Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Abaixo da crítica, mas classificado: Brasil toma virada e vira sobre o Chile no Bezerrão

O próximo adversário do Brasil vai sair do confronto entre Itália e Equador, que vão se enfrentar nesta quinta-feira, no Estádio Olímpico, em Goiânia

Publicado

em

Publicidade

Olavo David Neto
radacao@grupojbr.com

Mais pegado que as expectativas, mas o Brasil está nas quartas de final do Mundial Sub-17. Na noite de hoje (6), o Brasil recebeu o Chile no Bezerrão, e a partida, que teve duas viradas, deu vitória por 3 a 2 dos brasileiros, que se garantiram nas quartas de final. Kaio Jorge (2) e Douglas Rosa marcaram para a Seleção, enquanto Cruz (2) descontou para os visitantes.

Não faltou emoção na volta da Seleção Brasileira ao Bezerrão. Após um início contundente, o Brasil sucumbiu aos próprios nervos e quase deu espaços para zebras no estádio do Gama. Decisivo, Kaio Jorge saiu aclamado pela torcida. Talles Magno, Gabriel Veron e João Peglow saíram devendo. Na próxima fase, o Brasil terá outro confronto sulamericano ou um duelo de duas finais de Copa do Mundo.

Vira, desvira e vira de novo

Algo parecia errado aos torcedores presentes no Bezerrão. Logo de cara, a seleção chilena partiu para cima dos anfitriões. Com linhas altas e pressão na saída de bola brasileira, assustaram a Canarinho. Mas, mesmo assim, a camisa pesou. Em duas chegadas rápidas, o jogo se equilibrou. Com ímpeto crescente, a amarelinha não se deixava dominar pelos chilenos. Na terceira oportunidade…

Aos sete minutos, João Peglow tentou chapelar na entrada da área e o zagueiro cortou com a mão a dois passos da linha. Na cobrança, Kaio Jorge bateu forte no canto do goleiro Fierro, que sequer se mexeu. Mais sete minutos e vinha a euforia: Peglow dominou na ponta direita e deu uma cavadinha para o camisa 9 brasileiro, que invadiu a área e bateu forte e rasteiro para ampliar. Mas o árbitro de vídeo viu impedimento milimétrico de Kaio Jorge e anulou o gol brasileiro.

E quando a adrenalina baixou, baixou demais. O Chile voltou a se impor no jogo e acuar o Brasil. Aos 24’, Cruz dominou na intermediária, limpou Henri e bateu da meia lua. O empate chileno caiu como um balde de gelo na Seleção. Nervosos, os meninos brasileiros trocaram a confiança após o balançar as redes por uma afobação que se traduziu em passes precipitados. Sem criatividade, muitas foram as bolas alçadas direto da defesa para o ataque, e também muitos foram os cortes adversários.

Quando o relógio marcou 31 minutos, outro susto. Após trama do Chile, Zamora recebeu livre na entrada da área e bateu colocado. Matheus Donelli espalmou para escanteio. Pouco depois, aos 40’, o Brasil, recuado, postou duas linhas de marcação e, mesmo assim, Cruz recebeu lançamento entre os zagueiros brasileiros, invadiu a área e bateu na saída do camisa 1 brasileiro para virar o jogo.

E, então, o Bezerrão se calou. Uma mistura de raiva, impotência e frustração tomou conta do estádio, que só voltou a sorrir aos 45 minutos, quando subia a placa com o tempo de acréscimo. Em subida pela esquerda, o lateral Patryck deu belo lançamento para Veron, que dominou e chutou em cima de Fierro. No rebote, Kaio Jorge foi derrubado pelo arqueiro chileno. O próprio Kaio Jorge cobrou e empatou antes da descida aos vestiários.
Mas a volta ao gramado mostrou uma Seleção Brasileira ainda mais nervosa, com mais disposição a entregar a bola ao Chile que iniciar jogadas com a bola no pé. Malandros, os garotos chilenos rodavam o jogo e ferviam a ansiedade amarelinha. Foram muitos os lances com faltas bobos, e algumas até violentas, cometidas pelos jogadores brasileiros logo após perder a posse de bola.

Mesmo mal no jogo, Talles Magno contribuiu demais. Foi dele o cruzamento mal rebatido pela zaga chilena, aos 19’. Na sobra, Diego Rosa dominou sozinho, livre, leve e solto na entrada da área. O chute forte e alto contou com a colaboração de Fierro, que foi com as “mãos moles” e permitiu a virada brasileira. Festa no Bezerrão, e classificação garantida.

Afunilando…

Agora, a Seleção espera o vencedor de Equador e Itália, que jogam às 16h30 de amanhã (7), em Cariacica. A próxima decisão para o Brasil, independente do adversário, acontece às 20h de seguda-feira (11). No outro jogo da noite, a França goleou a Austrália por 4 a 0 e enfrenta a Espanha – que, às 16h30, bateu Senegal por 2 a 1 – nas quartas de final. É o primeiro duelo entre equipes campeãs da Copa do Mundo Sub-17.


Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *