Siga o Jornal de Brasília

Reputação, Compliance e Leis Anticorrupção

O sucesso e o fracasso do CEO

Publicado

em

A APPrise Mobile realizou uma pesquisa denominada America’s Invisible Bosses (Chefes Invisíveis da América, em livre tradução), que mostra um quadro bastante preocupante em relação ao atual relacionamento entre CEOs e seu quadro funcional. Na amostra, apenas 16% dos funcionários disseram ter recebido comunicações semanais de seu CEO e uma porcentagem igual revelou nunca ter ouvido falar de seu CEO.

Esta descoberta destaca a necessidade de os CEOs encontrarem uma forma de se comunicar com os funcionários com mais frequência e de novas maneiras. Isso porque a maioria dos entrevistados que não conhecia seu presidente tinha idade inferior a 25 anos e estava na corporação há menos de dois anos.

Quando se trata do tema compliance, os presidentes das corporações precisam ser bastante “visíveis”, para que as medidas sejam efetivas. Eles devem ser os porta-vozes das boas práticas da companhia.

Não se comunicar bem com o quadro funcional é um dos problemas mais críticos de um CEO. A ghSmart, em parceria com a University of Chicago e a Copenhagen Business School, realizou um estudo denominado CEO Genome Project (Projeto Genoma de um CEO, em livre interpretação), mapeando as características de um CEO eficaz.

Os autores apresentaram os quatro comportamentos-chave fundamentais em um CEO bem sucedido. Nem todos se destacam nas quatro qualidades, mas a posse de mais de uma faz a diferença. Minha colega de trabalho, líder mundial para o tema reputação na Weber Shandwick, Leslie Gaines-Ross, fez uma análise destas qualidades. Transcrevo-as, a seguir:

 

1 – CEOs de alto desempenho são decisivos: eles tomam decisões mais cedo, mais rápido e com maior convicção. E eles fazem de forma consistente. A maioria dos CEOs que perdeu o cargo teve como causa a indecisão.

2 – CEOs de alto desempenho envolvem suas equipes: os CEOs de melhor desempenho envolvem suas equipes para gerar resultados. Eles se empenham para alcançar uma compreensão profunda do que as equipes precisam e do que as motiva. Eles tomam a energia de seus críticos e transformam em uma dinâmica positiva. Os CEOs de melhor desempenho são cuidadosos com o “contágio emocional”. Se o CEO trabalha de cara fechada ou envia qualquer outro tipo de gesto involuntário negativo, ele produz um sinal errado para a equipe, que reverbera em toda a organização. Os CEOs devem se manter calmos quando estão sob pressão, enquanto tomam o controle da situação e da equipe.

3 – CEOs de alto desempenho se adaptam de forma proativa. Esses CEOs gastam metade do seu tempo em metas de longo prazo e quando experimentam contratempos, eles aprendem e crescem a partir deles. Infelizmente para CEOs, os recuos são dolorosamente visíveis.

4 – CEOs de alto desempenho fornecem consistentemente. Esses CEOs produzem resultados confiáveis, dizem os autores. “Conselheiros e investidores adoram uma mão firme e os funcionários confiam em líderes previsíveis”. Ter a equipe certa no lugar certo é fundamental e, geralmente, isto é o responsável pela queda de novos CEOs.

 


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade