – Final da 3ª sessão
11h – Distribuição de lanche e vídeo
11h30 – Término das atividades

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA