Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

STF retoma julgamento de habeas corpus de Lula

Gilmar Mendes propôs que Lula seja solto imediatamente. O advogado de defesa pediu prioridade no julgamento em que é apontada a suspeição de Moro

Aline Rocha

Publicado

em

PUBLICIDADE

Aline Rocha
redacao@grupojbr.com

Nesta terça-feira (25), o Supremo Tribunal Federal (STF) retoma os pedidos de habeas corpus feitos pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A presidente da Segunda Turma do STF, ministra Carmen Lúcia, decidiu levar o julgamento na sessão de hoje. 

A defesa do ex-presidente entrou com o pedido de que seja declarada a parcialidade do ministro da Justiça e Segurança Pública e ex-juiz federal, Sérgio Moro, na Operação Lava Jato, em que Lula foi condenado pelo triplex do Guarujá. 

Em um dos pedidos de habeas corpus, a defesa questiona a atuação de Felix Fischer, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal de Justiça. No outro, questionam a validade da condenação após a divulgação de mensagens feita pelo The Intercept Brasil.

O advogado Cristiano Zanin Martins pediu prioridade no julgamento do habeas corpus em que é apontada a suspeição de Moro e afirmou que Lula está preso há mais de 400 dias. “Estamos diante de um caso cujo julgamento já foi iniciado”, disse.

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) propôs que Lula seja solto imediatamente. Para ele, o ex-presidente deve permanecer solto até que o julgamento das ações que responde seja finalizado. 

“Tem razão o nobre advogado quando alega o alongamento desse período de prisão diante da sentença e condenação confirmada em segundo grau. Como temos toda a ordem de trabalho organizada, o que eu proponho é de fato conceder uma medida para que o paciente aguardasse em liberdade a nossa deliberação completa. Encaminharia, nesse sentido, se a o colegiado assim entendesse”, disse Gilmar Mendes.


Leia também
Publicidade