fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Apostas erradas de Bolsonaro

Candidatos apoiados pelo presidente vão mal em todas as capitais, a começar por São Paulo

Rudolfo Lago

Publicado

em

PUBLICIDADE

Ao que tudo indica, nem mesmo com o presidente Jair Bolsonaro montado na sua garupa Celso Russomanno (Republicanos) irá se livrar desta vez da fama de “cavalo paraguaio”. Mais uma vez, o político que marcou sua trajetória na defesa do consumidor larga na frente numa eleição em São Paulo e perde o fôlego antes do final da corrida. Se a situação evoluir do que mostra a última rodada de pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada na quinta-feira (5), Russomanno corre sério risco de não conseguir sequer chegar ao segundo turno.

De líder inicial nas pesquisas, o candidato do Republicanos em São Paulo vê o atual prefeito, Bruno Covas, abrir uma grande dianteira. De acordo com o Datafolha, Covas tem agora 28% das intenções de voto. E Russomanno, em segundo, vê colar na sua traseira tanto o candidato do PSOL, Guilherme Boulos, como o nome do PSB, Márcio França. Russomanno é o segundo, com 16, mas Boulos tem 14% e França, 13%. Ou seja, dentro da margem de erro, os três estão empatados. E, se a tendência prosseguir, é bem provável que um dos dois – ou mesmo os dois – ultrapasse Russomanno.

O que chama a atenção tanto no caso de São Paulo como no quadro nacional, a partir das capitais, é como a popularidade do presidente Bolsonaro não parece se refletir no humor do eleitor nas cidades. Bolsonaro está longe de ser um bom cabo eleitoral. Na verdade, Russomanno começou a cair nas pesquisas exatamente quando colou mais o presidente à sua imagem.

O mesmo acontece no Rio de Janeiro, onde o prefeito Marcelo Crivella, também apoiado por Bolsonaro, derrete a cada pesquisa, perdendo terreno para Eduardo Paes, do DEM. Paes agora tem 31% das intenções de voto contra apenas 15% de Crivella. Que, da mesma forma, vê chegar aos seus calcanhares a terceira colocada, Martha Rocha, do PDT, agora com 13%. Como com Russomanno em São Paulo, a última pesquisa do Datafolha aponta que Crivella, que busca a reeleição, corre risco de não ir para o segundo turno.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outros nomes apoiados por Bolsonaro não vão bem. Caso de Fernando Francischini (PSL) em Curitiba, com apenas 6,74%.

“O atual quadro das pesquisas mostra que o encantamento com a tal nova política pode ter sido de efeito rápido. E isso pode ter um efeito bem danoso para as pretensões de reeleição de Bolsonaro. Acendeu-se o sinal amarelo no Palácio do Planalto”, observa o cientista político André Cesar.

Ao lado, o quadro mais recente nas capitais brasileiras, de acordo com as últimas pesquisas.

COMO ESTÁ A DISPUTA NAS CAPITAIS

Porto Alegre – Ibope (29/10)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Manuela D’Ávila (PCdoB) – 27%
  • Nelson Marchezan Júnior (PSDB) – 14
  • Sebastião Melo (MDB) – 14%

Florianópolis – Ibope (2/11)

  • Gean Loureiro (DEM) – 58%
  • Professor Elson (PSOL) – 13%

Curitiba – Instituto Opinião (6/11)

  • Rafael Greca (DEM) – 43,6
  • Fernando Francischini (PSL) – 6,74%

São Paulo – Datafolha (5/11)

  • Bruno Covas (PSDB) – 28%
  • Celso Russomanno (Republicanos) – 16%

Rio de Janeiro – Datafolha (5/11)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Eduardo Paes (DEM) – 31%
  • Marcelo Crivella (Republicanos) – 15%

Belo Horizonte – Datafolha (5/11)

  • Khalil (PSD) – 65%
  • João Vitor Xavier (Cidadania) – 7%

Vitória – Ibope (3/11)

  • João Coser (PT) – 26%
  • Fabrício Ghandini (Cidadania) – 24%

Salvador – Ibope (30/10)

  • Bruno Reis (DEM) – 61%
  • Major Denice (PT) – 13%

Aracaju – Ibope (22/10)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Edvaldo (PDT) – 34%
  • Delegada Danielle (Cidadania) – 19%

Maceió -Ibope (23/10)

  • Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) – 24%
  • JHC (PSB) – 24%

Recife – Datafolha (5/11)

  • João Campos (PSB) – 31%
  • Marília Arraes (PT) – 21%

João Pessoa – Ibope (22/10)

  • Cícero Lucena (PP) – 21%
  • Nilvan Ferreira (MDB) – 15%

Natal – Ibope (26/10)

  • Álvaro Dias (PSDB) – 44%
  • Kelps (Solidariedade) – 7%
  • Delegado Leocádio (PSL) – 7%

Fortaleza – Datafolha (5/11)

  • Capitão Wagner (PROS) – 29%
  • Sarto (PDT) – 26%

Teresina – Instituto Data Max (3/11)

  • Dr. Pessoa (MDB) – 40,3%
  • Kleber Montezuma (PSDB) – 22,48%

São Luís – Ibope (23/10)

  • Eduardo Braide (Podemos) – 44%
  • Duarte Júnior (Republicanos) – 19%

Palmas – Ibope (26/10)

  • Cinthia Ribeiro (PSDB) – 36%
  • Professor Júnior Geo (PROS) – 12%

Belém – Ibope (24/10)

  • Edmilson Rodrigues (PSOL) – 38
  • José Priante (MDB) – 15%

Macapá – Ibope (28/10)

  • Josiel (DEM) – 31%
  • Capi (PSB) – 15%

Boa Vista – Ibope (29/10)

  • Ottaci (Solidariedade) – 27%
  • Arthur Henrique (MDB) – 25%

Manaus – Perspectiva Mercado e Opinião (4/11)

  • Amazonino Mendes (Podemos) – 27,2%
  • David Almeida (Avante) – 15,3%

Rio Branco – Ibope (29/10)

  • Minoru Kimpara (PSDB) – 28%
  • Socorro Neri (PSB) – 23%

Porto Velho – Ibope (28/10)

  • Hildon Chaves (PSDB) – 30%
  • Vinícius Miguel (Cidadania) – 16%

Cuiabá – Gazeta Dados (4/11)

  • Abílio Júnior (Podemos) – 34,62%
  • Emanuel Pinheiro (MDB) – 28,21%

Goiânia – Ibope (5/11)

  • Maguito Vilela (MDB) – 33%
  • Vanderlan Cardoso (PSD) – 26%

Campo Grande – Ibope (30/10)

  • Marquinhos Trad (PSD) – 46%
  • Promotor Harfouche (Avante) – 11%



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade