fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Candangão é paralisado por tempo indeterminado

Em documento enviado ao JBr, Federação determina parada somente após jogos de hoje da 11ª e última rodada da fase de grupos

Pedro Marra

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Candangão 2020 será paralisado por tempo indeterminado apenas quando terminarem os jogos de hoje pela 11ª e última rodada da primeira fase da competição.

É o que anunciou a Federação de Futebol do DF (FFDF) ao Jornal de Brasília. A divulgação foi formalizada por meio da portaria 05/2020. No documento, assinado pelo presidente da Federação, Daniel Vasconcelos, a entidade local oficializou a decisão considerando as seguintes orientações:

– A Organização Mundial da Saúde (OMS), que decretou pandemia em função da rápida expansão do coronavírus (covid-19).

– A necessidade momentânea de se evitar aglomerações em locais públicos

– Reunião realizada nesta terça-feira (17), na sede da CBF, entre os presidentes das federações e a diretoria da CBF

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

– Recomendação do presidente da CBF, no sentido de que todas competições estaduais sejam paralisadas

– A preocupação da FFDF com atletas, membros das comissões técnicas, dirigentes das associações, profissionais de arbitragem, imprensa em geral e população como um todo.

Preocupações

Mesmo assim, o contato físico ainda é uma forma de contágio da doença, na opinião de Romarinho, atacante do Brasiliense. “Na hora do jogo já é bem mais complicado para tomar algum tipo de cuidado porque futebol é um esporte de contato. Acho que nem dá para tomar algum tipo de cuidado. Nós jogadores estamos sem nos tocar, ou às vezes tocando com os cotovelos. Questão de saúde a gente não discute”, opina o jogador do Jacaré.

Segundo a presidente do Brasiliense, Luiza Estevão, o clube oferece formas de prevenção aos funcionários. “Álcool em gel, temos até no vestiário dos jogos, eu mesma entreguei. E também na entrada e saída do ônibus, no CT, academia e maquinário. Na minha opinião, (o Candangão) tinha que parar sim porque é uma questão de saúde pública. Há um certo a se fazer, e está demorando”, comenta a dirigente do time amarelo.

Presidente do Gama, Weber Magalhães reconhece a situação de risco da doença mas aguarda um comunicado da Federação de Futebol do DF sobre uma possível paralisação do Candangão. “Sabemos do momento preocupante, e aguardamos um posicionamento da Federação caso venha a ocorrer uma paralisação. Pelo menos não teremos mais as equipes que foram rebaixadas e não se classificaram para a fase mata-mata da competição. A tendência geral é que os campeonatos devem paralisar, seria melhor”, diz o presidente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O técnico do Gama, Vilson Tadei, acredita que a federação teve o tempo necessário para tomar uma decisão. “Sabemos que o contágio é uma coisa que pode acontecer, e o futebol tem contato. Espero que o Candangão seja paralisado para que todo mundo possa ficar nas suas residências”, diz o treinador.

Partida isolada

No sábado (21) ainda haveria a realização de uma partida atrasada da 10ª rodada. Gama x Real Brasília, iriam se enfrentar às 15h30, no estádio Bezerrão, mas a partida não irá ocorrer devido à norma da Federação.

Vale lembrar que devido ao decreto n° 40.509 assinado pelo governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), e publicado no Diário Oficial do DF (DODF) do último dia 11, o GDF suspendeu eventos, de qualquer natureza, que exijam licença do Poder Público, com plateia superior a 100 pessoas. Com isso, a Federação de Futebol do DF segue a recomendação de realizar as partidas com portões fechados para torcedores.

Ainda ontem, a reportagem falou com o presidente da FFDF, Daniel Vasconcelos, sobre o assunto. Ele disse que estava em reunião na CBF com outras federações para discutir a paralisação.

“Estamos conversando com o secretário de Saúde todos os dias para acompanhar a situação. Se for necessário vamos parar (o Candangão) sim”, afirmou à reportagem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade